Copenhagen, a cidade mais alegre da Escandinávia

Data

19 de January, 2015

Share

Não dá para passar incólume por Copenhagen. Quem vai, quer ficar. Só pelo fato de mais 35% da população se locomover exclusivamente por bicicleta, já diz muito sobre a qualidade de vida dessa pequena pérola escandinava. A capital dinamarquesa é compacta, quase plana e muito charmosa. A cidade de Copenhagen tem cerca de 600 mil habitantes, os quais 94.000 são estudantes, e somados aos moradores da região metropolitana, chegam a mais 1,5 milhão. No verão é, com certeza, uma das melhores pedidas na Europa. A cidade é divertida, jovem e pulsante. É considerado um dos melhores lugares para viver pela revista Monocle. A Lonely Planet considera o lugar mais gay friendly do planeta. É a cidade do design com um planejamento urbano invejável, a mais verde da Europa, e dizem estudos que a mais feliz do mundo. Nem tudo é só maravilha, e o preço disso é o próprio preço – a cidade é bem cara. Mas esqueça um pouco a conversão de moeda, alugue uma bike e aprenda o que faz desse pequeno país um lugar tão especial.

Informações gerais

Apesar de fazer parte da Comunidade Européia, a Dinamarca não aderiu ao Euro. A moeda por lá é a Coroa Dinamarquesa, R$ 1 equivale a DKK 0,4380. Praticamente todos os lugares aceitam cartão de crédito e/ou débito. Uma boa pedida é levar um travel card em euros. A língua oficial é o dinamarquês, mas a população fala inglês fluente. Gorjetas não fazem parte da tradição do país. Caso o serviço seja excepcional e queira recompensar, 10% é suficiente.

Transporte

Ao chegar no aeroporto, é possível ir para a cidade de metrô, trem, ônibus ou táxi:

De metrô: vá até o Terminal 3 e pegue o metrô M2 para a estação Vanløse, não há como errar pois todos vão para essa direção. A viagem até a estação Nørreport, o maior hub da cidade, leva 13 minutos. Durante o dia, o metrô tem intervalos de até 6 minutos, enquanto à noite, o intervalo pode chegar a 20 minutos. Os tickets podem ser comprados na própria estação em moedas ou cartão de crédito.

De trem: vá até o Terminal 3 e pegue o trem em direção à Central Station. Os trens passam a cada 10 minutos e, assim como o metrô, leva 13 minutos até a cidade.

Central Station - Foto por Frank Bach/Shutterstock
Central Station – Foto por Frank Bach/Shutterstock

De ônibus: a linha 5A leva até as estações Central Station, City Hall Squarte e Nørreport, entre outras estações. A viagem tem duração de 30 minutos até a Central Station. É possível comprar o ticket no terminal 3 ou no próprio ônibus, porém os motoristas aceitam apenas moeda, algo que raramente temos quando chegamos em Copenhangen.

De táxi: na Escandinávia, táxi não é o meio de transporte mais recomendável devido às altas tarifas, mas se por algum motivo essa seja sua opção, os táxis levam cerca de 30-35 minutos até o centro. As tarifas variam entre DKK 250-300 (R$109-131), que pode ser uma boa caso esteja em 3 pessoas.

Na cidade, para trem, metrô e ônibus, é possível comprar um bilhete de 24 ou 72 horas: Zona 1-4 Valor: 24h – DKK 80 (cerca de R$35), 72h – DKK 200 (cerca de R$88) – é possível comprar pela Internet (você receberá o ticket por SMS) ou via app (ios e android)

Existe também o Copenhagen Card, um cartão que dá direito ao transporte público e às atrações da cidade (cerca de 72 museus e atrações turísticas). Custa a partir de 48 (R$156) a 110 (R$360) euros, dependendo da quantidade de dias que quer usufruir do cartão, mas sinceramente não achamos que valha a pena.

Porém, a opção mais bacana depois de devidamente instalado é a bicicleta. Copenhagen é segura, cheia de ciclovias e tudo é relativamente perto então não há como se dar mal com essa escolha. Na cidade toda há lojas de bike e a maioria delas alugam. A dica para alugar é em Dybbølsbro, ao lado da estação de trem de mesmo nome, que tem uma loja prática, barata e aberta sempre.

Guia de Bairros

Copenhagen é dividida em 6 distritos: Østerbro, Vesterbro, Nørrebro, Christianshavn, Islands Brygge e o centro Indre By (Inner city).

Østerbro é o lugar mais family friendly da cidade. Possui muitas áreas verdes – é lá que está o Fælledparken, maior parque público do país – mas também tem cafés charmosos e lojas de design.

Para quem curte a noite, Vesterbro é o lugar para ficar. Bairro boêmio, é um dos poucos lugares na cidade onde as coisas ficam abertas até mais tarde. Mesmo se você não for ficar por ali, é interessante separar um sábado para andar pela região, que também abriga um Flea Market, galerias de arte e lojas de design dinarmaquês. Em Vesterbro, fica o Kødbyen (Meat City), algo como o Meatpacking District em Nova York, onde você encontra centenas de restaurantes bacanudos e lugares para sair a noite.

Nørrebro é famoso por ser o bairro dos imigrantes, é um dos mais badalados e é super rico culturalmente. Prédios se transformaram em squats abrigando projeções de filmes, performances e festas de rua, além de dividirem espaço com restaurantes árabes, empórios turcos e açougues hallal. Dois lugares para visitar são a Blågårdsplads e a Sankt Hans Torvet, praças bem características onde é possível perceber essa riqueza cultural.

Christianhavn é cheio de canais charmosos, lembrando um pouco Amsterdã. Também é um bairro cheio de bares que funcionam até tarde

Islands Brygge é o canto mais calmo de Copenhagen. Foi no passado um bairro operário tomado atualmente por jovens e muitos cafés. Possui um parque, o Amager Fælled, na margem do canal, oferecendo uma das vistas mais bonitas da cidade.

Ørestad é um dos bairros mais novos de Copenhagen, construído por escritórios badalados de arquitetura. Para quem gosta do assunto, o lugar é obrigatório. Não deixe de visitar por lá os prédios residenciais VM Mountain e 8Tallet, pelo arquiteto Bjarke Ingels (BIG) e o DR Concert Hall, pelo arquiteto jean Nouvel.

8Tallet - Foto por Seier+seier
8Tallet – Foto por Seier+seier

Indre By, bairro central de Copenhagen e, apesar de turístico, é imperdível. Lugar ótimo para caminhar pelas ruelas em torno da Strøget, principal rua de comércio da cidade. Por lá é possível sentir um pouco o estilo de vida dinamarquês. O burburinho gay dinamarquês rola em Studiestæde, no Centro. Tem bares de sadomasoquismo dividindo espaço com brechós antigos, saunas e festas de dragqueens.

Para se hospedar

hotelalePara respirar a cultura da Dinamarca, o Hotel Alexandra é uma excelente opção: os móveis vintage com o inconfundível design impecável, e o serviço para chamar o concierge de amigo. H. C. Andersens Blvd. 8, 1553 København

Pertinho do Tivoli Garden (o parque de diversões), o First Hotel Twentyseven  prioriza o design, com decoração minimalista e moderna. Lá às sextas e sábados rola uma música boa para poder sair à noite sem ter que sair do hotel no Honey Ryder Cocktail Lounge. Løngangstræde 27, 1468 København

Quer uma experiência diferente? Um hotel com apenas um quarto: na parte de cima de um pequeno café em Vesterbro, o Central Hotel & Café é uma hospedagem única, com detalhes e design para nenhum fã de hotel boutique botar defeito.  Tullinsgade 1, 1618 København

Para comer

Para não passar perrengue por lá, nunca deixe de reservar uma mesa para o jantar. Em Copenhagen, decidir em cima da hora e tentar achar um lugar para comer, não é uma boa idéia.

Pop et spiseri serve comida italina com charme dinamarquês com um menu bem enxuto. É conhecido pelo ótimo atendimento, qualidade nos pratos e preço justo (para os padrões escandinavos). Recomenda-se reservar mesa. Preço único: 600DKK – cerca de R$ 260,00 -, incluindo entrada, prato principal, vinho, sobremesa e café. Endereço: Griffenfeldsgade 28, Nørrebro – Quarta à sexta-feira: 17h30 à 0h.

Grillen Nørrebro é mais informal servindo hambúrgueres apetitosos e cerveja bem gelada. As porções são bem servidas e as onion rings, imperdíveis. Se você comer o hamburguer mais apimentado da casa, não paga a conta e ainda ganha sua foto nas paredes do lugar. Endereço: Nørrebrogade 13, Nørrebro. Abre todos os dias das 11:30 às 23:00 horas.

O Paté Paté é um restaurante de comida francesa contemporânea. Os pratos são pequenos, recomenda-se pedir 3 por pessoa e o cardápio muda quase que diariamente. Endereço: Slagterboderne 1 1716 Copenhagen. Horários: De segunda a quarta, das 9 à meia noite; quinta, das 9 à uma da manhã; sexta e sábado, das 9 às  da manhã. Fechado aos domingos.

Paté Paté - Reprodução Facebook
Paté Paté – Reprodução Facebook

Para comer frutos do mar em Copenhagen, o Fiskbaren é o lugar. Tudo ali é super fresco e o atendimento perfeito. O preço é convidativo e é o lugar para onde os sous chefs do Noma vão após o trabalho. Endereço: Flæsketorvet 100 1711 Copenhagen. Horários: Abre todos os dias às 17:30. Sextas e sábados, fecha às 2 da manhã; nos outros dias, à meia noite.

Para uma vista 360 da cidade, vá ao Sticks’n’Sushi, no topo do Hotel Tivoli. Só pela vista, o lugar já valeria a pena, mas a comida de lá é ainda de comer de joelhos. Endereço: Arni Magnussons Gade 2, 12. sal Tivoli Hotel & Congress Center. Horários: Abre todos os dias às 10 da manhã. De domingo a quarta, fecha às 23; Quinta à 1; e sexta e sábado às 2.

O Halifax é o lugar para comer o típico hamburguer clássico norte-americano, com 2 deliciosas opções vegetarianas. Endereço: Frederiksborggade 35. Horários: Abre todos os dias ao meio-dia e fecha às 22, exceto de domingo, quando fecha às 21.

Comida mediterrânea é o ponto forte do Atlas Bar. O lugar costuma encher, por isso é recomendado reservar uma mesa. Endereço: Larsbjørnsstræde 18. Horários: Fechado aos domingos; todos os outros dias, da meio-dia a meia-noite.

O Toverhallern é o maior mercado de comida da cidade. Ali, você encontra mais de 60 banquinhas vendendo todo tipo de comida diariamente. Evite aos finais de semana. É imperdível! Endereço: Frederiksborggade 21. Horários: Segunda a quinta, das 10 às 19; Sexta, das 10 às 20; Sábado, das 10 às 18; e nos domingos das 11 às 17.

Para tomar café

O Laundromat Café é parada obrigatória para um brunch em Copenhagen. Existem mais 3 deles na cidade, mas o da Elmegade é o original. O lugar consegue atrair tanto turistas quanto locais. Se  Endereço: Elmegade 15 , Nørrebro. De dias de semana, das 8 às 23 horas; de final de semana: das 9 às 23 horas.

The Laundromat Café - Reprodução Laundromat Café
The Laundromat Café – Reprodução Laundromat Café

Outra opção para brunch é o Granola. Eles também têm opções para almoço e jantar, mas a fama do lugar é graças ao café da manhã. Oferece café bem tirado e bons milk shakes. Mas prepare o bolso e a paciência: além de ser um pouco caro, é normalmente bem cheio, é recomendável reservar mesa. Aproveite e visite o mercado das pulgas que acontece na frente aos sábados. Endereço: Værnedamsvej 5, 1819 Frederiksberg. Horários: Segunda a sexta das 7 às 24; Sábado das 9 às 24; Domingos das 9 às 16 hrs.

A Conditori La Glace é a confeitaria mais antiga da Dinamarca, aberta em 1870. O lugar é bem cafona, construído com mármore: é único. Foi considerada umas das 25 confeitarias imperdíveis no mundo pelo Buzzfeed. Endereço: Skoubogade 3. Horários: Durante a semanas, das 8:30 às 18, sábado, das 9 às 18; Domingo, das 10 às 18.

A franquia londrina Hotel Chocolat serve o melhor chocolate quente da cidade. Não deixe de experimentar o Salted Caramel. Endereço: Østergade 13. Horários: De segunda a quinta, das 8:30 às 18; na sexta, das 8:30 às 19; sábado, das 10 às 17. Domingo está fechado.

Para tomar um drink

Manfreds é um wine bar com uma boa coleção de vinhos. O bar tem apenas 20 lugares para sentar e é possível sentar apenas para tomar uma taça, mas se puder, não deixe de experimentar o steak tartar da casa. Endereço: Jægersborggade 40, Nørrebro. Abre todos os dias para almoço (12-15h30) e jantar (17h30-22)

Malbeck Vinoteria é o lugar perfeito para uma taça de vinho e tapas. De domingo a quinta, o preço do vinho cai pela metade das 16 às 18 horas. Peça o menu degustação com seleção de carnes frias, salame, 3 tipos de queijo, azeitonas por 140Kr para uma pessoa e 250Kr para duas. Endereço: Birkegade 2, Nørrebro. Aberto todos os dias a partir das 16 horas; Sexta e sábado funciona até às 1 da manhã; nos demais dias, fecha à meia noite.

O Dyrehaven é na verdade um café, mas possui uma boa carta de drinks bem feitos e cervejas dinarmaquesas. É um ótimo lugar para sentar numa tarde sábado. Endereço: Sønder Boulevard 72. Horários: Durante a semana, das 9 às 2 da manhã. Sábado, das 10 às 2 e no domingo, de 10 à meia-noite.

Não existe cardápio no Ved Stranden 10: você fala para o garçom o que gosta e eles trazem algo que acreditam combinar com seu gosto e contam um pouco a história do vinho. Eles trabalham com vinícolas pequenas e todos que trabalham lá vão até elas para conhecer a história pessoalmente. O preço não é muito atraente, uma taça pode custar R$ 70, mas a média é R$ 40/50 por taça. Endereço: Ved Stranden 10. Horários: Fechado aos domingos; todos os outros dias do meio-dia às 22.

Ved Stranden 10 - Reprodução
Ved Stranden 10 – Reprodução

Para dançar

O Jolene é um bar, daqueles para tomar cerveja de garrafa. Abriu em 2007, mas fez tanto sucesso que teve que fechar 4 meses depois por reclamação dos vizinhos. Reabriu em 2008, no mesmo lugar que fica até hoje em Vesterbro. Djs tocam a noite toda e vez ou outra uma banda toca no lugar. Endereço: Flæsketorvet 81-85.

Se você curte música eletrônica, uma boa pedida é a God Goes Deep. Além de sempre ter djs maravilhosos tocando por lá, a festa acontece em uma igreja, o que torna tudo ainda muito mais legal. Endereço: Vor Frue Kirke, Nørregade 8.

Outra dica para amantes de música eletrônica, é o Culture Box, que é um dos clubes mais famosos na Dinamarca. É dividido em  espaços: o White Box, bar para o esquenta; Red Box, um lugar mais íntimo; e o Black Box, onde os grandes nomes tocam. Endereço: Kronprinsessegade 54.

Para ouvir música ao vivo, vá ao Rust. As atrações são bandas alternativas, pop, artistas de hip-hop ou música eletrônica. Sempre conta com artistas mais desconhecidos e alternativos. Mas 3 vezes por semana, a casa ainda conta com uma pista de dança. A entrada é 60 DKK para a pista, para os concertos o preço varia, dá uma olhada aqui. Endereço: Guldbergsgade 8.

Para inspirar

A Sønder Boulevard, em Vesterbro, é uma rua de 1,3km onde o canteiro central foi transformado em um parque linear. No verão, esse parque vira a praia dinamarquesa. Vale esticar por lá para conhecer quando for tomar uma cerveja no Dyrehaven.

O Nyhavn, na região central, é o lugar perfeito para o final de um longo dia no verão. É lá que estão as famosas casinhas coloridas que são o cartão postal da cidade. Aproveite para comer alguma coisa em algum dos diversos restaurantes charmosos por aí ou compre uma cerveja e tome na calçada. Quando estiver por ali, não deixe de visitar o Parque Kastelet e Amalienborg, o castelo da família real.

Nyhavn Canal - Foto por Sean Pavone/Shutterstock
Nyhavn Canal – Foto por Sean Pavone/Shutterstock

A Ny Carlsberg Glyptotek é uma galeria de arte em Copenhagen, com um acervo lindo e sempre alguma boa exposição boa rolando. O lugar é encantador e tem um café gostoso, com receitas com ingrendientes orgânicos e sustentáveis. Endereço: Dantes Plads 7. Horário: De terça a domingo, das 11 às 17.

Um dos prédios mais bonitos de Copenhagen é o Den Sorte Diamant (Diamante Negro), a Biblioteca Nacional. O nome vem do fato do prédio ser feito de granito preto e ter ângulos irregulares. Além de ser uma biblioteca, o local ainda oferece várias outras atividades, como concertos de música, conferências e apresentações teatrais. O lugar ten ainda espaço para exposições, uma livraria, um café, um terraço e dois museus, O Museu nacional da Fotografia e um pequeno museu dedicado a quadrinhos. Endereço: Søren Kierkegaards Plads 1. Horário: fechado aos domingos, todos os outros dias, das 8 às 22:00, ou 19:00 no verão.

Sorte Diamond - Foto por Steffen Hoejargen/Shutterstock
Sorte Diamond – Foto por Steffen Hoejargen/Shutterstock

A igreja de St Nikolaj foi construída no começo dos 1200 e é a terceira igreja mais antiga de Copenhagen. Depois do grande incêndio na cidade, ela foi desativada e teve diferentes funções com o passar dos anos. Hoje, funciona lá a galeria de arte Nikolaj Kunsthal, sempre com uma exposição interessante. A entrada é de graça às quartas. Endereço: Nikolaj Plads, 10. Horário: Terça a domingo, da meio-dia às 17; quinta fica aberto até às 21.

A Church of Our Saviour tem uma escada em espiral com 392 degraus. Claro que subir tudo isso não é das tarefas mais fáceis, mas ao chegar no topo você vê que vale a pena:  você é brindado com a vista mais bonita da cidade. É possível avistar a Suécia de lá. Endereço: Sankt Annæ Gade 29. Horários: Diariamente das 11 às 15:30.

Christiania é um lugar que todos devem ir por lá.  Foi criada em 1971 a partir da ocupação de uma base militar abandonada na cidade. Hoje conta com 850 habitantes numa área de 34 hectares. É um “bairro” autônomo e com leis próprias. Aliás, o lugar gerou muita controversa por sua política permissiva a maconha. Mas atenção: não tire fotos lá dentro.

Para comprar (ou passar vontade)

Se você é viciado em música, dê uma passada na Dorma 21. Além de ser loja de discos, o lugar também é um café e faz festas esporadicamente com djs e cerveja. Focada em música eletrônica, lá você encontra discos difíceis de se encontrar a preços razoáveis. Endereço: Birkegade, 21, Nørrebro. Horário: De segunda a quinta, das 11 às 19 horas; sextas e sábados, das 11 às 22 horas.

Para compras, uma ótima pedida é passear pela Elmegade, a rua mais simpática do bairro de Nørrebro. Lá, outlets de marcas escandinavas como a Acne, dividem o espaço com bares e cafés sempre movimentados. Já a Istedgade é a versão dinamarquesa da nossa Rua Augusta. É por lá que estão as principais lojas de design da cidade. Não deixe de passar na Dansk, de artigos para a casa, para se inspirar um pouco.

Também na Istedgade, está a Kyoto, loja de roupas super bacanas, que antes era focada em moda masculina, mas hoje atende tanto homens quanto mulheres. Endereço: Istedgade 95. Horário: Segunda a sexta, das 11 às 18. Sábado, das 10 às 17.

Agradecimentos especiais ao Fernando Paal e à Aline Gomes, que deixaram o guia ainda mais especial.

Data

19 de January, 2015

Share

Assine nossa newsletter