De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Eventos gratuitos SP por Catho

Guia semanal de eventos gratuitos para curtir em São Paulo

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Nomadismo Digital por Treviso

Trabalhando e viajando ao mesmo tempo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

Livrarias brasileiras que você precisa conhecer

Quem escreveu

Renato Salles

Data

18 de December, 2018

Share

A notícia não tem nada de novidade, mas foi um baque ficar sabendo da bancarrota da Livraria Cultura e da Saraiva, as duas maiores redes de livrarias do Brasil. A verdade é que o mercado editorial brasileira vai de mal a pior, mesmo com crescimento das vendas em mais de 10% no primeiro semestre de 2018. A questão é que essas grandes livrarias tinham uma péssima gestão e, já fazia tempo, davam calote atrás de calote nas editoras, deixando muitas delas numa situação bem difícil.

Daí que o Luiz Schwarcz, presidente da Companhia das Letras, uma das maiores editoras do Brasil e responsável por alguns dos maiores lançamentos literários, escreveu uma carta aberta fazendo um apelo: ajudem as livrarias e as editoras do Brasil dando livros no Natal.

Eu sou um comprador voraz de livros, mas admito que me entreguei ao Kindle nos últimos anos. Nada contra os livros digitais, tá? Eles são bacanas, economizam papel e pagam direito para os autores e editoras. Pouco, mas pagam. Mas o livro de papel, aquele que nunca vai ser substituído completamente por nenhuma tecnologia, tem um papel (dã!) muito importante em toda a cadeia produtiva literária.

Se você curte ler, dar livros é o melhor jeito de você fazer mais livros existirem. Editoras ganham e podem investir em lançamentos, livrarias prosperam e facilitam nosso acesso, e teus presenteados podem se juntar ao movimento e começar a comprar mais livros também. Todo mundo ganha.

Ok, mas onde comprar? Eu sei que livraria é um bicho em risco de extinção, mas elas ainda existem. Fiz uma lista bem grande de livrarias (não-caloteiras) para todo mundo ter pelo menos alguma por perto e não vir com aquela desculpa de comprar tudo online. Ir na livraria é toda uma experiência: pegar os livros na mão, passar horas folheando, pedir indicações para os vendedores, perder um tempo lendo algum trecho… Vai lá!

E se não sabe ainda que livros dar de presente, a Gaía fez uma seleção perfeita para a família de viajantes!

São Paulo

sala tatuí, livrarias brasileiras, livrarias no Brasil
Sala Tatuí – foto: Divulgação

Martins Fontes – Quem está órfão de comprar livros na Av. Paulista, já que aquela grandona do Conjunto Nacional é #ciladabino, pode andar mais alguns quarteirões e se deleitar com os mais de 1000m2 da Martins Fontes, com acervo de mais de 120 mil livros.

Av. Paulista, 509 – Jardim Paulista
Seg. a sex, das 8h às 22h. Sáb, das 9h às 22h. Dom, das 10h às 20h.

Livraria Zaccara – Resistindo desde 1982, a Zaccara começou como loja de discos, e hoje reúne livros, CDs e vinis. A sensação é de se estar na sala de casa, com várias obras de arte espalhas, o cheiro que vem do café, as apresentações de música, e o atendimento especial do dono Lucio.

Rua Cardoso de Almeida, 1356 – Perdizes
Seg. a sex, das 10h às 20h. Sáb, das 10h às 18.

Sala Tatuí – essa pequena livraria, aberta em setembro desse ano, tem um conceito diferente, e você só pode visitá-la com hora marcada. É quase uma galeria de arte da literatura. No acervo tem obras de editoras independentes de todo o Brasil, e ainda originais de alguns artistas.

Rua Barão de Tatuí, 302 – Santa Cecília
Seg. a sex, das 10h às 19h
Agendamento: por email ou no site

Nove Sete – A criançada geralmente fica relegada a um canto mal arrumado das livrarias. Sorte delas que tem a Nove Sete para chamar de sua. A livraria é especializada em literatura infanto-juvenil, e dá para perder o dia ali com os pequenos.

Rua França Pinto, 97 – Vila Mariana
Seg. a sex, das 10h às 18h30. Sáb, das 10h às 18h.

Livraria Sol – Criada em 1949, a Sol é especializada em todo tipo de material em japonês, indo desde livros e mangás, até revistas e catálogos de artesanato.

Praça da Liberdade, 153 – Liberdade
Seg. a sáb, das 9h às 18h. Dom, das 11h às 17h.

Livraria EDUSP (João Alexander Barbosa) – Para reunir todas as publicações da editora da maior universidade do Brasil, nada mais justo que uma livraria à altura. Fica ao lado da Praça do Relógio, e conta com um café no andar de cima.

Av. Professor Luciano Gualberto, 78 – Cidade Universitária
Seg. a sex, das 9h às 19h45.

Freebook – Especializada em livros importados (mas não só), é daquelas que fazem os bolsos tremerem, mas os olhos se deliciarem.

Rua Barão de Capanema, 199 – Jardins
Seg. a sex, das 10h às 19h. Sáb, das 11h às 17h.

Cooperifa – Não é exatamente uma livraria, mas sim um movimento cultural, mas lá dentro rola venda de livros de autores da periferia. Vale a pena conhecer!

Bar do Zé Batidão: Rua Bartolomeu dos Santos, 797 – Jardim Guarujá
Terças, das 20h30 às 22h30.

Quer mais? A Gaia fez uma lista bem bacana de livrarias alternativas aqui.

Rio de Janeiro

livraria leonardo da vinci, livrarias brasileiras, livrarias do Brasil
Vitrine da Livraria Leonardo da Vinci – foto: Divulgação

Livraria Leonardo da Vinci – Considerada uma das mais tradicionais do Rio de Janeiro, já foi até homenageada em um poema de Drummond. A loja no subsolo do Ed. Marquês do Herval é um dos maiores polos de resistência, desde 1952.

Av. Rio Branco, 185 – Centro
Seg. a sex, das 9h30 às 19h. Sáb, das 9h30 às 13h30.

Livraria Eldorado – Livraria com amplo acervo de material didático, mas também com catálogo que vai da literatura a gastronomia, infanto-juvenil, turismo e religião.

Rua Conde de Bonfim, 422 – Tijuca
Seg. a sex, das 8h30 às 20h. Sáb, das 9h às 17h.

Livraria Prefácio – Com aquela aura de livraria das antigas, mais escura, é daquelas de querer se perder no tempo entre as estantes, com excepcional acervo de cinema e filosofia. E o melhor: tem um bar dos bons na frente.

Rua Voluntários da Pátria, 39 – Botafogo
Seg. a qui, das 9h às 23h. Sex. e sáb, das 9h à 0h.

Livraria Argumento – Apesar de ter surgido em São Paulo, se firmou como ponto de encontro de intelectuais durante a ditadura militar na famosa loja do Leblon, e tem um segundo endereço na Barra.

Rua Dias Ferreira, 417 – Leblon
Seg. a sáb, das 9h às 23h. Dom, das 9h às 22h.

Rio Design Barra: Av. das Américas, 7777 lj 326 – Barra
Seg. a qui, das 10h às 22h. Sex. e sáb, das 10h às 23h. Dom, das 12h às 22h.

Arlequim – Dentro do majestoso Paço Imperial, a Arlequim começou como uma simples loja de CDs, mas virou um misto de livraria, loja de discos, café e bistrô. Programa completo.

Praça Quinze de Novembro, 48 lj 1 – Centro
Seg. a sex, das 10h às 20h. Sáb, das 10h às 18h.

Folha Seca – Tradicionalíssima, a Folha Seca tem um catálogo extenso sobre o próprio Rio de Janeiro, e também CDs e DVDs de música brasileira.

Rua do Ouvidor, 37 – Centro
Seg. a sex, das 10h às 19h. Sáb, das 10h às 17h.

Baratos da Ribeiro – A ideia dessa lista não era trazer sebos, porque estamos falando de comprar livros novos, mas o Baratos da Ribeiro é quase uma instituição cultural carioca, com muito mais do que só venda de livros acontecendo. Vale a pena conhecer!

Rua Paulino Fernandes, 15 – Botafogo
Seg. a sáb, das 11h às 20h.

Belo Horizonte

Livraria da Rua, livrarias brasileiras, livrarias do Brasil
As mesas cheias da Livraria da Rua – foto: Divulgação

Quixote Livraria – Um dos cantos recorrentes dos leitores mineiros, tem uma ótima combinação de atendimento especializado, café com boas opções de comidinhas e bebidas, e um lugar gostoso para bater-papo.

Rua Fernandes Tourinho, 74 – Savassi
Segunda e de qua. a sex, das 9h às 20h. Sáb, das 9h às 16h.

Livraria Scriptum – A poucos metros, na mesma rua, a Scriptum é uma referência do mercado editorial da cidade, e palco de muitos lançamentos e de saraus que conectam escritores e público.

Rua Fernandes Tourinho, 99 – Savassi
Seg. a sex, das 9h às 20h. Sáb, das 9h às 15h.

Livraria do Belas – A livraria anexa ao Cine Belas Artes faz aquela mistura cultural que toda cidade deveria ter. A Livraria do Belas fica dentro de um prédio histórico dos anos 50 que mantem aquela nostalgia do cinema de rua.

Rua Gonçalves Dias, 1581 – Lourdes
Todos os dias, das 13h30 às 21h30

Livraria da Rua – Mistura de livraria com galeria de arte, lugar de encontro e espaço de evento, é uma das mais charmosas de Belo Horizonte. Ali não tem estantes, os livros ficam espalhados em mesas, para serem degustados pelos clientes.

Rua Antonio de Albuquerque, 913 – Savassi
Seg. a sex, das 10h às 19h. Sáb, das 10h às 16h. 

Brasília

sebinho cult, livrarias do brasil, livrarias brasileiras
Agito na porta do Sebinho Cult

Sebinho Cult – O nome surgiu pelo começo módico, numa pequena loja de livros usados. Mas com o tempo o lugar cresceu e passou a ter também discos, camisetas, HQs, card games, jogos de tabuleiro, bonecos, e ainda incorporou um café e um bistrô.

SCLN 406 bloco C lj. 44 – Asa Norte
Seg. a sáb, das 9h às 22h.

Recife

livraria da praça, praça de casa forte, livrarias brasileiras, recife, livrarias do brasil
O casarão da Livraria da Praça

Livraria da Praça – Localizada em uma bonita casa de arquitetura eclética restaurada, a pequena livraria tem um acervo bem organizado, com espaço separado para a literatura infanto-juvenil, e ainda um bar que recebe shows de chorinho e MBP no happy hour ao longo da semana.

Praça de Casa Forte, 454 – Casa Forte
Seg. a qui. e sáb, das 10h às 20h. Sex, das 10h às 22h. Dom, das 12h às 20h.

Porto Alegre

livraria baleia, livrarias brasileiras, livraria em porto alegre
Acervo bem curado da Baleia – foto: Divulgação

Livraria Aurora – Uma das livrarias mais longevas da lista, foi fundada em 1956, e tem um bom acervo de livros novos, semi-novos, usados, e algumas raridades.

Rua Marechal Floriano Peixoto, 505 – Centro
Seg. a sex, das 9h às 19h.

Bamboletras – O ponto forte dessa pequena grande livraria é a curadoria. Lá não se encontram best-sellers de auto-ajuda, mas sim o melhor do mercado editorial selecionado a dedo.

Rua Gen. Lima e Silva, 776 – Cidade Baixa
Seg. a sáb, das 10h às 22h. Dom, das 15h às 22h.

Padula Livros – Funcionando ao mesmo tempo como livraria e sebo, a Padula tem foco em áreas acadêmicas como sociologia, psicologia e filosofia.

Rua Cel. Fernando Machado, 997 – Centro
Seg. a sex, das 10h às 18h30. Sáb, das 9h às 15h.

Livraria Taverna – A pequena livraria também tem um trabalho de editora, dando espaço para publicações independentes, fanzines e livros artesanais.

Rua Cel. Fernando Machado, 370 – Centro
Seg. a sex, das 10h às 19h. Sáb, das 14h às 19h.

Baleia – Essa é uma livraria de ativismo. O acervo é todo focado em publicações de autoras mulheres ou LGBT+. E esse acervo é todo organizado de forma a aproximar os livros por relação entre assuntos. (Temporariamente fechada, mas reabre em 2019)

Rua Santana, 252 – Farroupilha
Seg. a sex, das 10h às 20h. Sáb, das 12h às 18h.

Redes

livraria da travessa, ims paulista, livrarias do brasil
A enxuta mas linda Livraria da Travessa no IMS Paulista – foto: Divulgação

Livraria da Travessa – criada no Rio em 1986, já conta com 7 lojas na cidade, mais uma em Ribeirão Preto, uma dentro do IMS Paulista, e em 2019 abre mais uma filial na Rua dos Pinheiros, em São Paulo.

Barra Shopping: Av. das Américas, 4666 – Barra da Tijuca
Seg. a qui, das 10h às 22h. Sex. e sáb, das 10h às 23h. Dom. e feraidos, das 12h às 22h.

Shopping Leblon: Av. Afrânio de Melo Franco, 290 – loja 205 A – Leblon
Seg. a sáb, das 10h às 23h. Dom, das 12h às 23h. Feriados aos sábados, das 10h às 22h. Feriados durante a semana, das 12h às 22h.

Ipanema: Rua Visconde de Pirajá, 572 – Ipanema
Seg. a sáb. das 9h às 23h. Dom. e feriados, das 10h às 23h.

Botafogo: Rua Voluntários da Pátria, 97 – Botafogo
Seg. a qui. das 10h às 22h. Sex. e sáb, das 10h às 23h. Dom. e feriados, das 10h às 22h.Centro 1: Rua 7 de setembro, 54 – Rio de Janeiro
Seg. a sex, das 9h às 20h. Sáb, das 9h às 14h.

Centro 2: Av. Rio Branco, 44 – Rio de Janeiro
Seg. a sex, das 10h às 19h.

CCBB: Rua Primeiro de Março, 66, térreo – Rio de Janeiro
Seg. e de qua. a dom, das 9h às 21h.

Ribeirão Shopping: Av. Coronel Fernando Ferreira Leite, 1540 LUC 279 – Ribeirão Preto
Seg. a sáb, das 10h às 22h. Dom, das 14h às 20h.

IMS Paulista: Av. Paulista, 2424, Praça IMS – 5º pavimento – São Paulo
Ter. a dom e feriados, das 10h às 20h. Qui, das 10h às 22h.

Blooks Livraria – A pequena rede surgida no Rio já tem 5 lojas, incluindo uma em Niterói e 2 em São Paulo. Faz eventos como lançamentos, leituras e clube do livro.

Rio de Janeiro: Espaço Itaú de Cinema – Praia de Botafogo, 316 – Botafogo
Seg. a sex, das 12h30 às 22h. Sáb, das 12h30 à 0h. Dom, das 14h às 22h

Estação NET Rio: Rua Voluntários da Pátria, 35 – Botafogo
Todos os dias, das 13h às 22h

São Paulo: Shopping Frei Caneca – Rua Frei Caneca, 569 3º piso – Consolação
Seg. a sex, das 11h às 22h. Sáb, das 12h às 22h. Dom, das 14h às 22h.

Av. Paulista: Av. Paulista, 900 – Cerqueira Cesar.
Seg. a sex, das 11h às 22h. Sáb e dom, das 12h às 22h.

Niterói: Av. Visconde de Rio Branco, 880 – São Domingos
Seg. a sex, das 12h30 às 22h. Sáb, das 12h30 às 23h30. Dom, das 13h às 22h.

Livraria da Vila – A única rede paulista que resiste surgiu em 1985 na Vila Madalena, e desde então se espalhou pela cidade, e também para o Paraná. Muitas das lojas contam com um bom café dentro, para uma experiência mais completa.

Shopping Higienópolis: Av. Higienópilis, 618 – Piso Pacaembu – Higienópolis
Seg. a sáb, das 10h às 22h. Dom. e feriados, das 14 às 20. 

Pamplona: Rua Pamplona, 1704 lj. 2.14 – Jardim Paulista
Seg. a sáb, das 10h às 22h. Dom. e feriados, das 14 às 20. 

Lorena: Al. Lorena, 1731 – Jardim Paulista
Seg. a sáb, das 10h às 22h. Dom. e feriados, das 11 às 20. 

Fradique: Rua Fradique Coutinha, 915 – Vila Madalena
Seg, a sex, das 9h às 22h. Sáb, das 10h às 20h. Dom, das 11h às 20h. 

Moema: Av. Moema, 493 – Moema
Seg. a sáb, das 10h às 22h. Dom. e feriados, das 11 às 20. 

Shopping JK Iguatemi: Av. Juscelino Kubitschek, 2041 loj. 335 – Piso 2 – Itaim-Bibi
Seg. a sáb, das 10h às 22h. Dom. e feriados, das 14 às 20. 

Shopping Cidade Jardim: Av. Magalhães de Castro, 12000 lj 36A2 – Piso 2 – Real Parque
Seg. a sáb, das 10h às 22h. Dom. e feriados, das 14 às 20. 

Parque Shopping Maia: Av. Bartholomeu de Carlos, 230 lj 3040 – Piso 3 – Guarulhos
Seg. a sáb, das 10h às 22h. Dom. e feriados, das 14 às 20. 

Pátio Batel: Avenida do Batel, 1868 lj 314 – piso L3 – Curitiba
Seg. a sáb, das 10h às 22h. Dom. e feriados, das 14 às 20. 

Aurora Shopping: Av. Ayrton Senna da Silva, 400 lj 6/7 – piso 2 – Londrina
Seg. a sáb, das 10h às 22h. Dom. e feriados, das 14 às 20.

Quem conhecer mais alguma livraria bacana no Brasil, coloca aqui embaixo nos comentários.

*Foto do destaque – Pexels

Quem escreveu

Renato Salles

Data

18 de December, 2018

Share

Renato Salles

Para o Renato, em qualquer boa viagem você tem que escolher bem as companhias e os mapas. Excelente arrumador de malas, ele vira um halterofilista na volta de todas as suas viagens, pois acha sempre cabe mais algum souvenir. Gosta de guardar como lembrança de cada lugar vídeos, coisas para pendurar nas paredes e histórias de perrengues. Em situações de estresse, sua recomendação é sempre tomar uma cerveja antes de tomar uma decisão importante. Afinal, nada melhor que um bom bar para conhecer a cultura de um lugar.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.