Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

Como acordar (mais) cedo para fazer atividade física

Quem escreveu

Luciana Guilliod

Data

25 de February, 2019

Share

Uma vez por semana, meu despertador toca às 3h. Nos demais dias úteis, às 5h15. Trabalho em horário comercial no centro da cidade e não abro mão de atividade física. Essa foi a fórmula que encontrei para fazer a vida funcionar, e em algum momento passei a apreciá-la. Muito já foi falado sobre as vantagens de acordar cedo, mas entendo que não é tão fácil começar. Sempre sou perguntada sobre o assunto, então resolvi compartilhar algumas dicas sobre como acordar cedo para treinar.

1 – Avalie as perdas e ganhos

O número mínimo de horas de sono necessário para um descanso reparador é uma questão individual, mas dormir bem é fundamental. Assim, para acordar mais cedo é preciso dormir mais cedo. E para dormir mais cedo, temos que abrir mão de algo. Se você estuda à noite e chega em casa às 23h, talvez acordar às 5h para treinar seja menos saudável que encaixar um pilates na hora do almoço. Mas um amigo se deu conta que, mesmo indo de bicicleta a um trabalho que adorava, dormia de madrugada porque se perdia numa espiral de Netflix e Youtube. Cortou o binge watching e correu a maratona de Berlim.

Meu ponto é: acordar cedo pode ser uma questão de mudar hábitos e se organizar. Gosto de jantar fora todos os dias? Sim, mas gosto mais ainda da minha casinha e da comida feita com carinho. Gosto de Netflix às 23h? Sim, mas gosto mais ainda de ver o nascer do sol tingindo de rosa o céu.

2 – Pense nas recompensas

Quando o despertador toca, penso na sensação pós treino e não em toda a função antes. Lembro do cheiro do café, do mamão docinho do que vou comer, da beleza de observar a luz do dia mudando. A recompensa por acordar cedo pode ser a newsletter matinal ou o podcast que você adora, as pessoas que vai encontrar, os bons drinks que beberá à noite sem comprometer o biquíni do Carnaval. A ideia é virar a chavinha do cérebro pra se concentrar nas sensações boas que você vai ter, em vez da hora de acordar.

3 – Vá aos poucos

Se você adiantar o despertador em duas horas amanhã, vai acordar morto e dizer que essa parada de madrugar não é contigo. Mas se antecipar em 10 minutos por dia a hora de dormir e a de acordar, mal vai sentir a diferença no final da semana. Em tempos de mindfulness e num mundo onde tempo é o grande luxo, porque não se preparar para fazer as coisas com mais calma?

4 – Se prepare com antecedência

Quando acabamos de acordar e ainda estamos meio sonados, qualquer gatinho parece um leão. Uma coisinha a mais que você tenha que fazer pode virar uma desculpa para apertar o snooze do despertador e voltar a dormir. Assim, prefiro me organizar na véspera para o treino seguinte. Quando chego do trabalho, ligo um podcast (o que? não conhece os nossos?) e separo toalha, roupa para treinar, roupa para trabalhar, lanches, almoço e quetais. Às 19 ou 20h, essa atividade dura 15 minutos e libera tempo e carga mental para a manhã seguinte, quando tudo o que tenho que fazer é vestir a roupa, comer e sair.

Como acordar cedo
Seja prático e organizado (foto: Unsplash)

5 – Seja prático

Tenho uma nécessaire específica para o banho na academia ou no vestiário do clube, e procuro um equilíbrio entre mimos e praticidade. Gosto de usar produtos diferentes dos que tenho em casa – alguns em miniatura, outros na versão tradicional – além de um pente e um xampu seco, porque nem sempre lavar o cabelo é uma opção viável. Na bolsa também deixo umas duas barrinhas de proteína ou géis de carboidrato, para quando esquecer o lanche.

No trabalho, tenho um kit de sobrevivência para mim mesma: uma muda de roupas e uma sapatilha para o caso de esquecer de incluir uma peça de roupa na bolsa da véspera.

Existem armários em locais de grande circulação que podem ser alugados. É o que minhas companheiras de natação fazem – e, por cerca de R$ 200 POR ANO, não precisam carregar xampu, hidratante, prancha e pé de pato para lá e para cá. Verifique se não tem um perto de você.

6 – Tenha um planejamento de tempo realista

Não seja Moisés partindo Mar Vermelho ao correr ao chuveiro para chegar na frente do coleguinha. É falta de educação sair do box completamente vestido quando há uma fila de pessoas para tomar banho. Todo mundo tem pressa e vestiários não são spas. É preciso, porém, ter um planejamento de tempo realista para não se apressar nem se prejudicar. Às vezes vale a pena pagar um pouco mais para frequentar um local mais perto de casa ou do trabalho, com um vestiário mais confortável, que tenha pessoas parecidas com você ou seja lá quais forem os seus valores. Ninguém quer acordar cedo para ir num lugar onde não gosta.

O legal de incluir a atividade física como a primeira coisa do dia é que você se põe em primeiro lugar. O dia está cheio de reuniões, filas, freelas e engarrafamento, mas você o começou se dando uma horinha para cuidar do seu bem-estar. Um contratempo de manhã pode estragar o dia, então se organize, estabeleça prioridades e seja carinhoso com seu tempo e seu corpo.

Quem escreveu

Luciana Guilliod

Data

25 de February, 2019

Share

Luciana Guilliod

Carioca da Zona Norte, hoje mora na Zona Sul. Já foi da noite, da balada e da vida urbana. Hoje é do dia, da tranquilidade e da natureza. Prefere o slow travel, andar a pé, mala de mão e aluguel de apartamento. Se a comida do destino for boa, já vale a passagem.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.