De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

SP24hrs

Porque para amar São Paulo não é preciso firulas.

As boas do Natal e Ano Novo em Curitiba

Quem escreveu

Braian Boguszweski

Data

21 de December, 2017

Share

Patrocínio

Faces na Rua é uma parceria do Chicken or Pasta? e de Natura Faces para trazer a melhor programação dos fins de semana, para sair na rua e aproveitar a vida da cidade em 6 capitais do Brasil.

Vai chegando a hora de tocar o jingowbeu, mandar pra dentro as 12 uvinhas e deixar mais um ano pra trás. Entre tantas adversidades que 2017 nos fará lembrar, há pelo menos duas grandes lições para o próximo ano: esperança e resistência. E nenhuma delas é possível sem lubrificar a vida com bons momentos de alegria. Por isso, a última seleção do ano traz boas saídas para o desanuviar de quem fica na cidade. O fim de semana natalino tem de tudo: Trombone de Frutas, KL Jay, BNegão, Só O Soul Salva, finaleira da Kubik, a boladona “S U B T a”, festinha das Excluídas e além. No Réveillon o bicho pega com as clááássicas festinhas da cidade. Tem Caliente, Brasilidades e Baile Charme rasgando a madruga da virada. Agora, se o pique é outro, também tem opção pra quem quer dar uma fugidinha da metrópole, seja na good vibe do Festival Bons Tempos, em Morretes, ou nas alturas da montanha. O guia está no ar, faça sua escolha e seja feliz! Do jeito que você quiser! Sempre na responsa e no respeito! Que 2018 nos mereça! Avante, moçada!

*Foto destaque: Trombone de Frutas por Walter Thoms

Quem escreveu

Braian Boguszweski

Data

21 de December, 2017

Share

Patrocínio

Braian Boguszweski

Braian Boguszewski é curitibano, ciclista e cidadão de esquerda. Trabalhou em redação de jornal durante três anos, até que um passaralho alterou sua rota. Atualmente faz bicos como jornalista, fotógrafo e produtor cultural, além de ensaiar uma vida acadêmica, tão incerta quanto considerada. A juventude dos 26 anos encara a aproximação dos 30 como o limiar para uma escolha definitiva. Enquanto a vida se reveza, a escrita enseja tudo o que é provisório, e paga as contas.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.