De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

Atividade física para mães e bebês no pós-parto

Quem escreveu

Luciana Guilliod

Data

14 de May, 2018

Share

Nos últimos nove meses, seu peso aumentou e seu corpo se transformou para gerar uma nova vida. Agora é hora de encarar uma nova rotina e uma silhueta diferente. A dobradinha dieta e exercício continua imbatível para a manutenção da saúde e recuperação da boa forma, A boa notícia é que dá pra levar seu bebê junto.

As atividades físicas são importantes para o desenvolvimento das crianças e podem ser praticadas desde cedo. Elas estimulam a coordenação motora, habilidades cognitivas, o desenvolvimento cerebral e a sociabilidade.

A obstetra Carolina Cabral, do Espaço Femina Vitá, estimula suas pacientes a manterem a atividade física durante a gravidez, para fortalecer os grupamentos musculares exigidos no parto: “Na gravidez e no pós-parto, quem já tem condicionamento físico pode manter as atividades de sempre, diminuindo a carga e a intensidade do exercício”.

No geral, se o parto é cesariana, a mãe está apta a voltar a se exercitar depois de seis semanas. Após um parto normal, se estiver tudo bem, dá pra voltar entre 15 e 20 dias. “Nas primeiras semanas, as mães podem aproveitar o banho de sol dos bebês para fazerem caminhadas leves”, recomenda Carolina.

Dá para conciliar atividade física e seu novo bebê (e até o cachorro). Foto: Sangudo / flickr CC

O treinamento funcional é um bom aliado na adaptação da vida com o bebê. O programa traz dinamismo e otimiza os padrões de movimento de funções como levantar, puxar, agachar e estabilizar visando as tarefas diárias e o período pós-parto. As sessões de treinos são seguras e adequadas para a capacitação física de mães e gestantes.

Exercício completo e quase sem contraindicações, a natação pode ser praticada a partir do sexto mês de vida do bebê, que não só aprende a nadar como também fortalece seu desenvolvimento respiratório. A presença da mãe na piscina transmite confiança ao filho e ambos melhoram o tônus muscular e a qualidade do sono.

Já as mães outdoors podem carregar seus filhotes no sling enquanto exploram a natureza. A caminhada em trilhas não tem muito impacto físico para quem ficou um tempinho parada. Caminhar também ajuda no controle de pressão e da diebetes e melhora circulação do sangue. Já foi comprovado que caminhar regularmente em meio à natureza diminui as chances de ansiedade e depressão. Aos seis meses, meu afilhado já havia encarado trilhas que eu não conhecia, então o que você está esperando?

Baila, baila comigo: a Dança Materna é um projeto de dança para mamães desde a gravidez até bebês com três anos de idade, criada em 2008 pela bailarina Tatiana Tardioli. Com o objetivo de facilitar o retorno à vida social depois do parto, a dança beneficia a reeducação corporal, que ajudará no modo de carregar e amamentar o bebê. As mães têm relatado redução na incidência de cólicas e melhora no sono dos bebês.

Pratique yoga com seu filhote. Foto: Akitivioslo / flickr.com

Você não precisa ser uma Fernanda Lima pra conciliar a prática de ioga e os cuidados com a prole. A ioga no pós-parto melhora a capacidade respiratória e o condicionamento físico, aumenta força e flexibilidade, ajudando a mamãe a se sentir mais ativa e equilibrada. Quando na companhia do filhote, os exercícios são adaptados com o objetivo de proporcionar um maior vínculo entre mãe e bebê.

Nem a corridinha nossa de cada dia nos dai hoje precisa ser deixada de lado. Com o carrinho certo, é possível correr empurrando seu pacotinho. Dá até pra criar um trenó para praticar esqui cross-country! Há modelos de carrinhos de bebê diferentes para cada tamanho e idade e os médicos indicam esperar até que o bebê consiga apoiar o seu pescoço e tenha o corpo firme.

Malhar no pós-parto. Não é fácil pra você, não é fácil nem pra Paula Narvaez, mãe da Malu, de 12 anos e do Nicolas, de três meses. Com um currículo respeitável que inclui três ultramaratonas e seis maratonas, ela conta como faz pra encaixar família e atividade física na rotina: “Estou aprendendo a desencanar e ter em mente que, independente do horário, eu vou. Assim que acordo, coloco um look de treino, e ao longo do dia vou vendo quando consigo escapar. Na pior das hipóteses treino à noite quando meu marido chega do trabalho. A sorte é que ele também ama esporte e entende minha necessidade de correr”. Paula faz do celular seu aliado: “Vinte dias depois que o Nicolas nasceu, comecei a treinar no chão de casa enquanto ele dormia, usando o NTC (Nike+Training Club). O aplicativo me ajudou muito a retomar a confiança no meu corpo. Pra correr na rua uso o NRC (Nike+Run Club)”.

Leve seu pacotinho num carrinho de bebê para esportes. Foto: Sangudo / flickr.com C

Alguns cuidados podem ser tomados para praticar esportes com seu filhote: não se incline para baixo fazendo força sobre o carrinho para esportes, pois o gesto tenciona suas costas e pode prejudicar o carrinho ou até derrubar o bebê; experimente usar dois tops ou um suporte mais adequado durante o exercício, pois ficam maiores e mais pesadas durante toda a fase de amamentação no pós parto e lave seus seios após o exercício, pois o suor do seu esforço poderia secar em seu peito, resultando em um sabor salgado que o bebê pode vir a recusar.

Quer fazer exercícios com outras mães e bebês? Confira aqui algumas aulas em grupo em espaços dedicados à família.

Várias cidades:
Dança Materna

Porto Alegre:
A mamãe
Balasana
Grifo Pilates

Rio de Janeiro:
Bamboo Family Club

*Foto destaque: Laurence & Annie

Quem escreveu

Luciana Guilliod

Data

14 de May, 2018

Share

Luciana Guilliod

Carioca da Zona Norte, hoje mora na Zona Sul. Já foi da noite, da balada e da vida urbana. Hoje é do dia, da tranquilidade e da natureza. Prefere o slow travel, andar a pé, mala de mão e aluguel de apartamento. Se a comida do destino for boa, já vale a passagem.

Ver todos os posts

Comentários

  • Mamães atletas , que bom.
    - Regina Vilma

Adicionar comentário

Assine nossa newsletter

Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.