De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Eventos gratuitos SP por Catho

Guia semanal de eventos gratuitos para curtir em São Paulo

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Nomadismo Digital por Treviso

Trabalhando e viajando ao mesmo tempo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

5 motivos para ir na Sala São Paulo

Quem escreveu

Dani Valentin

Data

09 de August, 2016

Share

Apresentado por

Um dos lugares mais lindos da cidade é a Sala São Paulo, sem sombras de dúvidas. A restauração da Estação Júlio Prestes começou em 1997, e foi inaugurada dia 9 de julho de 1999. O arquiteto responsável pela obra foi Nelson Dupré, que na época visitou salas de concerto que eram consideradas referência nos Estados Unidos e Europa para aplicar as mesmas técnicas aqui. Hoje, a casa é lar da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) e a capacidade é de 1498 assentos.
Se você ainda não foi, a gente te dá aqui 5 motivos que vão fazer você se apaixonar pelo lugar.

Foi eleita uma das melhores salas de concerto do mundo

Foto: Júlio Boaro
Foto: Júlio Boaro

A visita de Nelson Dupré às salas referências na época da restauração valeram a pena. No ano passado, a Sala São Paulo foi eleita pelo The Guardian como uma das melhores salas de concerto do mundo, ao lado de lugares como o Boston Symphony Hall e a Berlin Philarmonie. Segundo eles, as escolhas são lugares onde “um design brilhante implica em um som lindo”. E, para quem já foi na Sala, sabe que a acústica de lá é uma das coisas mais impressionantes no universo.

A programação é incrível

Começa com a quantidade de apresentações que acontecem ali. Tirando algumas segundas e terças, a Sala tem programa todos os dias, e muitas vezes mais de uma opção por dia. E, se isso não bastasse, a qualidade das apresentações é fantástica. Apesar de ser a casa da OSESP, não é só ela que aparece por ali. Já passou gente conhecida como Ute Lemper, Mason Bates e Jonny Greenwood, do Radiohead.

Para todos os bolsos

Foto: Rodrigo Soldon
Foto: Rodrigo Soldon

Quando falamos em música clássica, já pensamos em glamour e ingressos custando uma fortuna, não é? A Sala São Paulo tem preços extremamente democráticos. É possível ver ensaios abertos por 10 reais e rolam sempre aos domingos às 11h os matinais, quando você paga absolutamente nada para ver de  apresentações clássicas a versões de música popular brasileira, passando por Milton Nascimento e Cazuza.

A região

Dá para aproveitar a visita a Sala e emendar alguns outros programas na região. A Pinacoteca do Estado de São Paulo, por exemplo, fica a menos de 10 minutos de distância andando. Mais perto ainda, fica o Memorial da Resistência de São Paulo. Ou seja, dá para almoçar no Restaurante da Sala (mas atenção, ele não abre de fins de semana para almoço), e passar o dia inteiro por aquelas bandas.

As visitas monitoradas

Foto: Luis Guilhereme Pereira
Foto: Luis Guilhereme Pereira

De novo, a Sala São Paulo oferecendo um serviço ótimo por um preço melhor ainda: é possível fazer visitas guiadas pelo local, conhecer mais sobre a história do prédio, sua restauração e detalhes do funcionamento.  Para agendar, tem que escrever para [email protected], ou ligar para 3367 9573 – de segunda a sexta, exceto feriados, das 9h às 18h. O passeio custa R$5 nos dias de semana e é gratuito nos fins de semana.
* Foto de capa: Sandra

Quem escreveu

Dani Valentin

Data

09 de August, 2016

Share

Apresentado por

Dani Valentin

A Dani gasta todo o seu dinheiro com viagens. Um de seus maiores orgulhos é dizer que já pisou em cinco continentes. É do tipo sem frescura, que prefere localização a luxo e não se importa de compartilhar o banheiro de vez em quando. Adora aprender palavras no idioma do país que vai visitar e não tem vergonha de bancar a turista.

Ver todos os posts

Comentários

  • Eu quero!
    - Maria Regina Babilas

Adicionar comentário

Assine nossa newsletter

Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.