Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Eventos gratuitos SP por Catho

Guia semanal de eventos gratuitos para curtir em São Paulo

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Nomadismo Digital por Treviso

Trabalhando e viajando ao mesmo tempo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

SIM ocupa São Paulo com mais de 300 shows espalhados pela cidade

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

04 de December, 2018

Share

É incrível ver a proporção que a SIM – Semana Internacional da Música – tomou. O festival está gigante e é cheio de números. Serão mais de 300 shows noturnos em 5 dias de eventos espalhados por 42 casas de shows diferentes. Já a agenda diurna conta com 27 showcases. Foram inscritos 2.299 artistas de 25 estados brasileiros e 22 países para tentar uma dessas 27 vagas. Os shows diurnos são todos abertos ao público geral com entrada gratuita. Mas não é só de show que é formada a SIM. A programação conta com 65 painéis, além de workshops, meet ups e speeding meetings, totalizando 90 atividades focadas no novo mercado da música. Na agenda também têm filmes, exposições e performance.

Fabiana Batistela, a criadora do SIM. Foto: Marcos Hermes
Fabiana Batistela, a criadora do SIM. Foto: Marcos Hermes

A SIM São Paulo acontece entre 5 e 9 de dezembro. É um evento bem focado nos profissionais do mercado da música, mas a programação, especialmente a de shows, se encaixa perfeitamente pra quem quer não se interessa pela área de negócios, mas ama música de qualquer jeito. O evento acontece no Centro Cultural São Paulo e os shows se espalham por diversos clubes e bares na cidade.

Os painéis

SIM - Encontro dos Festivais Independentes 2017 - Foto: Thais Bergamo
SIM – Encontro dos Festivais Independentes 2017 – Foto: Thais Bergamo

Uma das coisas bacanas é que os painéis têm 2 horas de duração, já que a maioria deles são compostos por vários profissionais, permitindo assim uma discussão um pouco mais aprofundada nos assuntos. Há muitos destaques e montar a agenda não está sendo fácil. São vários os painéis dedicados aos festivais de música, assunto do meu maior interesse: As inúmeras vozes da música instrumental e seus festivais – do jazz à música eletrônicaO mapa dos festivais do Brasil; Pesquisa: impacto sócio-econômico da SIM São Paulo e de festivais de música e economia criativa numa cidade e também uma pesquisa sobre o mercado da música em São Paulo; Novos festivais pelo Brasil (somente festivais com menos de 10 anos de existência); Festivais e conferências de música pelo mundo, ótimo para colocar novos festivais no radar… nele participam vários produtores de diversos festivais de músicas internacionais que mostram como é possível criar uma conexão com o Brasil e Novos festivais e projetos para a música com lançamento previsto para 2019, todos nacionais. Ufa, já fiquei sem fôlego!

Para quem se interessa por assuntos mais técnicos e/ou de comportamento, eles estão em abundância na programação também. Meus destaques (baseados na minha lista de interesse) são Como 33 milhões de brasileiros consomem música, baseado numa pesquisa realizada pela SIM; A vida noturna e cultura de Nova York e como fazer parte dela, debate sobre a importância da indústria de entretenimento noturno e como é para a cidade ter um Departamento e Prefeitura da Noite. Nessa mesma linha, o Clubcommission Berlin, associação de clubes, festas e eventos culturais da capital alemã, apresenta As ferramentas políticas de Berlim e da Europa: a cultura e a economia da noite, saúde e segurança e desenvolvimento urbano.

Por que investir na música faz bem pra todos discute sobre o retorno que as empresas e marcas têm ao investir em música e cultura; Blockchain e sua relação com a indústria da música para quem ainda não entendeu bem como funciona o blockchain. Tem também um workshop de sincronização para iniciantes sobre a inclusão da música como trilha numa produção audiovisual, um assunto que despertou meu interesse recentemente.

Para inspirar um pouco tem uma conversa tocada com o Tom Zé.

Rola também um interessante debate sobre a diversidade e a inclusão como valor música eletrônica com alguns dos principais produtores de São Paulo. Já o André Strum (Secretário da Cultura de SP) participa de um Q&A com a Lorena Calabria.

Fazendo networking

SIM São Paulo 2017 - Pró-Area, ótimo lugar pra networking. Foto: Thais Bergamo
SIM São Paulo 2017 – Pró-Area, ótimo lugar pra networking. Foto: Thais Bergamo

Para artistas tem muita coisa interessante, incluindo os meet ups diversos, como o da América Latina, o Lusofonia (Portugal, Moçambique, Macau e China), o de Festivais e Feiras Internacionais, SXSW, o Sonora, o Festivais Brasileiros, o Indústria Fonográfica, entre outros, que são encontros perfeitos para networking. Tem ainda um coquetel de networking com Quebec-Canadá com showcase de três bandas canadenses que se apresentam no Jardim Suspenso do CCSP: Afrotronix, La Bronze e Barry Paquin Roberge.

SIM São Paulo - Jardim Suspenso CCSP - 2017. Foto: Thais Bergamo
SIM São Paulo – Jardim Suspenso CCSP – 2017. Foto: Thais Bergamo

Não deixem também de conhecer o Espaço Oi Labsônica, de 6 a 8 de dezembro, no Jardim Suspenso do CCSP. Por lá vão rolar vários coquetéis focados em networking, showcases internacionais, como de novas bandas portuguesas no coquetel MIL – Portugal (dia 6, às 16h30), da artista britânica Tawiah (dia 6, às 18h40), sons da Austrália (dia 7, às 14h30) com shows de Deep Sea Arcade, Jess Cornelius e Alexander Biggs (dia 7, às 14h30), show da banda italiana Kalàscima (dia 7, às 18h40), performance da Larissa Conforto (dia 8, às 11h) seguido de bate-papo entre produtoras musicais envolvidas na Coletânea SÊLA. No dia 7 também, às 15h, acontece o painel Uma transformação em andamento: redes internacionais de mulheres da música apresentando o Programa ASA (Arte Sônica Amplificada).

Os shows

Fazer a lista de shows também não é uma tarefa simples. Não é necessário ter a badge do SIM, pois a maioria dos shows tem ingressos avulsos à venda. A festa de abertura acontece no dia 5 de dezembro, no Cine Joia, com shows das bandas francisco, el hombre com participação especial da Keila (ex-Gang do Eletro) e as argentinas Ninfas que mistura vários ritmos latinos misturados a um forte discurso feminista. A festa é aberta apenas aos credenciados ao SIM.

Alguns destaques noturnos são a Noite Conecting Dots is a Must com shows de Diego Moraes e Marmota, no Must Bar (dia 6, das 19 à 1h); Noite Festival Timbre na Casa do Mancha (dia 6, às 20h); Noite Trovoa com show do ÀTTØØXXÁ e do Afrocidade, na Casa Natura Musical (dia 6, às 20h); noite dedicada à macumbia com participação especial da banda Las Ninfas, no Estúdio Bixiga (dia 6, às 22h); um encontro entre Lia Paris, Luê e Luiza Lian, na Casa Aberta, na Noite Casa Aberta Acústico (dia 6, das 21 à 1h); Noite Montreal, no Z (dia 7, das 20 às 3h); Noite UK Jazz re:freshed Outernational, levando para os palcos artistas que estão revolucionando o jazz no Reino Unido, no Jazz nos Fundos (dia 7, das 20 à 0h); a Noite Let’s Gig traz o reggae do Veja Luz e Mato Seco, a música eletrônica de Afrotronix (CA) e Conan Osiris (PT) e fecha com show do Davi (ex-Banda Uó), no Cine Joia (dia 7, das 21 às 5h). Ainda tem Noite de Música Experimental, Coletânea SÊLA com Coquetel de Audição; Noite Minuto Indie; Noite Música de Mulher Preta; Balaclava SIM, Noite Tenho Mais Discos que Amigos e a Noite Crua e Nua, que leva as argentinas Fémina e Sofia Viola, a palestina Rasha Hajas e a brasileira Barbara Eugenia para os palcos da Casa Clube Rosa Flamingo.

Esse é só o começo de uma programação intensa que abraça todas as vertentes. Confira a programação completa de shows aqui.

Showcases diurnos

SIM São Paulo - CCSP Sala Adoniran Barbosa, onde acontecem os showcases diurnos. Foto: Thais Bergamo
SIM São Paulo – CCSP Sala Adoniran Barbosa, onde acontecem os showcases diurnos. Foto: Thais Bergamo

Serão 27 showcases diurnos com shows de 20 minutos. Alguns destaques são Mykki Blanco, ÀTTØØXXÁ, Drik Barbosa, Filipe Catto, Edgar, Plutão Já Foi Planeta, Baleia, E a Terra Nunca Pareceu Distante, Tuyo e Teto Preto. Os showcases acontecem no Centro Cultural São Paulo, na Sala Adoniran Barbosa, de 6 a 8 de dezembro, das 15 às 20h30. A programação é gratuita.

Filmes

SIM São Paulo apresenta a animação Yellow Submarine, no Cine Olido.
SIM São Paulo apresenta a animação Yellow Submarine, no Cine Olido.

Steve Shelley, baterista do Sonic Youth, desembarca em São Paulo para apresentar em primeira mão o “30 anos de Daydream Nation”. Serão duas sessões (8, às 19h, e 9, às 18h) no Cine Olido, acompanhadas da presença do música e também do Gustavo Riviera (Forgotten Boys/Riviera Gaz) que, juntos, comentarão cenas do filme. A mostra também traz as animação “Yellow Submarine”, de George Dunning, além do documentário “Hip Hop e Mercado (A Cena do Rap)”, do coletivo NPMH2.

Saiba mais sobre os filmes aqui. Todas as sessões são gratuitas.

Preparados para a maratona? Quem vem comigo?

SIM SÃO PAULO 2018
Centro Cultural São Paulo + 30 casas de shows
5 a 9 de dezembro
PRO-BADGE (credencial): R$ 350,00 (terceiro lote – a partir de 01/12)
Credenciados têm acesso livre à programação completa da SIM.

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

04 de December, 2018

Share

Lalai Persson

Lalai prometeu aos 15 anos que aos 40 faria sua sonhada viagem à Europa. Aos 24 conseguiu adiantar tal sonho em 16 anos. Desde então pisou 33 vezes em Paris e não pára de contar. Não é uma exímia planejadora de viagens. Gosta mesmo é de anotar o que é imperdível, a partir daí, prefere se perder nas ruas por onde passa e tirar dicas de locais. Hoje coleciona boas histórias, perrengues e cotonetes.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.