Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

5 videoclipes refrescantes de artistas mulheres independentes para sextar

Quem escreveu

Carolina Turboli

Data

14 de May, 2021

Share

Selecionamos 5 videoclipes de 5 mulheres artistas do cenário independente para refrescar os dias de quarentena.

Quarentena foi/é difícil pra todo mundo, a gente sabe, e por vezes tudo o que a gente precisa é um refresco do cenário pandêmico-pós-apocalíptico para ter uns momentos de serenidade. 

KALLEE. Foto Crédito: Mélissa Huart 

Pensando nisso, fizemos uma curadoria de 5 videoclipes que vão refrescar seus olhos e seus ouvidos, proporcionando nem que seja 5 minutinhos de bem-estar e leveza para o seu dia a dia. E o melhor de tudo é que fizemos uma seleção com 5 mulheres artistas do cenário independente! Bora refrescar?

#1 Flaira Ferro – Ímã

Música composta por Flaira Ferro em homenagem à dançarina, performer e coreógrafa Morena Nascimento, em parceria com a Foli Griô Orquestra. Magnética como o próprio nome, o videoclipe é uma dança-performance de Morena. Letra, arranjo e videoclipe dão aquela vontade de arrastar os móveis da sala e dançar o mel de ter um corpo, de se auto-desejar. 

#2  Gavi – Caraíva

Música e videoclipe são uma homenagem de Gavi à comunidade litorânea e ribeirinha Caraíva e a letra fala sobre “dar um rolê na Bahia quando isso tudo acabar”. Com um videoclipe gravado na praia , é a pedida certa pra elevar o astral e confessar a saudade que a gente tá de um bom rolê na praia!

#3 Kallee – Bicha

Estreia de Kallee, Bicha traz na música e no videoclipe colorido e cativante o cheiro de terra molhada em “Onde a gente possa ser gente feliz / Bicha da mata encantada / (…) Onde ser simples seja chique demais”. O refrão marcante, “laralará, laralara laralarí” dá aquela vontade de fechar os olhos e sentir o vento no rosto pra trazer leveza e paz pro dia a dia corrido entre videochamadas e afazeres domésticos.

#4 Laura Canabrava – Vontade 

O videoclipe e a música de Laura resumem muito da nossa vontade de fazer mil coisas e do cansaço também. “Às vezes eu fico cansada de tudo”, misturado com o clipe psicodélico, bem humorado e colorido são garantia certa daquele riso de canto de boca e quem sabe uma dança em frente ao espelho. 

#5 Sellva – Desilusão

A música de Sellva é um sambinha gostoso pra gente ouvir naqueles dias onde tudo parece travado, mas a gente lembra que está ok não estar sempre tudo bem. “Nem todo dia eu tô bem / Nem todo dia eu tô zen / … / Quero sair do tom / Tudo que eu quero agora é sofrer”. Com um clipe alegre e expressivo, faz a gente se permitir aceitar nossa vulnerabilidade de forma alegre, o que é um bem precioso na quarentena. 

Foto destaque: Flaira Ferro por Matheus Melo

Quem escreveu

Carolina Turboli

Data

14 de May, 2021

Share

Carolina Turboli

Trabalho com Tantra Terapêutico, Astrologia, Baralho Cigano e Força Feminina com o propósito de despertar/expandir a consciência. Viajo porque preciso, volto porque também preciso, escrevo para guardar espaços materiais e imateriais. Amar é minha revolução. Vivo em Lisboa e no mundo oferecendo workshops e consultas individuais como terapeuta, e oferecendo textos, músicas e poemas como pesquisadora e artista.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.