De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

Guia de sobrevivência no Uruguai

Quem escreveu

Dani Valentin

Data

26 de September, 2017

Share

Eu decidi “morar” em setembro desse ano em Montevidéu. A escolha se deu por vários motivos: eu ainda não conhecia o Uruguai, queria saber mais sobre o país que anda aplicando políticas consideradas de vanguarda e sei que existem várias cidades menores interessantíssimas para fazer um bate-volta. O mês está chegando ao fim, vamos embora na próxima sexta, mas dele, surgiram 3 guias dos lugares mais legais que conhecemos por aqui. Mas eu senti falta de algo mais, daquelas dicas que se tivessem me contado desde o começo, talvez eu não teria passado por alguns perrengues. Então resolvi juntar as 7 dicas que considero preciosas e que com certeza vão ajudar quem quiser dar um pulinho por aqui. Montevidéu, você vai deixar saudades!

Evite taxi

Assim como em vários outros lugares por aí, evite pegar taxi. O sistema de ônibus, pelo menos em Montevidéu. é bem completo e tem ônibus em vários lugares e em todos os horários. O Uber funciona bem também. O problema do táxi por aqui não é ele ser desonesto ou ruim, mas principalmente porque é muito caro comparado às outras alternativas. Um Uber do aeroporto sai por quase a metade do preço. Então fica a dica: ao chegar no aeroporto de Montevidéu, procure pela lojinha da Antel e compre um chip pré-pago para o seu celular – 500GB custam em torno de 1000 pesos – e já use o Uber para sair de lá.

Foto: Dani Valentin
Foto: Dani Valentin

Pague restaurantes com cartão de crédito

Se em todos os outros lugares do universo, a gente evita usar o cartão de crédito, por causa de tooooodas as taxas, no Uruguai, ele é mais do que bem-vindo em restaurantes e bares. Isso porque, como já contamos aqui, o VAT (Imposto de Valor Agregado) é extornado, sem que seja necessário fazer nada. O total do imposto é 20% do valor, mas podemos contar que com o desconto do IOF (6,38%) e o custo de processamento (1,5%), cerca de 10% voltam pra você.

Porém, certifique-se SEMPRE que eles aceitam

Um dos nossos bares preferidos, o Candy Bar, é um desses lugares que não aceita cartão. Foto: Dani Valentin
Um dos nossos bares preferidos, o Candy Bar, é um desses lugares que não aceita cartão. Foto: Dani Valentin

Vamos então enlouquecer e pagar tudo com cartão? Peraí que a história não é bem assim. Na verdade é bem comum encontrar por aqui bares e restaurantes que não aceitam cartão de crédito. E não ache que isso é só coisa de lugar simples, sem muita estrutura; você provavelmente vai esbarrar naquele restaurante chique e com vinhos caros que vai fazer você suar frio na hora de pagar a conta – sim, aconteceu comigo. Por isso, sempre pergunte antes se a opção está disponível, porque muitos só vão te informar quando você pedir a maquininha.

Prepare-se para dar de cara com a porta

Uma coisa que os uruguaios não são muito bons é deixar informações sobre serviços disponíveis na internet. Você pode apelar para o site que for – Google, Yelp, Foursquare, TripAdvisor – a triste verdade é que se você tiver a grande sorte de achar o horário de funcionamento, existe a grande possibilidade ainda de que ele não esteja correto. Em Montevidéu não existem ruas lotadas de restaurantes e bares, como temos no Brasil, as opções são um pouco afastadas, então quando saímos já temos que ter em mente onde queremos ir. E é nessa que você provavelmente vai dar de cara com a porta – justo naquela hora que sua barriga está roncando e seu humor faz com que nem o cachorro da rua queira ser seu amigo. Então, tenha sempre um plano B. E seja paciente!

Viaje de ônibus

De Montevideo a Colonia del Sacramento, a viagem dura 2:30 e custa 350 pesos. Foto: Dani Valentin
De Montevideo a Colonia del Sacramento, a viagem dura 2h30 e custa 350 pesos. Foto: Dani Valentin

Como o país é pequeno, viajar de ônibus é uma das melhores pedidas para conhecer novos lugares de forma rápida e barata. Compensa muito ter uma base em algum lugar, como Montevidéu, e aproveitar para fazer bate-volta de um dia para outros pontos de interesse, como Colonia del Sacramento ou Punta del Leste. Existem alguns sites para compras online como o Urubus, ou os sites das próprias companhias, como a COT. De toda a forma, existem muitas opções e em vários horários, por isso é muito fácil comprar na hora, sem problemas.

Beba vinho

A livraria Escaramuza tem um café onde é posssível almoçar e a taça de vinho custa 90 pesos. Foto: Dani Valentin
A livraria Escaramuza tem um café onde é posssível almoçar e a taça de vinho custa 90 pesos. Foto: Dani Valentin

Vamos chover no molhado aqui. Mas a verdade é que a gente sempre fala dos vinhos chilenos e argentinos e esquecemos dos uruguaios. Eles estão arrasando no que fazem. Independente de tudo, a cerveja no pais não compensa, e nem vamos falar das artesanais. Dá para comprar um ótimo vinho no supermercado por menos de 20 reais, e nos restaurantes, sempre é possível pegar vinho em jarra. Se você ainda não conhece rótulos uruguaios, indicamos o Don Pascual, com opções a partir de 18 reais; se quiser um mais barato ainda o Traversa custa 13 reais no supermercado e é um ótimo custo-beneficio.

Venda reais

Tirar dinheiro por aqui não é tão fácil como em outros países. Não é em todo lugar que você encontra um caixa eletrônico. Além disso, os caixas cobram de 10 a 17 reais por saque. E, tem o limite também: cerca de 500 reais por retirada. No fim, uma forma fácil e mais barata de ter dinheiro aqui é trazendo reais. Primeiro porque você vai conseguir por eles um preço melhor que conseguiria no Brasil. E depois porque é muito fácil encontrar casa de câmbio e todas trocam reais.

* Foto de capa: Daniella Valentin

 

Quem escreveu

Dani Valentin

Data

26 de September, 2017

Share

Dani Valentin

A Dani gasta todo o seu dinheiro com viagens. Um de seus maiores orgulhos é dizer que já pisou em cinco continentes. É do tipo sem frescura, que prefere localização a luxo e não se importa de compartilhar o banheiro de vez em quando. Adora aprender palavras no idioma do país que vai visitar e não tem vergonha de bancar a turista.

Ver todos os posts

Comentários

  • Olá, Dani, muito legal o post. Acrescentando, você pode pedir o Uber do aeroporto sem a necessidade de comprar um chip, porque o wifi funciona perfeitamente e ajuda na hora de solicitar um motorista. Você é recém chegou por aqui, mas deve ter percebido que o custo de vida é caro. O cambio da moeda tornou Montevideo a cidade mais cara da América Latina para se viver. Por isso, o aluguel, gastos comunes e comida possuem valores tão elevados. Para economizar, o segredo é fazer compras em feiras e preparar a sua própria refeição. Apesar de tudo isso, a cidade é encantadora, de fato!
    - Gabriela Chabatura
    • Oi Gabriela, você tem razão! Na ida já compramos o chip direto e por isso nem vi se a internet do aeroporto era boa, mas agora na volta, usei bem ela. O custo de vida é caro sim, achei que iria ser mais barato. Achei comer fora bem caro mesmo, tenho a impressão que no Brasil achamos lugares mais caros, mas também mais baratos. A gente fez comida em casa algumas vezes pra economizar! beijos!
      - Daniella Valentin
  • Olá, Dani, muito legal o post. Acrescentando, você pode pedir o Uber do aeroporto sem a necessidade de comprar um chip, porque o wifi funciona perfeitamente e ajuda na hora de solicitar um motorista. Você é recém chegou por aqui, mas deve ter percebido que o custo de vida é caro. O cambio da moeda tornou Montevideo a cidade mais cara da América Latina para se viver. Por isso, o aluguel, gastos comunes e comida possuem valores tão elevados. Para economizar, o segredo é fazer compras em feiras e preparar a sua próprio refeição. Apesar de tudo isso, a cidade é encantadora, de fato!
    - Gabriela Chabatura

Adicionar comentário

Assine nossa newsletter

Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.