De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

Documentário mostra imagens raras da Coréia do Norte

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

22 de November, 2017

Share

A Coréia do Norte habita o imaginário de muita gente. Mesmo ouvindo relatos de quem já foi, não dá muito para imaginar como é estar lá cercado de guias oficiais do governo, mostrando o país sob a ótica deles.

Os Estados Unidos proibiram recentemente portadores de passaporte norte-americano de viajarem ao país. Além de não terem relações diplomáticas com a Coréia do Norte, considera uma viagem de risco aos seus cidadães. Somente jornalistas e agentes humanitários podem entrar com pedido especial para fazer a viagem.

A filmaker americana Christina Choe, de família coreana, esteve na Coreia do Norte há alguns anos e, secretamente, filmou os passeios, as pessoas, as conversas com os guias, as cidades e tudo mais que é proibido filmar ou mesmo fotografar. A partir do material colhido, ela lançou o mini documentário “Welcome to the DPRK“, de trinta minutos, divididos em 4 episódios. O filme traz imagens raras e nunca vistas antes por quem nunca esteve no país. Há curiosidades como conversas sobre escolha de religião, casamento e a visão que eles tem em relação aos Estados Unidos, além de uma apresentação musical feita por crianças extremamente maquiadas, que é bem surreal. No último episódio ela é enquadrada pelos guias que afirmam saber que ela está fazendo um filme.

Vale muito a pena assistir:

Para assistir os demais episódios: 2, 3 e 4.

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

22 de November, 2017

Share

Lalai Persson

Lalai prometeu aos 15 anos que aos 40 faria sua sonhada viagem à Europa. Aos 24 conseguiu adiantar tal sonho em 16 anos. Desde então pisou 33 vezes em Paris e não pára de contar. Não é uma exímia planejadora de viagens. Gosta mesmo é de anotar o que é imperdível, a partir daí, prefere se perder nas ruas por onde passa e tirar dicas de locais. Hoje coleciona boas histórias, perrengues e cotonetes.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.