De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

Guia para curtir Berlim além do muro - vol. 2

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

02 de October, 2017

Share

Com certeza você conhece alguém que foi a Berlim e voltou com uma boa história de uma balada em um lugar estranho. Os clubes da cidade são tão grandes, diversos e poderosos que já viraram uma instituição (com até poder político). Mas prepare-se porque nem tudo vem de graça. Além de enfrentar filas enormes nos clubes mais famosos, a door policy é cruel na maioria, e tende a desprezar não-locais. O melhor a fazer é ir acompanhado de alguém que conheça o sistema, ou na falta, esperar até depois das 4 da manhã, quando a ‘fiscalização’ afrouxa um pouco. Não se preocupe em pegar o fim das festas, porque elas não tem fim. Começam quinta ou sexta à noite, e só acabam segunda na hora do almoço.

Como acontece na maioria das cidades, o importante muitas vezes é a festa e não o lugar em si e Berlim é cheia delas. Uma das mais badaladas atualmente é a Cocktail d’Amore, que acontece mensalmente no Griessmuehle, a Pornceptual, que tem a brasileira Raquel Fedato por trás, e a Buttons, festa mensal no about blank.

Berghain – Bem na divisa entre Kreuzberg e Friedrichshain, esse é o clube mais famoso da cidade, e talvez no mundo. Tido como a meca do techno, foi construído em um prédio abandonado de uma empresa de energia elétrica, e por isso é gigantesco. Tanto que no mesmo espaço montaram um segundo bar, chamado Panorama, e agora um restaurante. Prepare-se porque aqui a fila é uma constante. Ou faça como os locais e chegue para a festa domingo bem cedinho (sim, eles acordam e vão). Nele há também o Panorama e o Kantine, que funcionam em dias mais diversos. Endereço: Am Wriezener Bahnhof. Horário: a partir das 23:59 de sábado até a manhã de segunda-feira.

KitKat – Se você quer mergulhar na noite berlinense de cabeça, esse é teu lugar. Mas aviso, esse lugar não é para qualquer um. O lema do clube é ‘faça o que quiser, mas comunique-se’. E a primeira parte do lema é levado bem a sério, tanto que lá é permitido andar pelado, transar onde quiser, e por aí vai. Tem gente que vai só por causa da música, mas mesmo esses tem que seguir o dress code da noite, que pode ser qualquer coisa. O clube é um clássico tendo sido fundada em 1994. A noite mais clássica é às segunda-feiras e a festa mensal Gegen Berlin, que sempre acontece na primeira sexta-feira do mês. OEndereço: Köpenicker Str. 76, BerlimHorário: normalmente a partir das 23 horas; after a partir das 8 nos domingos.

Lugar para sair e dançar é o que não falta na cidade do techno. O Wilden Renate é um clube com a cara dos dois primeiros, mas em escala e fila menor, atualmente mais frequentado por turistas do que por locais. O Stattbad fica em Wedding, e tem a pista dentro de uma piscina pública desativada. O Golden Gate fica embaixo de uma ponte no Mitte, e bomba às quintas. O Möbel Olfe era uma loja de móveis usados transformado em bar/balada em que os gays se acotovelam para entrar. E o about blank tem festas bem divertidas, mas por lá a recomendação é pegar as diurnas que acontecem no jardim aos finais de semana.

O importante é: cheque sempre a agenda das festas e clubes para não dar com a cara na porta ou cair numa roubada. Caso você seja “família tradicional brasileira”, recomendamos checar cada uma das nossas recomendações antes de se aventurar nelas.

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

02 de October, 2017

Share

Lalai Persson

Lalai prometeu aos 15 anos que aos 40 faria sua sonhada viagem à Europa. Aos 24 conseguiu adiantar tal sonho em 16 anos. Desde então pisou 33 vezes em Paris e não pára de contar. Não é uma exímia planejadora de viagens. Gosta mesmo é de anotar o que é imperdível, a partir daí, prefere se perder nas ruas por onde passa e tirar dicas de locais. Hoje coleciona boas histórias, perrengues e cotonetes.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.