De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Eventos gratuitos SP por Catho

Guia semanal de eventos gratuitos para curtir em São Paulo

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Nomadismo Digital por Treviso

Trabalhando e viajando ao mesmo tempo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

Uma road trip pela Highway 1

Quem escreveu

Fernanda Secco

Data

27 de September, 2016

Share

Um dos meus maiores sonhos de viagem era um rolê de carro digno de filme, daqueles que você fica babando só de imaginar. Acho que não existe um lugar mais propício para este desejo do que uma road trip de San Francisco a Los Angeles (ou San Diego, se você tem mais tempo).

Foto: de Juan di Nella
Foto: de Juan di Nella

A rota do Pacífico, ou California 1, é sem dúvida uma das estradas mais bonitas para dirigir e, com certeza, a maior concentração de carros conversíveis do mundo (risos). De ponta a ponta, o percurso tem pouco mais de mil quilômetros entre praias paradisíacas, cidades históricas, cachoeiras maravilhosas e parques nacionais. Muitos vão dizer que não faz diferença onde começa a viagem, mas a minha sugestão é que você vá do Sul ao Norte, pelo simples fato que os lugares mais surpreendentes estão mais ao norte e, se você vê-los logo de cara, tudo que vier depois não vai ser estonteante. Além do que, ter um carro em SF é um perrengue que você não precisa passar, então evite! Porém, a rota que segue para o sul tem a vantagem de deixar você pertinho do mar.

14264058_10155214911128626_3682490113482552917_n
Foto: Fernanda Secco

Este foi o meu mapa da viagem. Coloquei alguns pontos principais, separei por dia (mais ou menos) e usei o Google Maps offline, porque em muitos lugares o 3G realmente não funciona.

É difícil dizer quanto tempo você precisa, porque depende do seus interesses (e claro, do orçamento). Porém, eu não recomendo fazer a viagem em menos de 11 dias. O meu roteiro resumido (e sugerido) é:

  • Dias 1 – 3: San Francisco
  • Dia 4: Santa Cruz, 17-Mile Drive e Carmel Valley (ou Monterey)
  • Dia 5: Point Lobos e Carmel-by-the-sea
  • Dia 6: Big Sur a Morro Bay
  • Dia 7: San Luis Obispo a Malibu
  • Dia 8: Santa Monica & Venice
  • Dias 9 & 10: Los Angeles
  • Dia 11: Manhattan, Redondo e Hermosa Beach

San Francisco

Acredito que três dias sejam mais do que suficientes para você ver tudo o que precisa em SF. Além do básico turistão, que todo mundo recomenda, eu acho que as minhas melhores dicas são:

Se quiser mais dicas (especialmente de onde comer e beber) veja a lista dos lugares que visitei aqui.

Meu sorvete favorito. Foto por Fernanda Secco
Meu sorvete favorito. Foto por Fernanda Secco

Santa Cruz, 17-Mile Drive e Carmel Valley

Finalmente a caminho do sul, começamos o dia tomando um café-da-manhã de frente pro mar em Santa Cruz. A cidade ficou congelada nos anos 80, mas dando um passeio você encontra lugares super bonitos.

Em mais ou menos 30 minutos de carro, você encontra a entrada para a 17-mile drive. Uma propriedade privada que faz um percurso de mais ou menos 27km com vistas impressionantes, uma praia super bonita. Para entrar é preciso pagar $10, mas honestamente o passeio é fantástico e vale este dinheirinho.

Não muito longe dali está Carmel Valley, uma cidade fofinha com muitas vinícolas e restaurantes deliciosos. Fiz um post exclusivo para os vinhos e você pode ler ele aqui. Mas as minhas duas grandes dicas para esta cidade fofa são: um jantar no Café Rustica e uma noite maravilhosa no Carmel Valley Ranch.

Pebble Beach - Foto por Fernanda Secco
Pebble Beach – Foto por Fernanda Secco

Point Lobos e Carmel-By-The-Sea

Sem dúvida alguma, um dos meus lugares preferidos para visitar foi a reserva natural de Point Lobos. Já tinha visto inúmeras fotos fantásticas na internet, mas ao vivo é realmente surreal. O lugar mais impressionante foi a China Cove, com um mar em degradê e muitos tons de azul. Eu passaria horas ali, só olhando a vista. Fomos bem cedo, por volta das 9h30, o que é o ideal já que o parque ainda não está tão cheio. Você também precisa pagar $10 se quiser entrar com o carro na reserva.

China Cove - Foto por Fernanda Secco
China Cove – Foto por Fernanda Secco

Carmel-by-the-sea é uma cidadezinha pequena e com um ar europeu. A praia não é muito impressionante, especialmente se comparar ao que você vai ver daqui pra frente, mas é um lugar bonitinho para passear, comer, ver as casinhas e passar uma noite. Recomendo levar uma garrafa de vinho e assistir o pôr-do-sol na praia.

Pôr-do-sol em Carmel Beach - Foto por Fernanda Secco
Pôr-do-sol em Carmel Beach – Foto por Fernanda Secco

De Big Sur a Morro Bay

Provavelmente o dia que dirigimos a maior distância. Começamos o dia em Bixby Bridge, aquela ponte clássica que aparece em todos os lugares quando você pesquisa sobre o Big Sur. A vista da estrada nesta parte do percurso é incrível! Você vai querer encostar o carro e tirar fotos a cada 10 minutos. Se ainda não tiver tomado café, ou precisar de um snack, dê uma paradinha estratégica no Café Kevah, a vista é muito bacana.

Bixby Bridge - Foto por Fernanda Secco
Bixby Bridge – Foto por Fernanda Secco

Não conseguimos visitar todos os lugares que estavam na lista porque os Soberanes Fire estão muito intensos e eles estavam fechados. É importante pesquisar isso antes de ir ao Big Sur.

A próxima parada, depois de algumas decepções, foi a Pfeiffer Beach. O parque estava fechado devido as queimadas, mas a praia ainda estava aberta a visitação. Aqui você também precisa pagar $10 para entrar. Sugiro ir com óculos escuros e sem bonés, no lugar venta muito e você provavelmente vai levar uma chuva de areia na caram então prepare-se. A McWay Falls me deixou boquiaberta. Imagine uma cachoeira de 25m de altura, com pedras gigantes e maravilhosas e a queda d’água direto na praia.

McWay Falls - Foto por Fernanda Secco
McWay Falls – Foto por Fernanda Secco

San Simeon é parada obrigatória com o Hearst Castle, o Elephant Seal Vista Point e um restaurantinho fofo que chama Sebastian’s Store, com hambúrgueres e sanduíches incríveis. Alguns quilômetros à frente, você encontra a Moonstone Beach e pode levar algumas pedrinhas pra casa.

Terminamos o dia, exaustas, em um motel em Morro Bay. A cidade é uma gracinha e tem uma vibe bem mais autêntica do que a maioria. A noite foi regada a vinhos californianos e frutos do mar em um lugar fantástico e barato que se chama The Galley.

San Luis Obispo, Solvang, Santa Barbara e Malibu

San Luis Obispo fica a 20km de Morro Bay e é uma cidade universitária. Você já percebe isso andando pelo centro. Muitas lojinhas, restaurantes e lugares bacanas de conhecer caminhando. Acho que os dois pontos mais curiosos da cidade são: Bubblegum Alley e a Antiga Missão de San Luis Obispo.

Não muito longe dali está a cidadezinha de Solvang. que tenta ser uma réplica de cidade dinamarquesa. Entre moinhos fakes e padarias com doces e pães “típicos”, você consegue andar pela cidade inteira em 45 minutos, mas é um passeio um tanto quanto engraçado.

Foto por Fernanda Secco
Foto por Fernanda Secco

Para o almoço, uma paradinha em Santa Barbara. A cidade é uma gracinha e eu realmente fiquei com vontade de ter mais tempo para passar por lá. Além de um passeio a pé, a cidade tem a Missão de Santa Bárbara, uma das igrejas mais antigas do estado e onde a influência hispânica é óbvia. Na próxima, com mais tempo, quero parar no El Presidio e na Courthouse.

Foto por Fernanda Secco
Foto por Fernanda Secco

Fui muito ingênua de achar que ia conseguir ver alguma coisa em Malibu. A cidade é super famosa, mas a praia é praticamente inacessível, somente com entrada se você é dono de uma das mansões. Talvez você tenha mais sorte que eu e consiga curtir uma tarde em Zuma Beach.

Santa Monica e Venice

Difícil encontrar alguma dica menos óbvia para recomendar nestas cidades mega famosas. É muito gostoso dar um passeio a pé curtindo a brisa do mar (que como diz o meu amigo californiano, é o ar condicionado da cidade) e se sentir local. De vez em quando rolam alguns eventos e shows bem legais no Pier de Santa Monica, se souber de algum assista. Mas claro que uma visita ao Getty Center já vai te entreter por bastante tempo. Venice tem todo aquele lado curioso com as green clinics e os canais. Também há bares interessantes, videntes e lojas super curiosas. É um dia inteiro de diversão e um pôr-do-sol maravilhoso, digno de palmas cariocas.

Foto por Fernanda Secco
Foto por Fernanda Secco

Los Angeles

A cidade tem seus altos e baixos. O transporte público é um lixo, então melhor usar o carro. Porém, o trânsito é tão louco e intenso que você nunca sabe exatamente quanto tempo vai demorar para chegar nos lugares. Dois dias são suficientes se você estiver com pressa, mas a cidade tem bastante coisa legal para visitar. Minhas dicas pessoais (e não tão óbvias) para você curtir LA são:

  • rooftop bar do Ace Hotel está longe de ser o melhor bar do mundo, mas sempre tem DJs legais e você pode usar a piscina sem ser hóspede (uhul).
  • Jumbo’s Clown Room foi o lugar mais curioso e interessante que eu fui durante toda a viagem. É como ir a um strip-club em que ninguém fica pelado, e todas as dançarinas são atletas.
  • Outro lugar interessante é o Time Travel Mart, uma loja de conveniência surreal.
  • E se estiver em buscas das novas tendências de LA, o Highland Park Bowl acabou de reabrir e além de jogar boliche, você pode tomar bons drinks e conhecer gente interessante no bairro mais descolado da cidade.
Ace Hotel - Foto por Fernanda Secco
Ace Hotel – Foto por Fernanda Secco

Manhattan, Redondo e Hermosa Beach

A pior parte da viagem é quando ela acaba! Aquele sentimento de arrumar as malas pela última vez e separar o passaporte sempre me doí um pouquinho, por isso no meu último dia na California decidi curtir um domingo na praia, com fish tacos e cervejas artesanais. Fomos de carro até o South Bay e visitamos as praias de Manhattan, Redondo e Hermosa. Cada uma tem seu estilo particular, com uma vibe mais família ou surfista, com restaurantes gostosos ou bares animados. Não vi muitos turistas por ali, foi realmente um dia californiano e fechou minha viagem com chave de ouro.

Hermosa Beach - Foto por Fernanda Secco
Hermosa Beach – Foto por Fernanda Secco

Algumas dicas de ouro:

  • Ninguém segue os limites de velocidade na estrada.
  • Aluguel de carro ‘one-way’ é um pouco mais caro. Tenha isso em mente quando for pesquisar o seu.
  • Procure hotéis em sites como o hoteltonight.com, onde há ofertas de últimas hora incríveis.
  • Não tem melhor época para esta viagem, mas com certeza você vai ser privilegiado se for no fim do verão.

Quem escreveu

Fernanda Secco

Data

27 de September, 2016

Share

Fernanda Secco

De longas viagens de carro no México a aulas de cozinha no Vietnã, para mim o que importa conhecer são as pessoas. Não há nada melhor para conhecer um país do que aprender com experiências autênticas (e às vezes malucas).

Ver todos os posts

Comentários

  • Infelizmente boa parte das fotos não aparecem... Os 11 dias que relata incluem 2 dias em Los Angeles e 3 em San Francisco? Quero seguir seu roteiro indo do Sul (LA) ao Norte (SF), mas, para passar 3 dias em SF, tenho que fazer o roteiro em 4 dias. Daquilo que destacou, o que seria imperdível?
    - Davi Moreira
    • Oi Davi, Eu particularmente não acho que há problema você passar menos dias em SF ou LA, mas como são cidades maiores tem mais a oferecer em termos de cultura e gastronomia. Eu acho que é realmente imperdível dirigir com calma e apreciar a vista e ir parando quanto quiser perto do Big Sur. O lugar mais lindo que vi foram as McWay Falls e o Point Lobos — não perca nenhum dos dois. Mas olhe no mapa dos incêndios como está tudo antes de se arriscar por ai. Espero que se divirta muito. Fernanda
      - Fernanda Secco
      • Oi Fernanda! Fiz a viagem e, mesmo com um trecho importante da estrada interditado (justamente a parte do Big Sur!!! Há alguns meses esse trecho da pista foi destruído numa tempestade!), foi incrível! Parti de Santa Mônica e, já sabendo que não veria tudo, segui seus passos por Santa Barbara e Solvang, terminando o dia e passando uma noite em San Luis Obispo. No dia seguinte, com uma parada em Morro Bay, fui até o Ragged Point! De lá, sendo obrigado a contornar até Monterey pela HW101, comi um hambúrguer ótimo na Sebastian`s Store acompanhado por uma vinho fabuloso. Dormi em Monterey e no dia seguinte "desci" até a entrada do Big Sur, passando pela 17-mile drive e Point Lobos. Só esse trecho já valeu muito a pena! Na sequência, fiz questão de dirigir e fazer uma ótima refeição Café Rustica antes de ir para San Francisco. Foram três dias e duas noites pela estrada muito bem guiados pelo seu post! Valeu muito a pena seguir suas recomendações! Depois da estrada aproveitei SF, SD, Vegas e LA, sempre de olho no que publicou! Ainda volto para ver o que perdi no Big Sur! Obrigado!
        - Davi Moreira
    • Davi, aqui as fotos aparecem normalmente. Veja se não é algum problema no teu navegador. Sobre o roteiro, deixo para a Fernanda te responder com mais detalhes. ;-)
      - Renato Salles
      • De fato, estava num computador usando o Chrome no Windows 10. No MAC, com o Chrome, fica tudo certinho! Valeu.
        - Davi Moreira

Adicionar comentário

Assine nossa newsletter

Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.