Berlim 24 horas

O dia-a-dia de quem mora em Berlim com dicas culturais, gastronômicas e de passeios para todos os gostos e bolsos.

Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

SXSW

Cobertura pré e pós do SXSW 2022 com as melhores dicas: quais são as palestras, ativações, shows e festas imperdíveis no festival.

Destaques do SXSW 2022 – dias 1, 2 e 3

Quem escreveu

Renata Lea

Data

15 de March, 2022

Share

Principais destaque dos três primeiros dias de conteúdo do SXSW

As ruas de Austin voltaram a ressoar uma infinidade de sotaques. Com a volta do SXSW ao formato presencial, a cidade foi retomada pelo ecossistema de inovação, criatividade e tecnologia. Marcas, empreendedores, celebridades, artistas e gente como a gente mudaram, mais uma vez, a paisagem local.

Esta, aliás, provavelmente, é a maior atração do festival esse ano. Isso não quer dizer que, nos palcos do evento, não estejam brilhando ideias incríveis. Como sempre, o CoP está de olho e acompanhando tudo para trazer para você. Nos três primeiros dias do SXSW 2022, o que mais chamou nossa atenção foi o seguinte.

Priya Parker fez todo mundo se mexer 

É a segunda vez que Priya Parker faz a palestra de abertura do SXSW, só que a anterior foi online. Dessa vez, ela tinha uma audiência disposta à sua frente, e aproveitou! Fez o pessoal se levantar e conversar com quem não conhecia. Também fez perguntas e, quando quis saber de onde seu público vinha, “Brasil” foi a resposta mais ouvida.

O ponto de Priya era valorizar aquele momento ímpar, afinal o valor de estar com outras pessoas transcende a simples ideia de estar junto. É nestas horas que processamos nossas alegrias e tristezas. Ela chamou a atenção para as pequenas descobertas sobre encontros, provocadas, justamente, por estarmos privados disso. Tendo tanta tecnologia e facilidades ao nosso alcance, continuamos conversando e nos vendo, mesmo que em telas. No entanto, perdemos a informalidade, e isso fez muita falta. No fim, o que ficou do encontro com Priya Parker foi a sensação de que valeu muito mais que os cerca de 50 minutos que durou. Pena que não cabe tudo aqui… mas ela deixou um presentinho que dividimos com vocês: só acessar o site dela.

Scott Galloway – sem papas na língua

No manual de Scott Galway, o hype não tem vez, e ele não poupa nada nem ninguém de suas palavras mais que diretas. Não à toa, em grupos ligados à tecnologia, especialmente a blockchain, seu nome foi muito comentado nos últimos dias. Acontece que, para ele, o mercado de criptomoedas é o mais centralizado que existe. A fala tem respaldo em um estudo que aponta que 72% do mercado de bitcoin se resume a 2% das contas. Em paralelo, segundo a mesma fonte, 80% do mercado NFT está concentrado em 9% das contas. Daí, sua conclusão: “Não há nenhum poder para as pessoas na Web3, só um novo tipo de concentração.”

Quanto ao metaverso, ele acredita que, embora a maioria imagine que o mundo digital lembrará “Matrix”, será mais parecido com “Her”. Por causa da falta de praticidade e ergonomia dos óculos de RV (realidade virtual), o prof. Holloway vê fones – a exemplo dos Airpods – como principal ferramenta de acesso ao ambiente virtual do futuro. 

Scott Galloway fez outras previsões provocativas, elas estão tomando conta de conversas nos SXSW 2022. Quer saber mais? Está tudo aqui: https://www.profgalloway.com/2022-predictions/ 

Margrethe Vestager – moldar a tecnologia

A regulamentação de tecnologias ainda é um tema controverso, sobretudo pelo temor de leis que limitem a inovação. Margrethe Vestager tem isso em mente no seu trabalho na Comissão Von der Leyen para a Era Digital, na União Europeia. Para ela, estabelecer regras é importante para garantir a democracia. Isso não significa, necessariamente, criar leis, mas, às vezes isso é necessário. 

Ela acredita que não há como chegar onde queremos com um mercado aberto e contestável. A tecnologia existe para ajudar as pessoas, e precisamos de mecanismos que garantam que elas vão nos servir, não o contrário. “A tecnologia é um pouco como a mudança climática. Ela acontece. É inevitável e, se não tentarmos moldá-la, obviamente ela nos moldará, já está nos moldando há muito tempo. Se quisermos ter certeza de que a tecnologia nos serve, que cria novas oportunidades, novas maneiras de aprender (…), temos que trabalhar com ela de uma forma diferente.” 

Tristan Harris – pelo fim do dilema

À medida que a tecnologia se expande, sua capacidade de criar ilusões cresce. Para frear esse movimento, precisamos de consciência e responsabilidade. Esta é a visão de Tristan Harris, um dos criadores do documentário de “O Dilema das Redes”. No SXSW 2022, ele contou que acredita que nem todas as nuances no fluxo de conteúdos nas redes sociais, podem ser cobertas por leis.

Tristan Harris – SXSW

Por exemplo, considerando a polarização que nos cerca, a dinâmica das mídias sociais acaba por turvar nossas impressões. Quando separamos as pessoas em extremistas e moderadas, vemos que o primeiro grupo é menor. Entretanto, estes perfis são mais ativos, o que leva a mais engajamento. É como uma bola de neve, resultando na percepção de que as opiniões desse grupo predominam na sociedade. Só que um extremista não nasce do dia para a noite, ele vai se formando a partir da exposição a opiniões, umas mais radicais, outras nem tanto. “Um marco regulatório não lida com isso, o tipo de polarização de área cinzenta, então minha preocupação é que a abordagem regulatória, novamente, não corresponda à complexidade do que realmente é o problema, que não é apenas informações falsas ou informações tóxicas, mas os incentivos para aumentar a polarização.”, explica.

Tristan trouxe a abordagem de uma tecnologia mais humanizada, um conceito que começa a ser disseminado. Que tal aceitar o convite dele para aprender neste curso gratuito?

Por um futuro que não repita erros passados

Como sempre, as tecnologias e inovações representam grande parte do SXSW 2022, mas o evento nunca foi só isso. Suas pautas olham para o futuro, mas partem das pessoas. Nesse sentido, os direitos das mulheres roubaram a cena nos primeiros dias do evento. Mulheres fortes e articuladas levantaram suas vozes contra retrocessos legais. A questão vem atormentando as texanas, mas elas não estão sozinhas nisso. Com a ascensão de políticos conservadores em todo o mundo, o problema se tornou comum a diversas nacionalidades. Assim, nada mais natural que os microfones do Southby ecoarem protestos. 

“Estamos, literalmente, pedindo permissão para cuidar de nossa saúde, de nossos corpos, tomar decisões sobre nós mesmas. Permissão para legisladores que nem mesmo entendem como nossos corpos funcionam”, disse Alexis McGill Johnson, presidente e CEO da Planned Parenthood Federation of America e do Planned Parenthood Action Fund.

Lizzo no SXSW 2022
Lizzo no SXSW 2022

Lizzo também aproveitou o SXSW 2022 para se manifestar. “Cuide de sua vida. Fique fora do meu corpo. Isso não é político”. Foi uma cena icônica. Indicando seu corpo com a mão, ela repetiu a última frase várias vezes e completou: “Estou mudando as coisas em nível cultural, porque sou parte da cultura, sou musicista, sou atriz. Mas há pessoas no comando que podem mudar as coisas em um nível sistêmico e estão nos decepcionando.”

Texto  em parceria – Renata Lea e Vanessa Mathias

Quem escreveu

Renata Lea

Data

15 de March, 2022

Share

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.