Bombay Saphire no Festival Path

Está pronto para inspirar-se, provocar-se e despertar a mais pura criatividade que existe em você? Acompanhe as novidades do Festival Path, com Bombay Sapphire!

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Vivendo la dolce vita no Lago de Como

Quem escreveu

Pedro Ivo Dantas

Data

20 de February, 2018

Share

Tenho um amigo que diz que a Itália nunca decepciona, e é verdade: seja na história de Roma, na natureza da Toscana ou na gastronomia da Sicília, cada viagem, cada descoberta de um pedacinho do bel paese, é uma aventura maravilhosa. Assim, não vai surpreender ninguém que a região dos lagos italianos, mais precisamente a região ao redor do Lago de Como, proporciona uma daquelas experiências inesquecíveis, de fazer inveja nos amigos: montanhas nevadas, lagos de água cristalina, belíssimas vilas medievais, e aquele charme que só a Itália tem. Não é a toa que foi o local escolhido por George Clooney pra fixar residência durante parte do ano – o ator possui uma belíssima villa na região.

lago de como, itália, alpes
Lago de Como. No inverno, frio mas ensolarado. Foto de Inácio Bo.

O Lago de Como fica no extremo norte da Itália, fazendo fronteira com a Suíça, literalmente aos pés dos Alpes. A cidade mais próxima, e provavelmente seu ponto de partida pra explorar a região, é Milão. De lá até a cidade de Como são pouco menos de 2 horas de trem ou carro (aliás, vale muito a pena alugar um carro pra explorar a região com calma). É o terceiro maior lago italiano, com 146km2, e se divide em 3 áreas: sul, centro e norte.

lago de como, itália, alpes, como
O bonito centrinho de Como. Foto de Inácio Bo.

O sul é dominado pela cidade de Como, a principal povoação às margens do lago e que lhe empresta o nome. A cidade tem cerca de 80 mil habitantes e não é a principal razão pela qual você vai visitar a região. Mas vale a pena reservar um dia pra percorrer seu preservado centro histórico, checar a bela Catedral (Duomo di Como) e, principalmente, dar uma volta no funicular que leva à vila de Brunate, numa viagem de cerca de 7 minutos e 500 metros de deslocamento vertical (tente pegar um lugar no primeiro carrinho do funicular pra garantir as melhores vistas!)

lago de como, itália, alpes, brunate
Subida de funicular pra Brunate. Foto de Inácio Bo.
Pôr do sol no alto de Brunate. Foto de Inácio Bo.

Brunate é uma graça e cheia de mirantes com vistas lindíssimas da cidade e do lago. Bem próximo da estação do funicular há um café/restaurante panorâmico. Mas se você estiver se sentindo com mais energia, pode fazer algumas das trilhas que cortam a vila.

É na região central do lago que estão as vilas mais pitorescas: Mennagio, Bellagio e Varenna, cada uma situada numa das pontas de um triângulo atravessado pelo lago. Mennagio, na margem oeste, é a maior e mais estruturada das 3. É facilmente atingível desde Como via carro, ônibus ou barco. A vila está centrada na Piazza Garibaldi e toda a margem do lago é tomada de passeios e pequenos parques, perfeitos pra flanar e desfrutar a paisagem. Um pouco ao sul de Mennagio fica Tremezzo, onde se situa a Villa Carlota, um belíssimo palacete com maravilhosos jardins que podem (e devem) ser visitados.

lago de como, itália, alpes, bellagio
Bela Bellagio. Foto de Inácio Bo.

Com uma curta viagem de ferry você chega a Bellagio, a mais emblemática e mais bela (título bem disputado!) das vilas às margens do lago. Bellagio vive basicamente de turismo, por isso, quando visitei no inverno, a vila estava bem vazia, com poucos visitantes e vários restaurantes fechados (por outro lado, no verão, como esperado, tudo fica absolumente lotado). Não importa: percorrer suas ruelas de paralelepípedos, admirando o casario antigo, todo em tons ocres, parando de vez em quando pra tomar um vinho ou gelatto enquanto aprecia a paisagem, vale a pena em qualquer época do ano.

bellagio
Ruelas de Bellagio, vazias no inverno. Foto Inácio Bo.

Varenna não vai trazer nada que você não tenha visto nas outras vilas: mais ruelas, mais casario ocre, mais piazzas onde curtir il dolce far niente e mais vistas maravilhosas: precisa mesmo de mais?

No norte a paisagem do lago muda bastante, com uma área alagadiça e um povoamento muito mais recente, que lembra mais uma cidadezinha do interior dos EUA que uma vila medieval italiana. A menos que esteja com tempo sobrando, não vale a visita.

lago de como, suíça, alpes, lugano
Lugano. Foto de Inácio Bo.

Já um passeio fácil de fazer e que vale muito a pena é dar um pulo na Suíça. Mennagio fica a cerca de 20km da fronteira, e com mais 10km chega-se à cidade de Lugano, às margens do lago de mesmo nome. O ônibus C12 faz esse trajeto, caso não esteja de carro. Vale lembrar que a Suíça não faz parte da União Europeia e, portanto, em teoria você deveria passar pela alfândega cada vez que atravessasse a fronteira. Na prática, nas duas ocasiões em que fiz isso, de carro, ninguém nos incomodou. Por outro lado, parece que São Pedro tem bastante respeito pela fronteira: enquanto os dias que passamos na Itália foram todos ensolarados, do lado de lá da borda o tempo estava bem mais fechado e cinzento.

lago de como, suíça, alpes, lugano
No alto do Monte Bré dá pra brincar na neve! Foto de Inácio Bo.

Lugano é uma bela cidade, e se não tem o charme histórico e decadente das vilas italianas, mais que compensa com sua sofisticação cosmopolita. Compensa muito subir os montes Bré ou San Salvatore, ambos servidos por funicular, e de onde se tem aquelas vistas de cartão postal praticamente pra qualquer direção que se olhe (e, no inverno, ainda pode se divertir brincando com a neve!)

Panorâmica de Lugano, do alto do Monte Bré. Com as montanhas e o lago, até que lembra um Rio de Janeiro glacial. Foto de Inácio Bo.

A gastronomia da região, como em todo o norte da Itália, é mais puxada na manteiga que no azeite de oliva e não dá tanta bola pro tomate. A polenta é especialmente apreciada, até mais que massas, bem como vitela, queijos (tallegio) e muitos embutidos e carnes curadas (não deixe de experimentar os salames e a brasseola!) Sendo um lago, não poderiam faltar também os pescados. Um fritto misto di lago é, como o próprio nome indica, um prato de peixes típicos da região, fritos e servidos normalmente somente com rodelas de limão e as vezes alguma salada. Simples e delicioso! E, claro, nenhuma viagem pra Itália fica completa sem uma bela seleção de vinhos pra alegrar a vida. Os da região de Montevecchia são bem recomendados, mas a verdade é que é difícil fazer uma escolha ruim nessa área.

*Foto destaque: Lago di Como por Riccardo

Quem escreveu

Pedro Ivo Dantas

Data

20 de February, 2018

Share

Pedro Ivo Dantas

Paraense radicado em Lisboa. Engenheiro, cozinheiro e cervejeiro, sem ordem específica de preferência. Viajante de vocação.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.