As boas do fim de semana por Jack Apple

Os melhores eventos para curtir em casa ao lado de Jack Apple.

Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

SXSW

Cobertura pré e pós do SXSW 2020 com as melhores dicas: quais são as palestras, ativações, shows e festas imperdíveis no festival.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

Naia, o restaurante que te leva para a praia sem sair de SP

Quem escreveu

Renato Salles

Data

08 de July, 2021

Share

Apresentado por

O Naia Restaurante é a nova empreitada do chef Tuca Mezzomo, que tem como foco trazer a gastronomia e as histórias da praia dentro do prato.

Foram tantos meses sem por os pés em um restaurante que até perdi a conta. Mas um convite recebido na semana passada me deu tantos bons motivos para sair de casa que acabou sendo irrecusável. Primeiro porque era a semana de estreia de um novo lugar em São Paulo, e meu coraçãozinho machucado estava precisando de uma novidade. Segundo porque o Naia é especializado em peixes e frutos do mar, e eu queria matar a saudade do mar (mesmo que só pelo paladar). E terceiro porque quando o chef Tuca Mezzomo (do Charco) chama, você só vai.

Aquário cheio de ostras vivas do chef Tuca Mezzomo
Aquário cheio de ostras vivas

Restaurantes focados em frutos do mar me deixam inseguro. Acho que muitos estão preocupados demais em emular um ambiente de praia com decorações duvidosas à base de redes de pesca e conchas de plástico (já vi até lugar com areia no lugar no piso!), e pouco preocupados com o frescor e o sabor dos ingredientes. Não é o caso do Naia. A ambientação ali é bastante austera, e não fosse pelo verde suave nas paredes e algumas luminárias de palha trançada, esse poderia ser um restaurante urbano de qualquer coisa. A atenção e a energia estão voltadas para um pouco mais importante da experiência: a comida.

Ambiente sem afetação do Naia Restaurante

Peixes, ostras, camarão, lagosta, caviar, tudo no cardápio do Naia chega à mesa fresquíssimo, como se tivesse sido pescado ali do lado. Já na entrada, um tanque de água salgada armazena as ostras vivas, que saem dali para o prato em duplas. Você ainda pode escolher que prefere as ostras vindas de Florianópolis ou de Cananéia (ou ainda pedir as duas para comparar o sabor). Aliás, no menu enxuto, a maioria dos pratos é servida assim, em porções pequenas, para você experimentar de tudo. A sensação das entradas é o tempurá de flor de abobrinha recheada com camarão, mas meu favorito foi o mexilhão servido com vinagrete, para se comer como se fosse ostra mesmo. E olha que nem sou fã de mexilhão.

Mexilhão à vinagrete, frutos do mar frescos do Naia, nos Jardins
Mexilhão com vinagrete, para comer com a mão mesmo
Pasteis de lagosta, frutos do mar, Naia Restaurante
Pasteis de lagosta

Entre as entradas e os pratos principais estão os pratos da grelha, meio prato meio aperitivo. Ali estão delícias como as vieiras em caldo de presunto e a endívia com creme de vôngole. Todas as receitas são assim, inesperadas e cheias de personalidade. E mesmo quando o prato é o básico do básico, como o arroz de polvo, Mezzomo consegue preparar com tanto carinho que ele parece ser algo novo. Esse arroz vem em uma panelinha de ferro, bem tostado, com tentáculo do polvo inteiro por cima, super macio. E você vai querer comer até o fim para poder aproveitar o socarrat, aquela raspa de arroz queimado no fundo que é motivo de disputa nas paellas da Catalunha.

Vieiras com ervilha em caldo de presunto
Arroz de polvo com socarrat do Naia
O arroz de polvo vem queimadinho por baixo

Todos esses sabores inusitados podem ser acompanhados pela carta de drinks elaborada pelo Jean Ponce, do Guarita. E também aqui as surpresas estouram como as ondas. Os drinks são, além de saborosos, todos contam uma história própria. O que leva no nome do restaurante (Naia em euskera, língua do País Basco, significa ‘espuma do mar’) leva vinho jerez, gim, azedinho de maracujá e espuma de água do mar. É impossível não sentir a brisa do mar já no primeiro gole. Já o Cais leva aguardente com folhas de tangerina, concentrado cítrico de capim santo, chá mate e folhas de hortelã. O copo ainda vem coberto por uma farofinha de castanha de caju, como se estivesse sujo de areia. É para se sujar e se lambuzar mesmo. Por fim, também uma extensa carta de vinhos de todos os tipos.

Drinks criados pelo Jean Ponce no Naia Restaurante
À esquerda o Cais e à direita o Naia, criações do Jean Ponce

E se mesmo no inverno, o clima do Naia é de praia, para fechar essa ode gastronômica ao mar, nada mais adequado que um sorvete! A única sobremesa do restaurante não podia ser outra: um mini-picolé de manga com maracujá, cremoso por dentro e com uma casquinha crocante em volta. Simples, fresco e leve como deve ser o clima no litoral, e como é tudo que fazem ali no Naia.

Mini-picolé de manga com maracujá, uma tentação
Mini-picolé de manga com maracujá, uma tentação

Naia Restaurante
Rua Dr. Melo Alves, 767 – Jardins
Terça a sábado, das 17h às 21h. Domingo, das 13h às 16h
T.: (11) 3086-4722 – Whats.: (11) 97323-1187

Veja também:
Portinha Artois – o restaurante temporário que une gastronomia e cultura
Menu em Casa: Os melhores deliveries de restaurantes asiáticos em São Paulo
Casa Verrone: tour de vinhos na Serra da Mantiqueira

Quem escreveu

Renato Salles

Data

08 de July, 2021

Share

Apresentado por

Renato Salles

Para o Renato, em qualquer boa viagem você tem que escolher bem as companhias e os mapas. Excelente arrumador de malas, ele vira um halterofilista na volta de todas as suas viagens, pois acha sempre cabe mais algum souvenir. Gosta de guardar como lembrança de cada lugar vídeos, coisas para pendurar nas paredes e histórias de perrengues. Em situações de estresse, sua recomendação é sempre tomar uma cerveja antes de tomar uma decisão importante. Afinal, nada melhor que um bom bar para conhecer a cultura de um lugar.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.