Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Eventos gratuitos SP por Catho

Guia semanal de eventos gratuitos para curtir em São Paulo

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Nomadismo Digital por Treviso

Trabalhando e viajando ao mesmo tempo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

SingularityU Brazil Summit: as 5 melhores palestras

Quem escreveu

Lucymara Andrade

Data

16 de July, 2019

Share

Apresentado por

Recentemente rolou o Singularity Brazil Summit. Mas para quem não teve um patrocínio corporativo, provavelmente perdeu. Sem dúvida é um dos festivais com maior qualidade de palestrantes entre todos os festivais de inovação, e bem voltado ao público corporativo – tanto pelo público quanto pelo preço. Mas é de extrema relevância, pois não existe uma empresa sequer que não esteja sendo impactada pelas rápidas transformações tecnológicas.

Mais uma vez vimos o topo da pirâmide empresarial do país reunida para as discussões abordadas: a velocidade exponencial das mudanças, tecnologias emergentes, impacto positivo e – principalmente – o porquê desse próprio “topo da pirâmide empresarial” perder o sentido em um mundo horizontalizado, em rede, e menos hierárquico. Essa grande demanda é, sem dúvida, grande parte a marca sexy da Singularity junto com o poder do “mailing HSM”, organizadora dos principais congressos para executivos do país. Porém também acredito que é um grande indicador q as empresas perceberam que precisam mudar – e rápido.

A visão de futuro da Singularity, sem dúvida, é extremamente otimista. O único perigo é achar que ela é única, como diz esse texto do Tiago Mattos ou esse da Rosa Alegria. Mas como esse congresso é deles, nada como começar com o conceito de moonshot thinking, e se você não estiver familiarizado, acho legal ver um vídeo do Peter Diamandis – médico, engenheiro e co-fundador da Singularity.

O palco 360 foi uma boa iniciativa, porém na prática um pouco frustrada. Vi em outros festivais esse ano como o C2, mas para funcionar ele precisa de palestrantes muito experientes com o formato, na prática, assistimos 75% do tempo a palestra de costas.
Foto Vanessa M
Mas não é porque você não foi que não consegue acesso ao conteúdo. Quer dizer, especificamente dessa versão é difícil, mas os palestrantes já rodaram bastante por aí, e escolhi a dedo as palestras e conteúdos mais similares ao que ofereceram aqui.

Jason Silva

Ele é o muso de 100 entre 100 geeks. Tivemos oportunidade inclusive de fazer uma entrevista exclusiva (que logo logo postamos no insta). O canal Shots of Awe é uma das nossas maiores inspirações diárias. A palestra de abertura do segundo dia foi totalmente sem roteiro, inspirada, e contagiou de otimismo o público sobre o futuro. Mas essa palestra que ele deu no TNW não deve em nada:

Jeffrey Rogers

O ótimo Jeffrey Rogers é um dos famosos hosts dos summits da Singularity, e ele realmente é um palestrante emocionante e didático. A introdução dele à exponencialidade foi dada no evento, mas esse do global summit é muito próximo ao que ele falou por aqui:

Tiffany Vora

Sem dúvida a palestra que mais gostei foi sobre biologia sintética e digital: imagina se criássemos peixes que comem plástico e seus dejetos combatessem a acidificação dos oceanos? Isso é o que discutiu a Tiffany Vora. O que mais me impressionou foi que ela foi a fundo na legislação brasileira para discutir os limites da manipulação genética.

Pascal Finette

Pascal Finette é uma daquelas figuras imprescindíveis nos summits da Singularity. Ele falou sobre impacto a nível global, e como que as startups e empresas precisam colaborar para resolver os grandes desafios da humanidade.

Taddy Blecher

A segunda palestra que mais amei foi de Taddy Blecher, que encheu o público de esperança sobre novos paradigmas na educação. Ele não ficou só no blablablá sobre o que está errado hoje, mas trouxe iniciativas globais que realmente fizeram diferença.

Sem dúvida a Singularity University foi extremamente relevante para disseminar alguns conceitos nesse universo acelerado, volátil, incerto e ambíguo que vivemos. Porém, como mencionei ano passado, ainda encaro com reticência pregar e disseminar o conceito da abundância. Restringir o acesso ao conhecimento é a antítese do walk the talk. Certamente liberar o conteúdo live ao menos online estaria mais próximo de impactar positivamente um bilhão de pessoa, e é isso que tentamos colaborar colocando o conteúdo nesse post.

De qualquer forma, o papel de trazer para o topo da pirâmide empresarial a responsabilização sobre o impacto positivo em toda cadeia, em todas as empresas, já é um grande impacto positivo por si só.

*Foto de destaque: Jorge Gordo – Unsplash

Quem escreveu

Lucymara Andrade

Data

16 de July, 2019

Share

Apresentado por

Lucymara Andrade

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.