Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

SXSW

Cobertura pré e pós do SXSW 2020 com as melhores dicas: quais são as palestras, ativações, shows e festas imperdíveis no festival.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

Ilhada em Veneza por conta do coronavírus

Quem escreveu

Chicken or Pasta

Data

13 de March, 2020

Share

Texto por Cris Piloto

Foi durante o charmoso Carnaval de Veneza, quando foliões do mundo todo desfilam suas fantasias e máscaras na Piazza San Marco, que chegou o anúncio indesejado: primeiro caso de vítima fatal do novo Covid-19 na Lombardia, norte da Itália. Mais de 300 infectados em dois dias. Eis que o vírus mais recente vindo da China se espalha pelo território de forma avassaladora, incontrolável e tão forte que ninguém poderia imaginar a dimensão que a situação poderia chegar.

De repente, o Carnaval foi cancelado, as escolas não voltaram às aulas, cinemas, museus e locais públicos de fácil aglomeração foram fechados pelo decreto do governo. Cidades foram isoladas, partidas de futebol e a final do “Italia’s got Talent” fechados para o público. Eventos internacionais em Milão e Veneza começaram a anunciar o adiamento, como o Salone del Mobile Milano e La Biennale di Venezia. Três semanas depois da primeira morte, ainda com as escolas fechadas, o governo decidiu isolar Veneza, Milão e outras cidades do norte da Itália. Em 48 horas, toda a Itália foi considerada zona de quarentena. 

Carnaval de Veneza 2020 por Cris Piloto

Depois de um primeiro susto, e do ‘efeito manada’ que fez com que rapidamente as prateleiras de supermercados esvaziassem, o medo de ser atingida pelo vírus dá espaço ao incômodo da livre circulação vetada. Entendemos que a taxa de mortalidade entre os infectados é de apenas 3,5% (fonte – World Health Organization). O COVID-19, que já tinha sido decretado uma emergência de saúde pública de relevância internacional pela OMS (Organização Mundial da Saúde), foi elevado à categoria de pandemia. Mas o vírus ainda é pouco conhecido por estudo científico e se propaga muito rápido, e é justamente a contenção da infecção que o governo italiano busca com essa medida de quarentena. 

Estar em quarentena, na prática, não significa prisão domiciliar. É permitido circular no limite da sua cidade mantendo a distância de 1 metro entre pessoas desconhecidas. A maioria dos estabelecimentos fecharam suas portas. Mas o impacto da pandemia e dos decretos do governo fazem com que a vida fique em modo “pausa” e muitos sentem imediatamente o resultado econômico. Muitas empresas fecharam para férias coletivas e o medo do futuro próximo torna-se maior que o da contaminação. Isso gera um mal-estar, uma sensação de impotência e ao mesmo tempo uma tentativa de entender o que está acontecendo com o mundo. Não saber se poderei passar o aniversário da minha filha de 19 anos no meio de abril com ela na França, por exemplo, é perturbador. Não ter trabalho nesses dias é muito angustiante. Mas não tem jeito! É hora de ficar em casa, arrumar os armários, fazer as unhas e zerar o Netflix! É exercitar aquele velho ensinamento que não se pode controlar o incontrolável. Essa é uma real situação totalmente fora do nosso controle, que temos que ser confiantes que vai passar que tudo vai ficar bem e que sairemos dessa mais fortes, imunes e unidos! 

Estar em Veneza em quarentena faz refletir sobre muitas coisas. A cidade que ferve no turismo de massa está completamente silenciosa, quase deserta e poética! Há algumas décadas que Veneza não é só dos venezianos.

Veneza, coronavírus, quarentena
Praça São Marco, Veneza, ao meio dia em 10/03/2020. Foto: Cris Piloto
Veneza, coronavírus, quarentena
Veneza: Loja de ferramentas aberta mas com um balcão improvisado que mantém a distância do público. Foto: Cris Piloto

Ao mesmo tempo que as pessoas devem ficar longes uma das outras, existe um sentimento de conexão e parceria. E aí vem aquela coisa linda dos seres humanos que ainda carregam a solidariedade no peito. Em meio aos cartazes com regras a serem cumpridas como novo horário, quantidade de clientes dentro da sorveteria e distância de 1 metro entre as pessoas, um grupo anônimo espalha bilhetinhos escrito “tutto andrá bene” (tudo vai dar certo). É comovente ver as correntes de ajuda a idosos pelas redes sociais para compras no supermercado (sabe-se que os idosos são a faixa etária de maior perigo com a doença). E até uma ação público-privada, que oferece bônus aos cidadãos em zona de quarentena que faz parte de uma corrente de solidariedade digital

Aviso de loja fechada com o # da campanha convidando as pessoas a ficarem em casa. foto: Cris Piloto
Estação dos gondoleiros fechada em Veneza. Foto: Cris Piloto

Para os próximos dias que virão, nos resta exercitar a paciência e a fé! Trocamos aquele jargão “use filtro solar” para “lave muito bem as mãos” e seguirmos confiante que tutto andrá bene!

Contexto: A Itália é o segundo país com mais casos confirmados de Coronavírus (COVID-19). O primeiro caso de óbito foi em 22/02/2020 e até o momento são 12.462 contagiados e 827 mortes.

Em detalhes: A partir desse cenário, o governo italiano decretou estado de “zona rossa”, ou seja, quarentena em todo o país buscando conter a situação de emergência epidemiológica. A medida veta qualquer tipo de aglomeração de pessoas em locais públicos, suspende eventos, missas, fecha escolas, academias, comércio, restaurante e bares e aconselha aos cidadãos a não circular sem necessidade. 

O é aconselhável fazer nesse momento? Ficar em casa! Lavar as mãos, não tocar os olhos, nariz nem a boca. Desinfetar superfícies com álcool, não aproximar-se de estranhos, não dar as mãos e nem cumprimentar com beijos e abraços. 

Enquanto isso, a gente…. corta a grama, faz as unhas, trabalha remotamente, assiste Netflix, ajuda os amigos e família com filhos que trabalham fora, organiza fotos do celular, coloca os hobbies em dia como ler, fazer croche ou pães artesanais….

Para acompanhar em tempo real o alcance do coronavírus, a John Hopkins University criou um mapa interativo.

Vídeo do apresentador de TV italiano sobre condutas com Coronavírus para o ministério da saúde. 

Decreto do Diário Oficial italiano de 9/03/2020 e Decreto de 8/03/202

*Cris Piloto é carioca, amante do mar e viajante desde criança. Já morou em 3 países, 8 cidades e atualmente vive em Veneza – depois de experimentar 2 anos sem residência fixa! Fotógrafa e profissional de comunicação, Cris deixou uma carreira corporativa em TV e cinema no Rio de Janeiro para estudar artes na Itália. Faz fotos de viajantes do mundo todo e desenvolve projetos de criatividade e  inovação o social através das artes.

Quem escreveu

Chicken or Pasta

Data

13 de March, 2020

Share

Chicken or Pasta

Ver todos os posts

Comentários

  • Parabéns Cris pelo texto. Suga com força e fé, acreditando mesmo que tudo ficará bem. Você, como nós mulheres sabemos superar as crises e obstáculos. Aqui no Brasil estamos irmanados com você é com todos que vivenciam dificuldades nesta Itália e Veneza tão lindas. Bjs
    - Maria Lúcia Lourenço Monteiro
    • Oi Roberta, muito obrigada! Estamos nos cuidado sim! Boa sorte para vocês aí em Roma também! um beijo
      - Cris
    • Muito obrigada Maria Lúcia! Estamos muito otimistas que esse período vai passar sim!
      - Cris
  • Parabéns Cris pelo texto. Se cuida! Esperamos que tudo isso passe logo e que com essas medidas o contágio é mortes comecem a diminuir. E que em Abril você consiga ver sua filha. Bjs!
    - Roberta
  • Cris, seu texto emociona. Como mãe e avó fica ainda mais angustiante acompanhar seu relato. É bem difícil essa situação que agora torna-se mundial estar longe da família. Os beijos e abraços ficam só pelas mensagens eletrônicas ou telefônicas faltando aquele calor corpo a corpo de uma energia que diminui essa tristeza toda. Eu tb tenho certeza que “tudo vai dar certo” e que sairemos dessa com uma nova postura, cuidado, pensamentos mais humanizados. Infelizmente precisamos passar por momentos ruins para renascermos como Fenix com mais energia e discernimento do que precisamos para viver. A criatividade numa situação dessa é incrível! Quem nunca fez pão, agora saboreia seu próprio produto. Sabe aquela frase”a dor ensina a gemer”? Pois é, quantos de nós reinventamos nossas atitudes, revemos nossos conceitos, experienciamos valores novos, percebemos que não precisamos de muita coisa para sermos felizes. Eu desejo muito fortemente que esse momento seja de união e fraternidade verdadeiras. Obrigada, Cris por estar nos mostrando uma realidade que aqui no Brasil, ainda não percebemos. Você é forte e isso apazigua meu coração de mãe. Estamos juntas sempre!!! Amo você. Bjs
    - Marise Piloto
    • Mãe, mesmo de longe a gente sente todo o calor da companhia com as suas mensgens! Fique tranquila que estamos nos cuidando e estamos bem! Tudo vai passar e logo mais estaremos juntas de novo. Te amo.
      - Cris
  • Vc escreve muito bem! Descrição romantica da situação que iremos passar aqui, mas com o otimismos de que no fim ficará tudo bem! Parabéns.
    - Dalila
    • Obrigada Dalila! Estamos buscando um olhar otimista para passar por tudo isso com mais serenidade!
      - Cris

Adicionar comentário

Assine nossa newsletter

Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.