Lima: o renascimento da capital peruana

Data

04 de November, 2016

Share

Para se Inspirar

Mesmo sendo comum ainda muitos viajantes ficarem uma média de dois dias em Lima, antes de ir para Cusco/Machu Picchu, a cidade merece mais. Tem muita coisa bacana para ver e curtir na cidade e a capital peruana, por si só, é um destino incrível para cinco dias no mínimo! Museus, sítios arqueológicos, parques, praças e esportes de aventuras são alguns dos passeios que ficarão sempre na memória.

Foto: Manu Tessinari

Malecón – É sempre lindo começar o passeio em Lima pelo Malecón, assim chamado o calçadão da cidade que margeia a falésia, cheia de parques e jardins. O trecho entre o Farol e o Parque del Amor é o mais movimentado e lá você encontrará de tudo: mirantes de tirar o fôlego, crianças brincando, ciclistas, amigos fazendo piqueniques, jovens namorando. Neste trecho também está o quiosque para quem quer se aventurar pulando de parapente. São 10 minutos de um vôo sobre o Pacífico em que você terá uma vista única da cidade. Aí está também a galera que curte slackline, aquele esporte de acrobacias na corda bamba. O passeio pode terminar no Parque del Amor, todo decorado com poesias em mosaico, porém, andando cinco minutos mais você chega no Shopping Larcomar.

Foto: Adriana Carolina Iwanczuk
Foto: Adriana Carolina Iwanczuk

Shopping Larcomar – Estranho um shopping estar entre os passeios que valem a pena em Lima, mas o Larcomar é realmente único. É um shopping aberto, abaixo do nível da rua, encostado na falésia a beira mar. Para completar, é o maior centro de entretenimento da cidade com onze cinemas, duas discotecas, um teatro, dezenas de restaurantes, cafés e um ponto de encontro de turistas e locais. Sentar em um dos seus cafés e assistir o pôr-do-sol é uma experiência clichê, mas linda.

Foto: Manu Tessinari
Foto: Manu Tessinari

Centro Histórico – O centro histórico de Lima é o maior em extensão da América Latina e, por onde você caminhe, encontrará algo interessante para conhecer e visitar. Comece na Plaza Mayor, onde estão o Palácio do Governo, a Prefeitura, o Arcebispado e a Catedral desde os tempos de Peru Colônia. A uma quadra dali, o Convento de São Francisco, patrimônio mundial da humanidade, é um dos lugares mais visitados do Peru, principalmente por curiosos que querem ver as catacumbas de um antigo cemitério descoberto no local, com ossos de mais de 25 mil pessoas. Flanar pelos quarteirões também é um ótimo programa já que terá chances enormes de encontrar igrejas barrocas incríveis, galerias de arte, museus, casas coloniais com seus lindos pátios internos e os balcões que, por si só, são patrimônio arquitetônico do país, pela singularidade e beleza. As ruas Jirón Ica e Jirón Ucayali, hoje somente para pedestres, concentram o maior número de coisas lindas por metro quadrado. Vale a caminhada.

Foto: Manu Tessinari
Foto: Manu Tessinari

Museo Larco – É o museu privado com o maior acervo de peças pré-incas e incas do país, e passeio obrigatório para quem vai rodar pelo país. Nele você basicamente encontra toda a história do Peru, desde os primórdios, passando por todos os povos, das diferentes regiões do país, até concentrar-se nos Incas. É turístico sim, mas é interessantíssimo, porque você vai entender o panorama geral e poderá aproveitar ainda mais destinos como Cusco, Machu Picchu e Trujillo. Nele também está a famosa galeria de arte erótica, que trata da sexualidade dos povos peruanos antigos. (Av. Simón Bolivar 1515, Pueblo Libre 15084, Peru – Todos os dias das 09h00 às 22h00, +51 1 4611312)

Foto: Manu Tessinari
Foto: Manu Tessinari
Foto: Manu Tessinari
Foto: Manu Tessinari

Barranco – Passear de dia pelo bairro artsy é um dos programas mais legais da cidade. Street art, cafés naturebas, lojas de artesanato e museus se misturam com a arquitetura colonial e a história do lugar. É aqui que o famoso fotógrafo peruano radicado em Londres, Mario Testino, tem uma fundação, o MATE, que expõe seus trabalhos e trabalhos de artistas internacionais. O bairro também é cede do MAC, Museu de Arte Contemporânea, com seu lindo parque e café, onde pode-se ir mesmo sem ver a exposição. Passar um dia pelo menos no bairro e esquecer do mundo é obrigatório.

Foto: Manu Tessinari
Foto: Manu Tessinari

Huaca Pucllana – Circulando pela cidade, é possível se deparar com umas pirâmides preservadas, iluminadas e grandiosas. São as huacas. Huacas eram templos, muitos deles datados da era pré-colombiana. Durante toda a história tiveram diversos “donos” e funções, como local de sacrifícios a deuses, casa de reis, cemitérios, entre outros. A Huaca Pucllana é a mais estudada na capital e, fazendo o tour, descobre-se o porque do formato, do nome, quem viveu ali, como trabalhavam, o que comiam. Aula de história ao ar livre e um dos programas turísticos mais interessantes da capital. (Calle General Borgoño cuadra 8 S/n, Distrito de Lima, Peru Todos os dias, das 09h00 às 17h00, fecha Terça – +51 1 6177148)

Data

04 de November, 2016

Share

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter