Música & Diversão

12 horas em Tóquio para quem ama música

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

30 de September, 2016

Share

Patrocínio

Ninguém vai para Tóquio apenas para passar 12 horas, isso é fato. Mas muita gente vai a trabalho e mal tem tempo de curtir a cidade, que é uma loucura e te engole em minutos. Tóquio é uma grande surpresa e vai além das mais altas expectativas. Em meio aos arranhas-céus, estruturas moderníssimas e propaganda em massa espalhadas em painéis eletrônicos coloridos, é possível encontrar ruelas charmosas com casas centenárias. Além de templos e santuários, pequenos ou grandes, em lugares super inusitados. Esse é o charme da cidade. Estar numa megalópole e em segundos ter a sensação de que está em uma vila no interior do Japão. O novo e o velho, o artesanal e o monumental, se encontram a cada esquina. É um deleite para qualquer um, especialmente para amantes de arquitetura e design, arte, música, cultura pop e, claro, compras.

A cidade pode ser tornar “relativamente” fácil para explorar logo que você entenda como ela funciona. Mas a descoberta não vem rápido, já que o Inglês é escasso mesmo entre os jovens, e você tem que se virar para achar os lugares. As pessoas são prestativas e tentam te ajudar mesmo sem entender uma palavra do que você está dizendo. Quem gosta de conhecer uma cidade pedalando, também vai se surpreender com Tóquio. Mas prepare-se para desviar de milhares de pessoas andando, não bater em outros ciclistas e se embrenhar em meio a carros e ônibus que passam por você, especialmente nas diversas ruas estreitas da cidade.

É difícil definir onde é o centro da cidade, que se estende ao longo de 23 bairros, cada um com sua peculiaridade. E esse é outro ponto fascinante. Cada um tem sua identidade própria e é perceptível quando você circula entre um bairro e outro. No fim da viagem é provável que você tenha o seu preferido e esteja querendo fazer as malas para ir morar nele.

Tóquio tem uma população de 13,62 milhões, pouco mais de um milhão em relação a São Paulo. Esse número pode ser sentido a qualquer hora do dia enquanto se anda pelas grandes avenidas e principais estações de metrô. A área metropolitana conta com 37,750 milhões de habitantes, tornando-a a mais populosa do planeta. A cidade está sempre fervilhando. Entre tantos pontos que a faz especial, a eficiência e a perfeição como fazem tudo funcionar é memorável. Nada fica fora de ordem por lá.

Ao contrário do que achamos, Tóquio não é uma cidade extremamente cara. Boas refeições podem ser feitas a qualquer hora do dia por menos de US$ 10. Hospedagens são encontradas por menos de US$ 100 e há ótimas opções de hostels para quem quer fazer uma viagem gastando pouco, por exemplo.

Sobre transporte público

O transporte público é impecável e te leva para qualquer lugar. Ao ponte de que as pessoas preferem usá-lo a ter um carro, já que estacionamento não é algo simples, tampouco barato. A passagem custa entre US$ 1,70 e US$ 3 para circular entre os bairros e é cobrada por número de estações.

A dica é: nas máquinas que vendem bilhetes de metrô tem duas opções de cartão, o Pasmo e o Suica. Qualquer um dos dois vale para o JR (linha Yamanote, que é circular e dá a volta completa na cidade), metrô, trem e ônibus, além de dar desconto na tarifa padrão. O valor mínimo para a compra inicial é de 1,000 yens (US$ 10), sendo que 500 ficarão retidos e reembolsados após a devolução do cartão quando não for mais usá-lo. Escolha o valor de crédito e voi lá! É só entrar e sair das estações até o crédito acabar (e ir repondo). A parte boa é que há máquinas de ajustes de tarifas na saída de estações, já que a cobrança é feita sempre na saída e não na entrada. Ou seja, se precisar de crédito, é possível comprá-lo antes de passar a catraca. Só é possível pagamento em dinheiro.

Táxi? Só em caso de emergência, pois é beeem caro!

Cartão de crédito

Apesar do Japão ser super avançado tecnologicamente, ele ainda é bem old school em vários pontos. Cartão de crédito não é aceito em muitos lugares, em especial restaurantes e lojas menores. A melhor pedida é comprar yens antes de desembarcar no Japão. Nós compramos na Tunibra, em São Paulo, assim como também compramos o Rail Pass da JR com eles, que só é vendido fora do Japão e é possível comprar para uso acima de 7 dias. O rail pass é válido para a maioria das viagens interestaduais e, caso queira viajar um pouco de trem pelo país, vale a pena tê-lo.

12 horas na cidade

Para facilitar a escolha dos lugares, eu dividi as 12 horas em 3 bairros diferentes, mas que são fáceis de transitar entre eles. O foco? Música! Assim fica mais fácil focar no que fazer em um dia. Tóquio é uma das cidades mais fascinantes para amantes do velho e bom vinil. É possível ficar dias por lá passeando só em lojas de discos.

Tóquio é uma cidade também sobre comida, ou seja, apesar de todo mundo ter seu restaurante favorito na cidade e muitos serem unanimidades, é fácil comer bem sem precisar pensar muito. Eles usam bastante o Foursquare e o Yelp, por isso, na dúvida, dê aquela bisbilhotada antes de querer entrar em qualquer portinhola. Não se acanhe se ele tiver foto dos pratos, talvez você até agradeça, uma vez que muitos não terão menu em inglês.

Manhã

Caso você não tenha café da manhã no seu hotel ou onde estiver hospedado, uma pesquisa rápida mostrará várias opções de bons cafés para começar o dia.

Little Nap Coffee. Foto: Lalai Persson
Little Nap Coffee. Foto: Lalai Persson

Um dos cafés que eu caí de amores foi o Little Nap, um pequeno tesouro escondido numa rua residencial próxima ao Yoyogi Park. O lugar é apenas uma portinha. dentro com um balcão e um banco dentro, e algumas mesas na área externa. Tranquilo, mas com uma frequência constante de pessoas, que passam por ali para pegar um café e tomar enquanto segue para algum canto. O Little Nap oferece algumas opções de grãos de diferentes lugares do mundo, que são servidos em diferentes estilos. Pode ser expresso ou coado. Para comer, as poucas opções são perfeitas para que quiser apenas tomar um café gostoso num lugar agradável sem perder muito tempo.

Little Nap Coffee Stand
Endereço: 5-65-4, Yoyogi, Shibuya. Estação: Yoyogi-Hachiman
Horários: Terça a domingo, das 9 às 19h. Não abre às segundas.

Outras opções nas mediações de Shibuya:

  • Nozy Coffee. Endereço: Setagaya-ku, Shimouma, 2 Chome−29. Estação Harajuku. Horários: Diariamente, das 10 às 18h.
  • Streamer Coffee Company. Endereço: 1 Chome-20-28 Shibuya. Estação Shibuya. Horários: Segunda a Sexta e feriados, das 8 às 18h; Sábado e domingo, das 10 às 18h.
  • Fueglen Tokyo. Endereço: 1-16-11 Tomigaya, Shibuya. Estação Harajuku. Horários: Segunda e terça, das 8 às 22h; Quarta e quinta, das 8 à 1h; Sexta, das 8 às 2h; Sábado, das 10 às 2h e Domingo, das 10 à 0h.

 

Shibuya é um dos centros nervosos de Tóquio. É a Times Square japonesa, mas muito maior e mais intensa. É lá que fica o maior cruzamento do mundo, o Hachiko, onde passam cerca de 40.000 pessoas por dia e esse fato, por si só, é uma atração imperdível. Saindo do metrô, especialmente à noite, a impressão é que estamos dentro do filme Blade Runner. Prédios revestidos com grande telões projetando filmes, neons e vozes, estão todos os lados. Poluição visual e sonora se misturam com milhares de pessoas que transitam a passos largos. Turistas e locais por ali se misturam facilmente. É fascinante, mas pode ser também desesperador, pois a vontade é de entrar em cada portinha ou ficar horas contemplando as pessoas passando na sua frente.

Tower Records Tokyo. Foto: Lucian Milasan
Tower Records Tokyo. Foto: Lucian Milasan

Provavelmente uma das últimas lojas da lendária californiana Tower Records, que quebrou em 2006, mas sua operação separada no Japão, a mantém desde 1995. São seis andares de música, cada um dedicado a um estilo, onde é possível passar um dia inteiro. Rock, música eletrônica, música clássica, jazz, hip-hop, pop e mais um monte de estilos formam uma seleção para venda que soma mais de 800.000. Já o último andar é dedicado apenas para livros e revistas.

Tower Records
Endereço: 1-22-14 Jinnan, Shibuya-ku
Horários: Diariamente, das 10 às 23h. Tem um café que abre às 11h30 para repor as energias.

Technique Records. Foto: newsflash.bigshotmag.com
Technique Records. Foto: newsflash.bigshotmag.com

Quem gosta de música eletrônica vai encontrar o céu na Technique Records. Do house progressivo ao nu-jazz você encontrará uma ótima seleção em vinis novos e usados, especialmente se sua praia for techno ou house. O alto da parede é decorado com capas brancas de vinis com frases e autógrafos de DJs e produtores musicais famosos. Inclusive dá para acompanhar as novidades da loja via soundcloud. E é muito fácil passar uma manhã inteira por lá, ouvindo e selecionando discos para comprar e/ou desejar. Há discos que saem por menos de 400 yens (US$4). Mas esses você tem que levar sem ouví-los antes.

Technique Records
Endereço: 33-14 Udagawacho, Shibuya-ku. (fica no 2º andar do prédio)
Horários: Terça a sábado, das 14 às 22h; Domingo, até às 21h. Não abre às segundas.

Almoço

Sushimi no restaurante sem nome. Foto: Lalai Persson
Sushimi no restaurante sem nome. Foto: Lalai Persson

Uma das melhores refeições que tive em Tóquio foi em Shibuya. Porém como vários bons restaurantes na cidade, não há qualquer indicação de seu nome no alfabeto romano na porta e ele ainda fica escondidinho numa viela. Também não tenho indicação do horário de funcionamento, mas no foursquare é possível encontrá-lo. É um restaurante pequeno, bem tradicional, com cozinha à base de sushi e sashimis, onde também são servidas sopas, legumes grelhados e um ótimo tempura. Caso queira arriscar, apoio a tentativa.

Maruya
Endereço: Maruyamamachi 25-1, Shibuya

Tarde

Volte para a estação Shibuya e pegue um trem para Shimokitazawa, que fica em Setagaya. O bairro, apelidado carinhosamente de Shimokita ou mesmo Shimo, é super charmoso e boêmio, e fica a cerca de 15 minutos de Shibuya. É cortado por ruelas cheia de cafés, bares com apenas seis lugares, muitos restaurantes de cozinhas diversas, restaurantes especialistas em curry, brechós, lojas de designers locais, além de ótimas opções para quem quer se embrenhar por corredores estreitos preenchidos com vinis. É um bairro jovem e, pelo que li, onde os jovens da cidade adorariam morar.

Caso prefira almoçar no bairro, ele não tem tantas opções diurnas, já que o que comanda a área é a boêmia, mas achei um bem especial que, inclusive, é vegetariano, algo raríssimo no Japão. O Nomin Café é pequeno e tem alimentos orgânicos como base de sua cozinha. As porções são pequenas, mas ideal para um almoço. Tira-se o sapato logo na entrada e, caso tenha lugar, prefira uma mesa no jardim nos fundos. O atendimento é cordial e tem o menu do dia, que conta com três opções, e tem em inglês.

Nomin Café
Endereço: Shimokitazawa 2-27-8

Eu na Disk Union. Foto: Ola Persson
Eu na Disk Union. Foto: Ola Persson

Comece pela Disk Union, loja de discos que a gente entra e não quer mais sair. Muitas raridades, muitos clássicos, novos e usados e para todos os gostos. Com seleções especial de punk e rock, funk, música eletrônica, hip-hop e pop. Além dos vinis, a loja também vende cds, dvds e despacha a sua compra para qualquer parte do mundo. Um risco para o cartão de crédito! Quem gosta de sacolas, vai se apaixonar pelas temáticas em música, que custam a partir de 8,000 yens (US$ 8). Dá vontade de comprar todas! A Disk Union também tem vários objetos do universo da música a venda. Mas vá com calma, porque ela é apenas a primeira da lista.

Disk Union
Endereço: 1−40−6 カシワサードビル, Shimokitazawa
Horários: Segunda a sábado, das 11h30 às 21h; Domingo, até às 20h

Weekend Records. Foto: Ola Persson
Weekend Records. Foto: Ola Persson

Que tal começar fazer uma parada para ouvir velhos clássicos e descobrir novas sonoridades? A Weekend Records Tokyo esconde umas raridades em vinis usados e quase passa desapercebida. Por lá, o vendedor fica tocando discos o dia todo, mas tudo bem você interrompê-lo para ouvir suas descobertas. Caso prefira fazer descobertas a partir de uma audição dele, é só sentar no sofá e ficar com os ouvidos atentos. A loja reserva até uma pequena seção dedicada a música brasileira, incluindo até Sergio Mendes.

Weekend Records Tokyo
Endereço: Kitazawa, Setagaya-ku, 3 Chome-26-6
Horários: Diariamente, das 14 às 20h. Não abre às quartas.

Pausa para um café

eu e o Ola pegando um café. Foto: Urban Living Coffee
Eu e o Ola pegando um café. Foto: Urban Local Living

O Urban Local Living é uma portinha minúscula que serve café para viagem. O atendimento é super simpático e, além do café bem feito, eles tem uma ótima coleção de produtos inspirados no surf. Creme para as mãos, sabonetes, sacolas, camisetas e outras coisinhas fofas que a gente não precisa, mas dá vontade de levar tudo.

Urban Local Living
Endereço: Setagaya, Kitazawa, 2 Chome, 103
Horários: Diariamente das 11 às 20h (não abre às quartas)

Fita cassete na Jet Set Records. Foto: Lalai Persson
Fita cassete na Jet Set Records. Foto: Lalai Persson

Para fechar a tarde ouvindo novidades e acalmar os ânimos (ou não) é a Jet Set Records, que é toda inspirada na extinta companhia aérea Pan Am. Tem um acervo enxuto de vinis, mas com uma curadoria de primeira, passando pelo house, disco, techno, indie rock e pop japonês. Também é possível encontrar cds e até mesmo novos lançamentos em fita cassete. A loja é pequena, charmosa e moderna. Vale muito a visita.

Jet Set Records
Endereço: Setagaya-ku, Kitazawa, 2 Chome−33−12
Horários: Diariamente, das 14 às 21h

Fim do dia

Depois da maratona em lojas de discos nada como uma cerveja artesanal local bem gelada. O Ushitora é um bar minúsculo de cerveja e fica escondido no primeiro andar de um prédio. Contam com 15 torneiras, todas de cervejas locais de qualidade.

Ushitora
Endereço: 2-9-3 Kitazawa, Setagaya (1º andar)

Noite

Golden Gai. foto: Lalai Persson
Golden Gai. foto: Lalai Persson

Deixe as compras no hotel ou em casa e dê uma passada em Shinjuku que, assim como Shibuya, tem um cenário futurista com uma avenida lotada de paineis luminosos, telas de vídeo gigantescas no alto dos prédios e muito neon. O bairro é bem movimentado e é por lá que fica o famoso Golden Gai, que é o yokocho mais popular de Tóquio e o mais fácil para turista se virar. O Golden Gai é cheio de pequenas ruelas que, juntas, abrigam uns 200 micro-bars, muitos deles com apenas 5 lugares. É fascinante e vale muito a visita. Escolha a portinha que mais gostar e tome um aperitivo antes do jantar. Muitos deles cobram entrada de turista.

Golden Gai
Endereço: 1 Chome Kabukicho, Shinjuku

Sashimi no Kanae. Foto: Lalai Persson
Sashimi no Kanae. Foto: Lalai Persson

Corra para o Kanae, um izakaya bem tradicional, que tem um cardápio de comida bem enxuto, mas delicioso e super bem preparado, incluindo sashimi, sushi, legumes entre outros petiscos. E, claro, peça ao garçom uma indicação de sakê. Você vai se surpreender!

Kanae
Endereço: 新宿3丁目12−12 吉田ビルB1F, Shinjuku
Horários: Diariamente, das 17h30 às 22h45; domingo, das 16h30 às 21h45

Bonobo. Foto: Fe Kawazoe
Bonobo. Foto: Fe Kawazoe

Se ainda tiver ânimo para esticar a noite, o Bonobo é um dos clubes mais legais que já fui. Assim como a maioria dos lugares em Tóquio, ele é minúsculo, com uma pista concorrida, embalada com ótima música eletrônica. No andar de cima há um pequeno lounge também com DJ e outro bar pequeno, onde as pessoas fogem para fumar, embora elas fumam em todos os cantos, incluindo na pista. Se puder ir, não perca.

Bonobo Bar
Endereço: 2 Chome-21-13 Jingūmae, Shibuya-ku

***
Bônus Shimokitazawa

Caso tenha mais tempo na cidade e queira explorar mais Shimokitazawa, aí vão três opções que eu adorei no bairro (mas tem muita coisa para explorar por lá):

Café

Que tal devorar um totoro no café da manhã?
Que tal devorar um totoro no café da manhã?

Um dos pequenos tesouros em Shimokita é o Tolo Bakery Cafe, que tem ótimos pães, sanduíches. A grande especialidade da casa é um bolinho de creme em formato de totoro, personagem criado por Hayao Miyazaki. Fica em uma charmosa casa de dois andares ambientada no estilo Ghibli. Tanto os bolinhos quanto a decoração do lugar, tiveram sua criação supervisionada pelo próprio Hayao. Também serve almoço com pratos italianos super bem preparados.

Tolo Bakery Cafe
Tolo Bakery Cafe. Foto: Lalai Persson

Tolo Coffee & Bakery
Endereço: 5-3-1 Daita, Setagaya-ku – ao lado da estação Setagaya Shirota
Horários: Segunda a Domingo, das 10h30 às 20h. Não abre às terças-feiras.

Ehimade. Foto: Lalai Persson
Ehimade. Foto: Lalai Persson

Para driblar a umidade intensa em Tóquio, a boa pedida é parar na Ehimade, uma loja dedicada à toalhas. Tem pequena, média e média-grande, com diversas estampas e cores diferentes. Também tem produtos para banho e uma pequena linha de cosmético da marca japonesa Yaeteco, com embalagens amarelas super fofas. Ótima para comprar lembrancinhas!

Ehimade
Endereço: 2 Chome-29-14 Kitazawa
Horários: Diariamente, das 11 às 20h

Marble Sud. Foto: Lalai Persson
Marble Sud. Foto: Lalai Persson

A Marble Sud fica bem em frente à Ehimade. É uma marca feminina bem japonesa, com cortes retos, largos, mas com algumas peças bem girlie. Além de bolsas, sapatos e produtos de design. O atendimento é super fofo e a vendedora arrisca um pouco no inglês.

Marble Sud
Endereço: 2 Chome−30−8, Kitazawa
Horários: Diariamente, das 12 às 20h

***

*A viagem à Tóquio faz parte do projeto #fly2fest, Volta ao Mundo em Festivais de Música, patrocinado pela KLM Brasil, que faz parte do SkyTeam, oferecendo voos para 1.052 destinos em 177 países. #fly2fest

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

30 de September, 2016

Share

Patrocínio

Assine nossa newsletter