Lifestyle

Live from Black Friday, Orlando – S01E01: A preparação

Quem escreveu

Vanessa Mathias

Data

27 de November, 2013

Share

5:38 am, aeroporto de Newark.  O Grande Deus da tecnologia aplica um castigo para que o wifi não funcione. Suspira ao saber que nem a mimosa solicitada, que só  começa a vender às 9, vai ajudar a anestesiar as próximas 5 horas de conexão. (Sim, 5 horas. GRU- New York -Orlando. 5 horas.)

Pede um café e caranguejo. Parecia o mais saudável no cardápio. Não era.
Pede um café e caranguejo. Parecia o mais saudável no cardápio. NÃO ERA.

 

 

Muambar é meio instintivo, quase uma vocação. São aqueles que tem como primeiro pensamento, ao ver uma passagem para os EUA durante a Black Friday por R$ 850,00, “trazendo um ipad só já vale a pena pagar a passagem”.

Certo que você não vai, no final, comprar um iPad para revender e pagar a passagem. Mas nessa hora, é o recurso que sua dissonância cognitiva necessita para mandar um recado para o indicador apertar ‘comprar’ no email do Melhores Destinos.

Ao longo dos dois meses, não planejei muito o que fazer ou comprar. Mas sim principalmente o que eu não quero fazer: deixar me levar pela epidemia viral do consumismo  desenfreado da Flórida. Mas dar uma renovadinha no guarda roupa, focando em coisas bacanas e de qualidade, poucas e boas, entretanto, seria legal.

 

www.gettyimages.com

 

Não só para economizar a emissão de carbono no mundo, mas também por isso. Não só para dar uma amenizada nas secreções sudoríparas ao passar na âlfandega, mas também. Não só para guardar dinheiro para o Reveillon na Turquia, também também. Mas porque não faz sentido simplesmente comprar a bunch of crap, para ter a bunch of crap.

E curtir um pouco, afinal, nunca vim antes para Terra do Mickey. E para ajudar o propósito de “Sobrevivendo à Black Friday sem insanidade”, já preenchi um pouquinho dos outros dias: um curso na Disney (curso mesmo) e um dia na Universal.

 Dicas espertas

 Passagem barata:

Dica universal dos viajantes, o Melhores Destinos ainda é o mais ágil e amplo para brasileiros. Não basta seguir os e-mails, é preciso ter o mouse mais rápido do velho oeste. Em minutos acabam as super promoções. Se quer vir para os EUA por R$ 850,00 com taxas, por exemplo, é preciso agilidade quando ler e deixar para implorar para o chefe por férias depois de feito.

No meu caso, tentei comprar logo que vi o email, mas não fui rápida o suficiente e já estava acabando com as tentativas de datas/ locais. Uns amigos que tem uma agência, a Milles Viagens, postaram que estavam conseguindo ainda fazer a reserva. E conseguiram. A United depois, não queria honrar. A Cláudia, da agência passou horas no telefone convencendo a empresa gringa a serem mais americanos e cumprirem o que postaram. E conseguiu no final… coisa que se tivesse feito sozinha, ou não teria conseguido, ou seria eu horas a fio no telefone (e desistido, se bem me conheço).

Lembrando que vem no pacote de vôos baratos: lotação máxima, o moço que fede/ acima do peso/ bebê chorando/ senhora entusiasta dos perfumes Avon, e amaldiçoados tempos de  conexão subumanos.

Como adiantar sua conexão

Mesmo com conexões de horas, muitas vezes é possível antecipar sem custo adicional quando chega. Aliás, se há vôo, muito provável quase você consiga lugar. Bisbilhote no site da empresa os vôos que tem para o destino do aeroporto da conexão, mas não tente fazer antes que pagará fortunas.

Mas tem que pedir para reprogramar o bilhete e a mala no ‘recheck’. Quando a mala entra no “sistema” você está preso ao vôo.

Dica que uma bocó por aqui deixou passar completamente, e em vez de conseguir adiantar o vôo e fazer um conexão de 15 minutos, está aqui escrevendo post com eca-caranguejo-eca e sem mimosa. (Disclaimer: inclui-se mentira por licença poética. O vôo foi adiantado em 1 hora e meia mas 3:45 de conexão perde-se a dramaticidade dos fatos)

Fazer compras antecipadamente:

Se não quer pagar o frete para o Brasil e nem tem amigos, você pode, como eu, contratar um www.taskrabbit.com  . É um site genial de consumo colaborativo, você descreve a tarefa para ele (no caso, receber as compras, desempacotar, levar até o lugar onde você estará) ou qualquer outra coisa que precise nos EUA.

Como evitar encomendas dos amigos na Black Friday:

Não sei. Se souberem, me contem. Tenho na lista de encomendas:  2 iphones: um para o amigo e outra para amiga próxima.  Um iPad para outra, Playstation 4 pra o moço legal do TI da firma. Tênis para o personal trainer. Pedal de bicicleta para o padrasto. Extrato de baunilha, de café, azeite trufado com laranja, goji berries. Um pijama de herói, um vestido de princesa.

Apesar da imensa vontade de trazer tudo e fazer vários humanos felizes, a limitação de tempo, e principalmente, da receita federal, coíbem a generosidade de terceiros. Como lidar? Dicas são bem-vindas.

 

Garçom amigo.
Garçom amigo.

E dividirei mais descobertas e dicas ao longo desses dias. Mas agora preciso encerrar por aqui: é que chegou minha mimosa.

PS: Agradecimentos especiais ao artista bem louco romano viajando para o México que ajudou com a conexão do hotspot,  e tornou e esse post “Live from New York, it’s wednesday morning!” possível.

Foto do destaque: Shutterstock –Andy Dean Photography

Quem escreveu

Vanessa Mathias

Data

27 de November, 2013

Share

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter