Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Eventos gratuitos SP por Catho

Guia semanal de eventos gratuitos para curtir em São Paulo

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Nomadismo Digital por Treviso

Trabalhando e viajando ao mesmo tempo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

O dia em que voltei a Estocolmo

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

03 de October, 2013

Share

A primeira vez que pisei em Estocolmo foi nos anos 90. Era início de inverno e chovia muito. A única coisa que ficou na lembrança foi a limpeza impecável da cidade, porque o resto foi apagado pela névoa que se espalhava pelo céu escuro.

Voltei novamente meses depois, mas foram duas paradas: uma loja para comprar feijão preto pra fazer uma feijoada e a outra no porto, onde eu embarquei para um cruzeiro de final de semana até a Finlândia.

Voltei da Suécia com a sensação de que tinha escolhido o país mais chato do planeta pra passar uma temporada. Como o destino adora nos pregar uma peça, eu acabei anos depois trombando com um sueco na agência em que trabalhava, que acabou virando meu marido. Nesses 5 anos em que estamos juntos, eu estive mais vezes na Suécia do que consegui contar. Inverno, primavera, outono e inverno. Consegui passar por nas 4 estações do ano, mas um pouco mais ao sul, em Gotemburgo.

Desde então ensaiei rever Estocolmo, mas demorou um pouco pra acontecer e foi mágico quando rolou. Sabe quando você chega numa cidade pela primeira vez e pensa “quero morar aqui!”? Foi assim. A impressão que tive foi de que eu nunca tinha ido a Estocolmo. Consegui apenas me lembrar do palácio, mas sequer da Gamla Stam. Era tudo novo, colorido, bonito e divertido. Ouso dizer que Estocolmo me fisgou ainda mais do que Copenhagen, considerada a cidade mais divertida da Escandinávia.

Era início de outono, mas peguei dias ensolarados e agradáveis. As folhas ainda não tinham caído por completo das árvores e havia muito verde em volta. Bati perna o quanto pude, experimentei lugares o quanto deu. Comi como se não houvesse amanhã e descobri uma gastronomia completamente nova e fantástica por mim. Ouso novamente em afirmar que foi a melhor experiência gastronômica que tive nas minhas viagens. Não teve lugar meia-boca.

Estocolmo me trouxe a sensação de que eu estava num set, pois tudo pareceu perfeito demais. A cidade é cool num extremo impensável, as pessoas parecem estar sempre impecáveis, tudo transpira criatividade. Arte, moda, design, gastronomia.

Foram dias me encantando e querendo abraçar ainda mais a cidade. O tempo foi mais curto do que eu gostaria e fui embora com aquela vontade louca de voltar e passar uma temporada mais longa por lá.

Claro que nem tudo são flores por lá, em especial quando falamos sobre o inverno, quando a cidade fica num baita baixo astral. Outra coisa é que tudo é caríssimo inclusive os lugares baratos. Porém raramente você sai ou fica insatisfeito com os investimentos que faz (quando pode fazê-los). As pessoas são fechadas. Esquece, é raro pessoas puxarem papo com você.

photo by http://redpantsandamustache.wordpress.com

A boa pedida da cidade é se perder em Södermalm, o bairro mais descolado e charmoso de Estocolmo, onde é possível encontrar as marcas mais legais de roupas e design, cafés, restaurantes, uma infinidade de bares e ainda se deleitar com o look do pessoal, que parece ter saído de uma semana de moda. Como diz o guia oficial de Estocolmo: “descanse seus pés em um dos café em volta de Nytorget em SoFo, ou no Mellqvists Kafé Bar em Hornsgatan, como Mikael Blomqvist, o herói dos livros do Stieg Larsson.”

Para quem busca inspiração, referências, tendências…. Estocolmo é um dos lugares. E é para lá que eu quero voltar.

Foto de abertura: flickr/edwardstojakovic

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

03 de October, 2013

Share

Lalai Persson

Lalai prometeu aos 15 anos que aos 40 faria sua sonhada viagem à Europa. Aos 24 conseguiu adiantar tal sonho em 16 anos. Desde então pisou 33 vezes em Paris e não pára de contar. Não é uma exímia planejadora de viagens. Gosta mesmo é de anotar o que é imperdível, a partir daí, prefere se perder nas ruas por onde passa e tirar dicas de locais. Hoje coleciona boas histórias, perrengues e cotonetes.

Ver todos os posts

Comentários

  • Hej, tack så mycket för pingback! Thank you for the pingback! I also really like your photo of Nytorget ;)
    - Patrick Hébert
    • :)
      - Lalai Persson

Adicionar comentário

Assine nossa newsletter

Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.