De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Eventos gratuitos SP por Catho

Guia semanal de eventos gratuitos para curtir em São Paulo

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

SP24hrs

Porque para amar São Paulo não é preciso firulas.

Congolinária: Os sabores do Congo

Quem escreveu

Dani Valentin

Data

11 de October, 2016

Share

Algumas semanas atrás, algumas pessoas me mandaram um link falando sobre o Congolinária, um estabelecimento com comida vegana do Congo. O lugar fica no espaço “O Quintal de Casa“, um foodpark que também abriu recentemente, em junho deste ano, no Itaim Bibi – aliás, o lugar tem várias opções para veganos.
20161010_134748
20161010_125820
O Congolinária é chefiado pelo simpático Pitchou Luambo, que mora no Brasil há 6 anos. Ele não trabalhava com cozinha antes de abrir o espaço, é advogado, ator, produtor cultural, professor de francês e ativista de direitos humanos. Ufa. E mesmo assim, ele arrasa na cozinha. Respeitando toda a tradição do país, os pratos preparados ali não usam ingredientes industrializados ou aditivos químicos, tudo é natural e preparado de modo artesanal. Conversando com o Pitchou, ele nos contou que esse conceito de alimentação vegana não existe no Congo, eles apenas comem o que tem disponível por lá, que no final é essencialmente vegetariano.
20161010_125748
Os pratos que experimentamos por lá foram o Mbuzi e o NGombe, cada um custa R$24. Todos os pratos têm o nome de algum animal, mbuzi por exemplo, significa cabra, e vem com fufu, um tipo de polenta africana com farinha de mandioca e de fubá, couve na mwama, que é couve manteiga cozida com pasta de amendoim, e banana da terra frita. O ngombe é uma releitura com ingredientes encontrados facilmente aqui: nhoque de banana da terra ao molho de shimeji. Os dois pratos eram super bem servidos e estavam deliciosos. A gente ainda viu saindo uma porção de tembo – 5 sambusas, um salgado típico com recheios de berinjela, shimeji, shitake, abobrinha e tomate – e ficamos morrendo de inveja.

Mbuzi
Mbuzi

Ngombe
Ngombe

Normalmente dá para pedir um combo, que custa 35 reais, contendo um prato principal, suco e sobremesa.  Porém o lugar está fazendo tanto sucesso que não tinha mais sobremesa disponível. Experimentamos o suco mesmo assim: o tangawisi vem com abacaxi e gengibre, o gengibre é bem forte, por isso se não gostar, não peça.
A nossa política aqui no blog é sempre escrever sobre lugares que experimentamos e aprovamos, nada aqui entra se tivermos uma experiência ruim. Saímos tão satisfeitos do Congolinária que eu parei uns dois amigos na rua para falar do almoço que tinha acabado de ter. Tudo simples, sem afetação, com um preço mais do que justo e que faz ter vontade de comer lá sempre. Eu já estou planejando a próxima ida.
Congolinária
O Quintal de Casa – Rua Dr Renato Paes de Barros, 484 Itaim Bibi
De segunda à sexta, das 12 às 15h e das 17h às 20h; Sexta, das 17h às 22h e sábado, das 12h às 22h
(11) 94376-2912
* Foto de capa: reprodução Congolinária

Quem escreveu

Dani Valentin

Data

11 de October, 2016

Share

Dani Valentin

A Dani gasta todo o seu dinheiro com viagens. Um de seus maiores orgulhos é dizer que já pisou em cinco continentes. É do tipo sem frescura, que prefere localização a luxo e não se importa de compartilhar o banheiro de vez em quando. Adora aprender palavras no idioma do país que vai visitar e não tem vergonha de bancar a turista.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.