De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

Tiger & Turtle, uma montanha-russa para andar a pé

Quem escreveu

Renato Salles

Data

02 de August, 2017

Share

Olhando de longe você pode até sentir vertigem. Quem não gosta de fortes emoções provavelmente não vai querer nem se aproximar. Mas chegando mais pertinho, vai perceber que essa é talvez a montanha-russa menos radical do mundo. Na Tiger & Turtle – Magic Mountain, não tem limite de idade (mas não é aconselhado para menores de 3 anos), não precisa de cinto de segurança, e não tem carro nenhum. Pois é, para se aventurar nas curvas dela, você tem que ir a pé.

Tiger & Turtle, Duisburg, Alemanha - foto: Riessdo - Creative Commons
Tiger & Turtle, Duisburg, Alemanha – foto: Riessdo – Creative Commons

A Tiger & Turtle é, na verdade, uma escultura dos artistas alemães Ulrich Genth e Heike Mutter. Ela fica no alto de um morro na cidade de Duisburg, no oeste da Alemanha, para que os visitantes possam apreciar a vista da cidade do alto de seus 21 metros de altura. A estrutura inteira, feita de restos de zinco e aço de uma mineradora, chega a 45 metros. Mas esse ponto não é acessível para seres humanos que não sabem voar, porque fica no ponto mais alto de um loop. Uma pena, porque de lá de cima ainda se pode ver o Rio Ruhr.

Tiger & Turtle com as pessoas em cima. Foto: Lalai Persson

Esse pequeno detalhe impede que se faça o circuito completo. Então, indo primeiro para um lado e depois para o outro, você pode percorrer os 249 degraus de escada acessíveis aos visitantes. A estrutura também fica aberta à noite, quando é inteira iluminada com LED.

Tiger & Turtle - foto: Genth/Mutter
Tiger & Turtle – foto: Genth/Mutter

A Tiger & Turtle estabelece uma dialética entre a expectativa que o observador cria pela sua imagem à distância – a velocidade do tigre representado pela forma da montanha-russa – e o obstáculo que se impõe a quem a visita – a dificuldade e a lentidão de subir tantas escadas, a passo de tartaruga.  A obra, de 2011, já foi considerada uma das escadas mais extremas do mundo. O que eu posso garantir, é que deve ser uma das obras de arte mais instagramáveis que existe.

Onde fica?

Duisburg é uma cidade industrial a 24 quilômetros de Dusseldorf e não há muito o que fazer por lá. O jeito mais fácil é ir de carro, mas caso esteja a pé, é possível ir de trem também. Nesse caso o passeio envolverá uma boa caminhada de meia-hora para chegar à montanha russa. Caso se anime em conhecê-la (e vale muito a pena), aproveite para também visitar o Landschaftspark Duisburg Nord, um grande complexo industrial desativado transformado em parque. Nele há restaurante, food trucks e cinema além de, eventualmente, abrigar shows e outras programações especiais. Dali é possível escalar uma das áreas da antiga fábrica e ver a cidade a 70 metros de altura.

*Foto do destaque: Flickr – Maarten Takens

Quem escreveu

Renato Salles

Data

02 de August, 2017

Share

Renato Salles

Para o Renato, em qualquer boa viagem você tem que escolher bem as companhias e os mapas. Excelente arrumador de malas, ele vira um halterofilista na volta de todas as suas viagens, pois acha sempre cabe mais algum souvenir. Gosta de guardar como lembrança de cada lugar vídeos, coisas para pendurar nas paredes e histórias de perrengues. Em situações de estresse, sua recomendação é sempre tomar uma cerveja antes de tomar uma decisão importante. Afinal, nada melhor que um bom bar para conhecer a cultura de um lugar.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.