De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

SP24hrs

Porque para amar São Paulo não é preciso firulas.

As boas do fim de semana no Recife: 06.07

Quem escreveu

Júlio Cavani

Data

05 de July, 2018

Share

Mestre Luiz Paixão e Aglaia Costa

Grande mestre da rabeca, Luiz Paixão tocará junto com Isaar e Aglaia Costa. Foto: Joa Azria

As festas juninas já passaram, mas o som da rabeca continuará a soar durante o ano inteiro graças a grandes mestres como Luiz Paixão, que faz show neste sábado junto com a também rabequeira Aglaia Costa. Na voz, a convidada especial é a cantora Issar. Tem tudo pra ser uma noite com aquele clima cultural bem típico do Poço da Panela. Além de forró, o repertório será dedicado ao coco e a músicas de cavalo marinho. É uma ótima chance para apreciar o som de um dos maiores gênios desse tradicional instrumento de cordas.

Mestre Luiz Paixão, Aglaia Costa e Isaar. Sábado (07.07) das 17h às 22h. Ingressos: R$ 15 (antecipados) e R$ 20 (na hora).
Casa Astral. Rua Joaquim Xavier de Andrade, 104, Poço da Panela.

Peraí que tem mais:

Roda de choro e samba de alto nível para abrir os trabalhos do fim de semana.
Aniversário de Bozó das Sete Cordas. Quinta (06.07) às 21h. Grátis.
Mercearia do Braz. Rua Visconde de Goiana, 139, Boa Vista, Centro.

Bastante cuidadoso nas produções, o cantor Paes faz o primeiro show de seu novo disco marcado por uma suave introspecção viajante. Barro e os DJs do coletivo Pop Briseiro também participam da festa.
Paes, Barro e Pop Briseiro. Quinta (05.07) a partir das 21h. Ingressos: R$ 15.
Baile Perfumado. Rua Carlos Gomes, 390, Prado.

Demonstração pública de como o trombone é um instrumento fundamental para o frevo.
Nilsinho Amarante. Sábado às 16h. Grátis.
Paço do Frevo (área externa). Praça do Arsenal, Bairro do Recife, Centro.

O coletivo De Leão, que faz música eletrônico-percussiva-vocal, leva seus sons para um local acolhedor.
Coco Sideral. Sexta (06.07) às 19h. Pague quanto quiser.
Espaço Ovni. Estrada dos Pintos, 3, Dois Irmãos.

Já bastante admirado pelo público das bandas Marsa e Forró na Caixa, o cantor Martins também aplica sua voz suave em um projeto solo.
Martins no Ouvindo e Fazendo Música. Sábado (07.07) às 17h. Ingressos: R$ 3 (meia) e R$ 6.
Museu do Estado. Avenida Rui Barbosa, 960, Graças.

Sete grupos participam de um minifestival coquista em plena praça do Morro.
Samba Coco Zé Neguinho. Sábado (07.07) às 18h. Grátis.
Praça do Morro da Conceição. Casa Amarela.

Festança com o Afoxé Babá Orixalá FunFu, o Coco de Umbigada e mestres convidados
Sambada do Coco de Guadalupe. Sábado (07.07) às 21h. Grátis.
Beco da Macaíba. Rua João de Lima, 42, Guadalupe, Olinda.

Continua firme e forte o amor entre o Recife e a banda baiana mais afrobombástica da atualidade.
Baiana System no Bud Basement. Sábado (07.07) às 22h. Ingressos: R$ 50.
Cachaçaria Carvalheira. Rua Manoel Didier, 53, Imbiribeira.

Quem escreveu

Júlio Cavani

Data

05 de July, 2018

Share

Júlio Cavani

Durante três meses em Nova York em 2010, Júlio não trabalhou e nem estudou. dedicou todos os dias e noites da viagem a shows, exposições e cinemas. Na verdade, a vida dele é assim o ano inteiro, todos os anos, em qualquer cidade onde esteja. Quando trabalha, procura sempre algo relacionado a arte, filmes e música. Quando tem tempo livre, busca as mesmas coisas (ou ambientes com muita natureza). Também desenvolve os próprios projetos artísticos, influenciado por tudo o que vê e ouve. Ele ainda é conhecido por conseguir provar que sempre é possível encontrar coisas legais para fazer no Recife e por estar em vários lugares ao mesmo tempo.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.