Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

SXSW

Cobertura pré e pós do SXSW 2020 com as melhores dicas: quais são as palestras, ativações, shows e festas imperdíveis no festival.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

Um, dois, tres, quatro ou cinco beijos?

Quem escreveu

Ola Persson

Data

18 de June, 2015

Share

Acha que a questão de um ou dois beijos na hora de cumprimentar alguém é confusa no Brasil? Na França é bem pior, lá pode ser entre um e cinco (!) beijos.

O Bill Rankin do Radical Cartography pegou as respostas de uma pesquisa online e fez essa visualização usando uma técnica de pontos ao invés de uma simples cor sólida para mostrar a resposta mais comum. Assim mostra que mesmo dentro de cada região existem variações (locais ou sociais, não sabemos).

Vale notar que a base é uma pesquisa online, então a qualidade dos dados é um pouco suspeita e deve ter um ruído considerável de respostas incorretas. Em Corsica, 18% de respostas foram de cinco beijos, mas o Bill já recebeu um email de uma pessoa de lá dizendo que nunca na vida viu alguém fazendo isso.

Imagem Radical Cartography
Imagem Radical Cartography

Quem escreveu

Ola Persson

Data

18 de June, 2015

Share

Ola Persson

Viaja sempre com uma mochila com camera, laptop e kindle e uma mala pequena de roupas. Nela leva mais uma mala vazia que vai enchendo ao longo da viagem. Não é fã de pontos turísticos, não gosta de muvuca e foge de filas, mesmo que seja para ver algo considerado imperdível. Por isso nunca subiu na Torre Eiffel, mesmo tendo ido várias vezes à Paris. Acredita que uma boa viagem é sentir a cidade como morador. Tanto que foi pra São Paulo em 2008 e ainda está por lá.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.