De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

SP24hrs

Porque para amar São Paulo não é preciso firulas.

Vem aí o novo Farol Santander

Quem escreveu

Dani Valentin

Data

23 de January, 2018

Share

Em 1939, começaram as obras de uma das construções icônicas de São Paulo, o Edifício Altino Arantes, conhecido carinhosamente também como Banespão. A inauguração aconteceu quase 8 anos depois, em 1947, se tornando ponto de referência de São Paulo, não só pela altura – ele foi o prédio mais alto da cidade por 20 anos – mas também pela arquitetura com inspiração clara no Empire State Building, em Nova York. O edifício já foi sede da TV Tupi, do Banespa e, depois de privatizado em 2000 pelo grupo Santander-Banespa, passou também a abrigar um museu. Agora, o prédio passa por mais uma transformação.
Isso porque desde o ano passado o Santander Brasil está trabalhando para transformar a construção em um centro de cultura, lazer e empreendedorismo. Chamado de Farol Santander, o novo centro terá sua abertura agora no aniversário da cidade, dia 25, primeiro para convidados e funcionando aberto para o público no dia seguinte. Nessa nova fase, foram ocupados 18 dos 35 andares do edifício, onde curadores selecionados pelo banco, como Facundo Guerra, Marcelo Stefanovitz e Bob Burnquist, cuidam da programação.

Farol Santander
Farol Santander. Foto: Renato Salles

Começamos no 2º, 3º e 5º andares, que são reservados para contar um pouco mais da história do prédio. Por lá, podemos assistir um vídeo, navegar por uma linha do tempo ou nos perder em ambientes, como salas de atendimento ao cliente ou instalações de antigas presidências e diretorias, decorados 100% com objetos originais. No 4º andar, existe uma instalação permanente do Vik Muniz, a Vista 360, com fotos da vista do mirante que foi reproduzida pelo artista em seu próprio estúdio com mais de 20 toneladas de sucata do prédio como material.
Farol Santander
Farol Santander. Foto: Renato Salles

Farol Santander
Vídeo de apresentação do Farol Santander. Foto: Renato Salles

O 8º andar vai promover encontros e palestras para discussões sobre inovação, empreendedorismo e cidadania ativa. Quem cuida da programação por lá é a Garimpo Soluções e os encontros serão realizados aos sábados, a cada 15 dias, sempre das 11h às 13h.  A primeira sessão será o dia 3 de fevereiro com o tema Moda, mas a agenda já está completa até o meio de abril, onde vai se falar ainda de gastronomia, saúde e bem estar e Medellín. O preço de cada palestra é R$ 17 e dá direito a visita ao Mirante.
No 21º andar encontramos uma pista de skate idealizada pelo Bob Burnquist, um dos maiores nomes do esporte no Brasil. A pista de 300m2 pode receber até 12 pessoas ao mesmo tempo e é ocupada por um circuito street com rampas e obstáculos, além de grafites produzidos pelo Baixo Ribeiro, da Choque Cultural. Ela vai ter horários livres para uso do público, mas também tem uma programação de aulas regulares. Quem não tem equipamento pode alugar por lá mesmo.
Pista de skate do Farol Santander.
Pista de skate do Farol Santander. Foto: Renato Salles

Nos dois andares seguintes, se encontram exposições de arte imersiva, com curadoria de Facundo Guerra e Tatiana Wlasek, da Storymakers. Serão duas novas exposições a cada 100 dias, uma nacional e outra internacional, sempre batendo em 3 temas principais: empreendedorismo, contemporaneidade e internacionalidade. Para a inauguração, temos a exposição inaugural “Belo, transitório e finito”. O 22º andar é ocupado pela artista brasileira Laura Vinci, com a obra DIURNA. Já o 23º tem a belíssima O dia que saímos do campo (The day we left field), do coletivo russo TUNDRA.
O dia que saímos do campo. Foto: Renato Salles
O dia que saímos do campo. Foto: Renato Salles

No 25º andar, encontramos o espaço mais inusitado do prédio, o Loft do 25um apartamento de 355m2 que pode ser alugado pelo Airbnb para hospedagem de até 5 pessoas ou eventos para até 50. O projeto foi assinado pelo escritório de arquitetura franco-brasileiro Triptyque, e tem sala, quarto com vista para a cidade, cozinha – equipada, com fogão, microondas, geladeira e tudo que você precisa – banheiro e um lavabo. Para a locação como hospedagem, é oferecido também serviço de camareira e limpeza. A estimativa é que o local estará pronto para locação a partir de março (e o preço vai girar em torno de R$4mil a diária).
Loft do 25. Foto: Renato Salles
Loft do 25. Foto: Renato Salles

A área mais esperada, como não poderia deixar de ser, é o mirante do 26° andar, que conta com uma das vistas mais famosas da cidade. Por lá, encontramos também uma nova unidade do Café Suplicy, que oferece lanches e almoços e ainda faz no fim de semana um brunch.
Café Suplicy. Foto: Renato Salles
Café Suplicy. Foto: Renato Salles

Os ingressos para as exposições, debates e visita ao mirante já estão sendo vendidos pelo site, onde você deve marcar um horário para a visita. No caso do mirante, é possível comprar na hora também.
 
Farol Santander
Rua João Brícola, 24. Centro
Das 9h às 19h
* Foto de capa: Vista do mirante. Foto: Renato Salles

Quem escreveu

Dani Valentin

Data

23 de January, 2018

Share

Dani Valentin

A Dani gasta todo o seu dinheiro com viagens. Um de seus maiores orgulhos é dizer que já pisou em cinco continentes. É do tipo sem frescura, que prefere localização a luxo e não se importa de compartilhar o banheiro de vez em quando. Adora aprender palavras no idioma do país que vai visitar e não tem vergonha de bancar a turista.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.