Lugares para para fugir do calor: Milão

Quem escreveu

Renato Salles

Data

13 de January, 2015

Share

A Itália é um país tão diverso, e com paisagens tão deslumbrantes, que a concorrência é pesada. Por conta disso, Milão acaba deixada de lado muitas vezes, quando comparada a Roma, Veneza ou Firenze. Mas a maior região metropolitana do país é também o lugar mais cosmopolita da bota. Hoje são cerca de 7,4 milhões de habitantes, sendo quase 15% de estangeiros. Milão é também a grande sede do design e da moda italianos, mundialmente famosos. Tanto que durante as Semanas de Moda e no Salone del Mobile, a cidade bomba.

Shutterstock: Giancarlo Restuccia
Shutterstock: Giancarlo Restuccia

Por que ir?

Agora durante o inverno, a cidade tem temperaturas frias, mas ainda amenas se comparadas ao resto da Europa. A média fica em torno dos 5ºC, com picos de -5ºC. E anualmente a precipitação de neve é de cerca de 40cm, o que quer dizer que dá para curtir aquela paisagem incrível branca, nem o transtorno das nevascas e do frio exagerado que te enfia dentro de casa. Imagina só como fica o famoso Duomo, já ele todo branco de mármore, coberto com a neve?

A cidade respira design e arquitetura, então é impossível não se render às muitas igrejas e castelos renascentistas da cidade, e principalmente se perder nos jardins do Castello Sforzesco. Mas também em arquitetura contemporânea, ela não deixa nada a desejar. Em 2015, ainda, Milão será a sede da Expo, o que quer dizer que muitos prédios novos devem estar já abertos ao público no começo do ano, com assinatura dos maiores arquitetos do mundo.

O que fazer?

Mas Milão também oferece muito mais. Compras nas lojas finas da Galleria Vittorio Emanuelle, o ‘shopping’ mais antigo do mundo, e para quem não pode, só olhar, porque também é o mais lindo. Se quiser ver o que tem de mais atual em design, a região da Via Montenapoleone é ideal, com uma loja ao lado da outra, só com o que os italianos produzem de melhor. E se quiser ver as vitrines de marcas locais ainda desconhecidos, um passeio descendo pelo Corso di Porta Ticinese.

Aproveite o happy hour nos muitos bares dos Navigli, ou como eles chamam, o aperitivo, quando enormes mesas de petiscos deliciosos acompanham os drinks de graça. E falando em comida, ah, a comida milanesa! Milão é um pólo gastronômico e também é o berço do famoso panetone. Não dá para ir embora de lá sem experimentar pelo menos uma vez o risotto alla milanese (feito com açafrão) e uma cotoletta (vitela empanada com osso e tudo). A região de Brera oferece muitas opções de cafés e restaurantes charmosos e deliciosos. E faça um favor para mim, tome um gelato di pistacchio da sorveteria Grom.

Shutterstock: Elisa Locci
Shutterstock: Elisa Locci

Como se não bastasse, Milão ainda está em uma posição geográfica privilegiada. Se quiser respirar ares mais naturais e ver paisagens incríveis, muitas opções de day-trip estão ao redor. Muita gente acaba visitando as cidades de Turim e Bergamo, mas a pouco mais de uma hora de viagem dá para visitar os lagos dos Alpes, Como na Itália ainda, e Lugano e Locarno na Suíça. Também existem várias opções de estações de esqui nas imediações, como as pequenas Barzio-Piani do Bobbio, Monte Pora, Val Chiavenna e Val d’Aosta, e a maior da Lombardia chamada Bormio, com mais de 80km de pistas.

Foto do destaque: WorldWide / Shutterstock.com

 

Quem escreveu

Renato Salles

Data

13 de January, 2015

Share

Renato Salles

Para o Renato, em qualquer boa viagem você tem que escolher bem as companhias e os mapas. Excelente arrumador de malas, ele vira um halterofilista na volta de todas as suas viagens, pois acha sempre cabe mais algum souvenir. Gosta de guardar como lembrança de cada lugar vídeos, coisas para pendurar nas paredes e histórias de perrengues. Em situações de estresse, sua recomendação é sempre tomar uma cerveja antes de tomar uma decisão importante. Afinal, nada melhor que um bom bar para conhecer a cultura de um lugar.

Ver todos os posts

Comentários

  • Creme come una volta!
    - Thiago
  • Depois de morar 2 anos na Itália, cheguei a conclusão que não existe "gelato" (sorvete) em nenhuma outra parte do mundo. A Grom gelateria citada no artigo é muito industrializada. Para quem procura um verdadeiro gelato eu indicaria a Gelateria Della Musica, não hesite em experimentar o "pistacchio salato" (pistache salgado) e Gianduia com flor de sal. Já segundo o ranking nacional das melhores sorveterias segundo a página gastronômica mais famosa da Itália, Dissapore, o terceiro melhor gelato é o da Gelato Giusto de Milão. Confesso que provei e não achei tudo aquilo, ainda prefiro a Gelateria dellla Musica.
    - Mariana Zarpelão

Adicionar comentário

Assine nossa newsletter

Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.