Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Eventos gratuitos SP por Catho

Guia semanal de eventos gratuitos para curtir em São Paulo

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Nomadismo Digital por Treviso

Trabalhando e viajando ao mesmo tempo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

Hack Town 2018 - tudo sobre o festival de inovação em Santa Rita do Sapucaí

Quem escreveu

Tácito Viero

Data

27 de August, 2018

Share

O que não falta, hoje em dia, é evento que fala de inovação, inteligência artificial, blockchain, propósito… Mas, imagina isso junto com sorvete no coreto, pão de queijo, e uma cidade que pára? Esse é o Hack Town.  Já virou tradição do feriado de 07 de setembro, na pequena Santa Rita do Sapucaí. Declaradamente inspirado no SXSW , o festival manifesta sua vocação high-tech, já que Santa Rita é o Vale da Eletrônica (saiba mais).  Mais de 150 empresas de tecnologia e algumas das startups mais high-tech do país estão por lá.

De 7 a 10 de setembro, o Hack Town promove mais de 300 atividades: palestras, debates, oficinas, exposições, shows e encontros – tudo ao mesmo tempo. Ano passado fiquei pessoalmente muito surpresa com a qualidade das palestras – e olha que sou rata de festival! De inteligência artificial a festivais de música, de gestão de pessoas a game design, de growth hacking a propósito, mais uma vez o line up está hiper consistente. Na visão de Ralph Peticov, um dos fundadores do evento, esse ano “o foco está nas pessoas que fazem e operam as tecnologias”.

Compartilho com vocês minha programação pessoal. Não percam a Ligia Zotini do Voicers, que vai explorar a questão do tempo; o que faremos com ele  quando as máquinas nos libertarem das tarefas que não queremos mais fazer? A biomimética  é outro assunto que muito me interessa, e será abordado pela  Alessandra Araujo – como promover um novo olhar e traduzir os conceitos de design da natureza como uma universidade viva.?

A gauchada também invade o festival. O  Cesar Paz  traz a palestra ‘Somos todos Designers’, e o Dado Schneider a ‘Digiriatria: por que seremos todos velhos digitais’ – como será a relação entre todas as gerações no ambiente de trabalho é o ponto central dessa conversa. O Cleber Paradela, junto com Vinicius Soares, discutirá ‘Criatividade computacional: a Inteligência Artificial vai substituir a imaginação?’  Sobre realidades imersivas, aumentadas e estendidas, Rodrigo Terra vai contar o que de mais moderno existe em 2018.  Sobre como exponencializar comunidades, o Bruno Seidel trará o exemplo da comunidade Exponential, que foi de 80 a mais de 3.000 membros em um ano.

Várias profissões tem espaço na programação – a saúde, por exemplo, vai ser abordada por Leonardo Aguiar, que discutirá a medicina do futuro  e novas habilidades médicas. Já Ken Fujioka discutirá o mercado da comunicação, assédio,  o papel da masculinidade e o que você pode (e deve) fazer a respeito.

E não podemos deixar de fazer nosso jabá pessoal, não é mesmo? Aqui do blog teremos palestra em dose dupla. A nossa querida Lalai Persson vai falar sobre festivais de música: tendências e inovações, junto com o Lúcio Ribeiro, Leticia Frungillo e Maurício Soares. Já euzinha que vos fala (Vanessa Mathias), apresento junto com a Lu Bazanella uma viagem muito louca traçando um paralelo entre alta tecnologia e experiências espirituais –  ‘Da realidade virtual à Ayahuaska: a era da (r)evolução da consciência’. De psicodélicos à meditação, práticas transformadoras estão crescendo em uma velocidade sem precedentes. Vamos explorar como  essa revolução impacta as pessoas e empresas no seu DNA, e o que isso tem a ver com seus negócios.

“O destaque esse ano é a presença massiva de speakers femininas no line up. E isso foi um desafio que nós colocamos e que nos fez aprender muito sobre o universo das mulheres. Encontrar mulheres foda é fácil, o difícil foi trazê-las. Isso foi um grande aprendizado”- disse Ralph.

Outras atividades que são imperdíveis são, por exemplo, a festa matutina Wake, que acontece no dia 07 antes de tudo começar. Quem foi o ano passado diz que foi o máximo!  Novidade esse ano será uma pista de skate da cidade e o espaço re-mind, que fica no primeiro quadradinho da história da eletrônica no Brasil.

No ano passado, houve alguns probleminhas de nível estomacal: a cidade não estava preparada para o mundaréu de gente e há quem tenha passado fome de tanta fila (vulgo euzinha hehehe…). Porém, os organizadores disseram que agitaram alguns pauzinhos: esse ano acontece o Sabores do Vale, um festival de gastronomia local. Esse ano, ele dobrou de tamanho e o mix de opções também aumentou. Terão foodtrucks na praça e na casa Google.

Quando a noite cai, há ainda a programação musical, que contará com bandas como Autorama e King in the Belly. O Hack Town acontece nos dias 07/09, a partir das 19:00, e 08, 09 e 10/09, a partir de 9:00. Para obter mais informações sobre o evento e comprar ingresso pelo preço promocional, é só visitar o site.

Quanto custa participar do Hack Town 2018?

O ingresso que dá direito a todas as atividades oficiais sai por R$250,00 no lote 2, em vigor. As entradas podem ser adquiridas pelo cartão de crédito, à vista em ou em 3 vezes. Uma dica: dizem os organizadores que os ingressos vão realmente acabar, melhor comprar logo.

Onde se hospedar?

A essas alturas todos os hotéis da cidade estão tomados. Porém no grupo do Facebook ainda há várias ofertas em casas, em geral eles alugam quartos e cobram em torno de 80 a 100 reais por pessoa/dia. Outro local para achar facilmente hospedagem é no grupo do WhatsApp.

Como chegar?

Santa Rita tem uma localização bem interessante (cerca de 220 km de São Paulo, 400 km do Rio de Janeiro e 430 km de Belo Horizonte). Dá pra ir de carro ou de ônibus se estiver nessas regiões. No caso de distâncias maiores, vale pegar um voo até a capital paulista. Para mais detalhes sobre estradas, rotas e empresas de ônibus, vale consultar  este link 

Foto Destaque: Tiago Abreu – Wikicommons CC 

Demais fotos: Divulgação

50 Off 728x90

Quem escreveu

Tácito Viero

Data

27 de August, 2018

Share

Tácito Viero

Empreendedor desde criança. Já vendeu trabalho pro coleguinha e já foi pego colando. Transforma dificuldade em opção de compra na Traust.it, sua software house. Nas horas vagas cria ferramentas pra resolver seus próprios problemas, que em geral envolvem decisões de onde ir, o que fazer e qual o jeito mais rápido de chegar. Curioso sobre a vida, o universo e tudo mais.

Ver todos os posts

Comentários

  • Olá, Vanessa Tentei comprar hoje, mas já está esgotado. Pena.
    - Vera

Adicionar comentário

Assine nossa newsletter

Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.