De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

Os melhores eventos de janeiro em Beagá

Quem escreveu

Tiago Belotte

Data

25 de January, 2018

Share

Patrocínio

Faces na Rua é uma parceria do Chicken or Pasta? e de Natura Faces para trazer a melhor programação dos fins de semana, para sair na rua e aproveitar a vida da cidade em 6 capitais do Brasil.

Volta aí 10 anos no tempo. Lembra como era Janeiro em Beagá? Quase todo mundo de férias, provavelmente em alguma praia, e a cidade deserta. Os poucos que permaneciam, comemoravam o trânsito tranquilo da cidade. É bom olhar pro lado positivo das coisas, né? Porque o sol de verão castigava do mesmo jeito. Voltando para 2018, o que temos? Uma cidade fervendo, de calor? Também. Mas de uma programação cheia de ensaios de Carnaval e de outras diversas atrações. Exemplo? O Verão Arte Contemporânea vem em mais uma edição com peças, espetáculos músicas e mostras de cinema incríveis. Até a Campanha de Popularização de Teatro tem peça bem legais que estão fugindo do clichê de humor barato. Os tempos são outros e nosso guia especial de janeiro veio pra mostrar que se você está em Belo Horizonte tem muita coisa boa além do trânsito tranquilo. Vem que eu te mostro.

*Foto destaque: Phoenix por Jeremy D. Larson/Radio.com

Quem escreveu

Tiago Belotte

Data

25 de January, 2018

Share

Patrocínio

Tiago Belotte

Tiago Belotte é apenas um curioso que nas horas vagas está à frente do CoolHow – laboratório de inteligência criativa sediado em Belo Horizonte. Aliás, BH é cidade de nascimento, mas é também uma escolha. Tanto que junto com dois amigos fundou o Beagá Cool – prêmio que virou distrito de negócios criativos, ousados, originais e locais.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.