Lifestyle

Minutiae: a nova anti-rede social

Quem escreveu

Jo Machado

Data

09 de October, 2017

Share

Em tempos de popularidade universal do Facebook e Instagram, lutar contra a busca por likes e #tbts é algo que acaba deixando a gente um cadinho frustrado. Não? Tem quem que diga que não, que consegue se controlar, mas negar que as redes sociais são parte do cotidiano intelectual e psicológico atual é um tanto quanto hipócrita. Sim, somos dependentes! De formas e intensidades diferentes, mas em geral somos dependentes de suas rotinas. Fique alguns dias sem abrir o app do Facebook ou sem postar nada. Certamente alguém vai aparecer com um “oi sumido!”

Para algumas pessoas pode até ter sido uma febrinha lá em junho ou julho. Mas como eu descobri há pouco, fiquei bem entusiasmado com a premissa do Minutiae. Esse app criado por Martin Adolfsson e Daniel Wilson tem a premissa de ser uma anti-rede social. Segundo a dupla, as redes que estamos acostumados transformou a gente em bonecos de preencher pesquisas de mercados com nossos likes. O Minutiae vai na contramão disso. Para começo de conversa, é uma rede anônima. Além disso, a ideia dele é justamente que as pessoas comecem a retratar aqueles momentos totalmente triviais da vida, que geralmente não celebramos com fotos tratadas e cheias de filtros.

Quando teu ciclo acabar, esse tabuleiro vai estar cheio de momentos da tua vida.

O app funciona assim: em um momento aleatório do dia, seu celular vai tocar um alarme.O alarme pode tocar às duas da tarde no meio da tua reunião, às 3 da manhã com você na cama, ou no meio do fim de semana. É sempre no mesmo momento para todo mundo. A partir daí você tem 1 minuto para responder à notificação e só 5 segundos para fotografar alguma coisa. Seja o que for! Sua mãe fazendo a unha, seu cão fazendo xixi, a parede da cozinha. Se você perder esse intervalo de tempo, você registra um quadradinho preto, e daí só na próxima chamada! Caso contrário, você posta. E aí você tem 60 segundos para ver suas fotos passadas, ainda consegue ver as fotos de algum outro usuário do mundo por mais um minuto. Pode ser um surfista na Austrália, uma artista na Malásia ou um professor americano. Tudo randômico!

Como diz o manifesto do Minutiae, esse app não traz gratificação imediata. Você não recebe likes, não conhece gente e não tem seguidores. No lugar disso, você conta a história da sua vida com os momentos mais triviais, dia-a-dia, que geralmente acabariam esquecidos com o tempo. O Minutiae é, como eles pregam, uma maratona, não um sprint. Quando você começar a usar o app, você vai ter 1440 chances de registrar sua vida. Cada segundo fotografado desse representa um minuto de um dia completo (60 minutos x 24 horas = 1440). Depois disso, quando você completar o ciclo – isso dá aproximadamente 4 anos – aí sim poderá fazer download de todas as suas fotos, com opção de convertê-las em um formato de álbum para impressão.

Tá, mas e qual a graça nisso?! A graça está no simples fato de que você é mais um anônimo no Minutiae. Todos somos! Também no fato de que você não fica escravo de uma timeline, passando o dia lendo ou postando. A intenção do app é documentar a ordinário, o simples, da vida de pessoas normais até artistas renomados. E acima de tudo, o mais bacana do Minutiae é que ali está registrada a vida real, sem edições para parecer perfeita, e sim perfeita em suas deliciosas imperfeições.

minutiae
Com o Minutiae, você consegue ver a vida real de estranhos do mundo inteiro

O Minutiae, por enquanto, só está disponível para IOS. E como sou Android, uso no telefone da empresa. Ele começou gratuito, mas fez tanto sucesso que agora custa US$14,99. Sim, é caro para o que estamos acostumados. Porém te garanto que você não vai encontrar nada parecido por aí. A coisa toda parece meio sem pé nem cabeça, mas no meio dessa loucura digital que vivemos, o Minutiae é um oásis de humanidade que vale a pena experimentar.

Para finalizar, olha só esses dois exemplos bem divertidos dessa nossa pseudo-escravidão pelas redes sociais. Primeiro assista esse vídeo super engraçado do The Independent e depois disso, fique offline para ver esse site. Sim, ele só funciona offline!


* Foto destaque: W.carter

Quem escreveu

Jo Machado

Data

09 de October, 2017

Share

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter