Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Eventos gratuitos SP por Catho

Guia semanal de eventos gratuitos para curtir em São Paulo

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Nomadismo Digital por Treviso

Trabalhando e viajando ao mesmo tempo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

Dekmantel 2017: mais um ano com um festival impecável

Quem escreveu

Renato Salles

Data

21 de August, 2017

Share

Pode parecer puxa-saquismo nosso, porque sempre falamos sobre o festival Dekmantel por aqui. E é mesmo. Nós acreditamos que coisa boa nós temos mais é que falar bem sempre, para que todo mundo fique sabendo. Então não tem motivo para não contar de cada detalhe, de cada edição, de um dos melhores festivais de música do mundo (não sou só eu falando, e você pode comprovar isso aqui, aqui e aqui). O evento de 2017 que aconteceu no começo do mês não foi diferente, e deixou em êxtase as 10 mil pessoas que passaram pelo Amsterdamse Bos em cada um dos 3 dias.

Amsterdamse Bos - foto: Bart Heemskerk
Amsterdamse Bos – foto: Bart Heemskerk

Em termos práticos e operacionais, pouca coisa mudou em relação ao ano passado. O transporte  com shuttle funcionou redondinho, os bares e banheiros quase nunca tinham fila, havia água potável gratuita para todo mundo dançar hidratadinho, e todos os palcos estavam todos lá no mesmo lugar, com a relva verde de pano de fundo. Afinal, reza a lenda que não se mexe em time que está ganhando. As novidades foram sutis, mas efetivas.

Tom Trago no palco Main - foto: Bart Heemskerk
Tom Trago no palco Main – foto: Bart Heemskerk

Para começo de conversa, a programação fora do bosque estava tão intensa que este ano contou com 2 dias antes do festival em si. Já na quarta-feira, Steve Reich fez um esquenta de primeiríssima ao lado do percussionista Slagwerk Den Haag. Assim, os shows de quinta já estavam em clima de ferveção desde cedo. Mesmo tendo só uma hora, estavam todos lotados e animadíssimos. Culpa do line-up caprichado que foi do jazz espiritual de Idris Ackamoor ao disco cult do brasileiro Marcos Valle. Com o FOMO batendo forte, conseguimos ver o post-punk dançante do A Certain Ratio, e o live denso do Factory Floor.

Marcel Dettman abre o segundo dia no palco Selector - foto: Yannick van de Wijngaert
Marcel Dettman abre o segundo dia no palco Selector – foto: Yannick van de Wijngaert

Outra novidade do Dekmantel 2017 foi uma mexida estratégica no line-up do bosque, que funcionaram como bolas de efeito para arrastar as multidões. Os 3 dias tiveram nomes potentes logo na abertura no palco Selectors, conhecido por fazer os DJs sairem de sua zona de conforto para tocar só suas referências. E assim foi logo no início da sexta-feira, com a musa Nina Kraviz. O sábado teve Marcel Dettmann, e no domingo foi a vez do Motor City Drum Ensemble. O fechamento também ficou a cargo de gigantes que garantiram um festival cheio do primeiro minuto ao último. Foi o caso do Ben UFO, DJ Nobu, Young Marco, e Antal & Hunee, que trouxe a galera abaixo nos momentos finais do festival.

Hunee & Antal fecham o palco Main no Dekmantel 2017 - foto: Yannick van de Wijngaert
Hunee & Antal fecham o palco Main no Dekmantel 2017 – foto: Yannick van de Wijngaert

Entre tantos caras conhecidos, a mulherada mostrou que tem um time poderoso, que o Dekmantel 2017 fez questão de valorizar. Além da Nina, o time de minas contava nomes como com Eclair Fifi, Shanti Celeste, Peggy Gou, Lena Willikens, Beatrice Dillon, Inga Mauer, Marie Davidson e a fantástica Helena Hauff. E fechando com chave de ouro, o line-up ainda trouxe surpresas bombásticas como o back-2-back de Joy Orbison com Jon K, que fez o palco Greenhouse tremer literalmente.

Helena Hauff - foto: Bart Heemskerk
Helena Hauff no palco Greenhouse – foto: Bart Heemskerk

O Dekmantel 2017 foi, em suma, tão perfeito quanto vinha sendo nos últimos anos, o que só faz provar que o festival ainda tem uma longa vida pela frente. O combo curadoria de primeiríssima, locação cenográfica, organização impecável e um público preocupado em se divertir não tem como dar errado. Quem estiver afim de garantir lugar no festival do ano que vem tem que ficar de olho, porque as duas últimas edições tiveram os ingressos esgotados meses antes do evento. O bom é que, como já falamos, eles já estão com uma segunda edição marcada em São Paulo em 2018, e ainda em 2017 eles vão fazer um tour pela América do Sul, que passa por SP e Rio. Não dá para perder.

*Foto do destaque: Bart Heemskerk

Quem escreveu

Renato Salles

Data

21 de August, 2017

Share

Renato Salles

Para o Renato, em qualquer boa viagem você tem que escolher bem as companhias e os mapas. Excelente arrumador de malas, ele vira um halterofilista na volta de todas as suas viagens, pois acha sempre cabe mais algum souvenir. Gosta de guardar como lembrança de cada lugar vídeos, coisas para pendurar nas paredes e histórias de perrengues. Em situações de estresse, sua recomendação é sempre tomar uma cerveja antes de tomar uma decisão importante. Afinal, nada melhor que um bom bar para conhecer a cultura de um lugar.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.