De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

SP24hrs

Porque para amar São Paulo não é preciso firulas.

O que você precisa saber para começar agora sua coleção de vinis

Quem escreveu

Tava Passando

Data

20 de April, 2017

Share

O Record Store Day é um evento mundial, criado em 2007, e acontece geralmente no terceiro sábado do mês de abril. É uma celebração do formato do vinil, mídia que voltou a ser moda e que cresce em vendas a cada ano. O evento também tem a intenção de reforçar a importância das lojas de discos, onde o apreço pela música é muito valorizado e tem papel fundamental na formação musical de muita gente. Como não podia deixar de ser, São Paulo também participará desta festividade, com eventos no MIS, Centro Cultural São Paulo e Patuá Discos. Para você que não sabe por onde começar a curtir essa onda, fizemos este pequeno guia de onde encontrar vitrolas e discos em São Paulo e os cuidados básicos com a sua coleção.

Vitrolas

635874832362645537-1511538839_vinyl-record-player

Obviamente, o primeiro passo para entrar neste mundo é ter uma vitrola funcionando! Se você herdou uma dos seus parentes ou tem uma encostada em casa precisando de manutenção, vale dar um pulo na Passarela do Som, onde dá pra encontrar peças de reposição, agulhas e também dar uma garibada no seu equipamento. Outro lugar que faz manutenção de vitrolas é a Caverna Rock Discos, que além de assistência técnica também vende vinis. Ambas revendem pick-ups usadas, revisadas e com preço honesto, sendo um bom caminho para quem ainda não tem onde tocar os discos.

Fuja das vitrolas portáteis e baratas que você encontra em grande lojas. Elas podem até ser bonitinhas com seu visual vintage e compacto, mas a longo prazo a agulha de baixa qualidade acaba por destruir seus discos. Outra alternativa é tentar a sorte no Mercado Livre, tomando os mesmos cuidados usados em qualquer outra compra feita por lá, como a avaliação do vendedor, por exemplo. Lembre-se sempre: se o preço pedido é muito baixo, desconfie!

Se a verba estiver sobrando e você quiser investir numa vitrola para o resto da vida, existem vários sites gringos especializados em pick-ups novas de ótima qualidade, como a Pioneer, Audio-Technica e o sonho de consumo Rega. Se optar por esta alternativa, verifique sempre se entregam no Brasil, qual o valor do frete e coloque na conta o valor da taxação alfandegária. E tenha paciência, com a morosidade dos nossos Correios, sua entrega pode demorar meses até chegar em casa.

Passarela do Som. Rua 24 de Maio, 188, Centro
Caverna Rock Discos. Rua dos Andradas, 375, Sala 12, Santa Efigênia 

Discos

Com o aumento da procura pelo formato, as lojas que vendem discos têm brotado do chão a todo instante. Até lojas de grande porte já têm alguns títulos em catálogo, como a Saraiva e Fnac, mas costumam cobrar muito caro. Vale muito mais a pena comprar em lojas especializadas, e existem muitas delas espalhadas por São Paulo (e também on-line) – por isso escolhemos algumas das nossas preferidas, cada uma em seu nicho:

Locomotiva Discos

locomotiva

Com um acervo enorme cobrindo quase todos os gêneros musicais, a loja dos irmãos Custódio é um paraíso. Eles costumam ser os primeiros a receber as novidades e lançamentos gringos, além das recentes reedições de disco raros brasileiros, todos com preços frequentemente abaixo da concorrência. Se você curte indie rock, nem precisa procurar em outros lugares, aqui é seu lugar. Também vendem compactos, livros e CDs e rola também comprar on-line.

Locomotiva Discos. Rua Sete de Abril, 154, Loja 8 (Rua Alta), República

Patuá Discos

patua

Delírio puro para quem gosta de música brasileira, grooves, funk, soul e afrobeat. Com quatro DJs entre os sócios, dá para imaginar que a curadoria de títulos a disposição é de primeira, imensa e variada. Quase toda semana entram novos discos no catálogo, uma parte dele disponível pelo site. Eles também agitam festinhas e happy hours, sempre com um DJ convidado tocando na loja.

Patuá Discos. Rua Fidalga, 516, Vila Madalena

Florida Records

florida

A Florida tem um bom arsenal de títulos de rap, principalmente novos e lançamentos. Lá você pode achar discos que vão de 2-Pac a Public Enemy, passando por coisas mais difíceis como MF Doom e J.Dilla. Até vinis da Beyonce e Rihanna eles têm para vender, além de agulhas importadas, cases para transportar os discos e acessórios voltados para a cultura dos DJs.

Florida Records. Rua 24 de Maio, 116, Loja 7, Centro

Sebos

sebos

Há quem diga (nós, por exemplo) que a melhor parte de comprar discos é sujar os dedos de poeira, se metendo nos inúmeros sebos que rolam em São Paulo. Existe até um termo em inglês que define essa atividade, o famoso diggin’ the crates (em tradução livre, escavar os caixotes). Achar um disco que procurou por tanto tempo, comprar um vinil só porque achou a capa legal e negociar um descontão são pequenos prazeres incríveis para quem curte esta arte. Praticamente todo bairro de São Paulo tem um sebo esperando para ver vasculhado e revirado e, com certa frequência, é possível achar uma joia no meio do pó acumulado.  Duas galerias no centro da cidade se destacam pela grande quantidade de sebos, muitos deles especializados em vinil. Na Nova Barão (mesma galeria onde se localiza a Locomotiva) você pode achar muitos títulos de rock e todas as suas variações. Já na Boulevard do Centro, a onda é mais música brasileira, como as incríveis lojas do Tony Hits, Celsom e Chico e Zico. Mergulhe de cabeça nos discos e boa caçada!

Galeria Nova Barão. R. Sete de Abril, 154, República
Boulevard do Centro. Rua Vinte e Quatro de Maio, 188, Centro

Cuidados

cuidados

– O vinil é uma mídia que dura uma vida, mas requer certos cuidados. Além de manter sempre dentro dos plásticos internos e externos, nunca devem ser empilhados. Manter os discos em posição vertical evita que fiquem empenados e também deixem marcas nas capas causadas pelo peso.

– Quando for colocar para girar, pegue o disco sempre pelas bordas e rótulo central, pois a sujeira e gordura das mãos entram nos sulcos do vinil e podem estragar tanto o disco quanto a agulha.

– Se o disco estiver muito sujo, passe um pano seco em movimentos circulares para eliminar a poeira. Se a crosta de sujeira for mais grave e profunda, vale dar um “banho” nele, mas recomendamos que você primeiro faça com um disco não tão querido ou caro para ir pegando o jeito. Na parte amarela da esponja, passe um pouco de sabão neutro e água. Esfregue delicadamente pela superfície do disco, tomando muito cuidado para não molhar o rótulo de papel. Tire o sabão com um pano umedecido e deixe secar longe do sol, num escorredor de pratos. Para o toque final, passe um pouco de álcool isopropílico, que não corrói o disco. Quando dominar esta técnica (ou para casos extremos de sujeira), vale aprender o método da cola de madeira, explicado no vídeo abaixo em espanhol (mas dá para sacar o processo).


Crédito da foto de capa: The Dizzy Dancer
Save

Quem escreveu

Tava Passando

Data

20 de April, 2017

Share

Tava Passando

Tavapassando e cliquei. Danilo Cabral e Flavia Lacerda registram seu dia a dia e todos os lugares por onde estão passando, em um mini-guia de shows, restaurantes, ruas e pixos no Instagram.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.