Viagem

Toscana: Um dia em Siena e San Gimignano

Quem escreveu

Giovanna Ferraz

Data

23 de August, 2017

Share

*Por Giovanna Ferraz

Siena e San Gimignano são as pérolas da Toscana, na Itália. Pequenas e preciosas, elas encantam pelas suas jóias arquitetônicas, centros históricos e paisagens.

Se você estiver hospedado em Florença, que tal um bate-volta e fazer um 2 em 1? Passando primeiro por Siena e depois por San Gimignano, o trajeto totaliza 183 quilômetros. A minha sugestão é fazer o percurso de carro, pois se pode ter uma flexibilidade maior de horário. Se não for possível alugar um veículo, dispense o trem e opte pelos ônibus, pois eles te deixarão exatamente no centro das cidades. Você pode obter informações de chegadas, partidas e horários no site Tiemme.

Aqui no Chicken or Pasta, preparei um roteiro de um dia por Siena e San Gimignano com pontos turísticos, restaurantes e atrações imperdíveis. Tanto amore per l’Italia!

Siena

Manhã

Reza a lenda que Siena foi fundada por Senio e Aschio, os filhos de Remo, um dos fundadores de Roma. Por isso, o emblema da cidade é a loba que amamenta Rômulo e Remo. Se isso é verdade ou não, nós não sabemos, mas o que seria da Itália sem suas histórias misteriosas?

A sensação que nós temos ao chegar a Siena é de que fomos transportados no tempo. A sua arquitetura é totalmente diferente de qualquer outra cidade da Toscana – e ouso dizer do país! E não estou exagerando, não: Siena foi considerada Patrimônio Mundial da UNESCO. Andando pelas ruas, vemos prédios medievais, ruazinhas estreitas e cenários de filmes antigos.

Há dois doces de tradição senese: o panforte, uma torta de farinha, mel, castanhas diversas e frutas secas, inventada no século XIII; e o ricciarelli, um biscoito à base de amêndoas, frutas cristalizadas e baunilha, que possui a lenda de ser trazido por um cavaleiro de retorno das Cruzadas. Ficou com água na boca? A minha sugestão é iniciar o dia com um bom café italiano acompanhados dessas delícias no Nannini.  A confeitaria mais antiga da cidade tem uma vitrine muito chamativa, com várias guloseimas, e ganha os clientes com os seus doces de sabores inesquecíveis.

Foto: Pixabay

Nannini
Via Banchi di Sopra, 24
De segunda a sexta, das 7h às 22h30. Sábados e domingos, das 7h às 23h30.

Descendo a rua, chegamos à Piazza del Campo. Praticamente toda cidade da Itália tem uma praça para chamar de sua. Essa é a de Siena. Ela não é nem redonda, nem quadrada, nem retangular. A Il Campo, como os italianos a chamam, tem um formato de leque, dividido em 9 pedaços iguais, representando cada um dos membros do Conselho dos Nove, grupo que governou Siena nos séculos XIII e XIV. É na Piazza del Campo que ocorrem todos os eventos da cidade, como o Palio di Siena, a corrida de cavalos ao redor da praça que ocorre duas vezes ao ano desde a Idade Média. Se você curte o personagem James Bond, no filme Quantum of Solace, você verá o Palio acontecendo na cidade.

Na própria Il Campo, fica também a Fonte Gaia, a maior fonte de Siena. Ela foi decorada no século XV com esculturas de Jacopo Della Quercia, considerado o precursor de Michelangelo. Hoje, podemos ver apenas a cópia feita em mármore, já que a original foi restaurada e colocada dentro do complexo de museus de Santa Maria della Scala.

Olhando para a Piazza del Campo, duas construções chamam atenção: a Torre del Mangia e o Palazzo Comunale. A Torre, construída em 1325, tem 102 metros de altura e possui uma das vistas mais bonitas de Siena. Vale muito a pena subir nela, mas prepare o seu condicionamento físico, pois são 500 degraus íngremes e estreitos até o topo! Em alta temporada, além de fôlego, você precisará de paciência, já que somente 30 pessoas podem subir por vez.

Foto: Pixabay

O Palazzo Comunale, também conhecido como Palazzo Pubblico é onde fica a prefeitura da cidade e o Museo Civico, que apresenta muitas obras de artes locais, como a famosa Maestà, de Simone Martini. Construído no século XIII, o Palazzo servia como sede do governo e residência do Conselho dos Nove – os membros citados no leque da Piazza del Campo, lembra?

Dica: Se você for visitar a Torre del Mangia e o Museo Civico, compre o bilhete combinado na bilheteria da Torre. Juntos, eles custam € 20.

Torre del Mangia
Piazza del Campo, 1
Do dia 01 de março ao dia 15 de outubro, das 10h às 19h. Do dia 16 de outubro até o dia 28 de fevereiro, todos os dias, das 10h às 16h.

Museo Civico
Piazza del Campo, 1
Do dia 16 de março ao dia 31 de outubro, todos os dias, das 10h às 19h. Do dia 01 de novembro até o dia 15 de março, todos os dias, das 10h às 18h.

Atrás da Piazza del Campo, fica escondida a Piazza del Mercato. No passado, ela era extremamente importante para Siena, já que antes da Il Campo ser construída, era na Il Mercato que funcionavam a Casa da Moeda e a Casa do Mercado de Siena. Vale uma paradinha para fotos.

Em 400 metros, chegamos à Duomo di Siena. Também conhecida como Catedral de Santa Maria del Fiori, ela é linda, imensa e rica em detalhes. A sua construção se iniciou em 1200 e sua cúpula só veio 60 anos mais tarde. Mas… Em 1348, a peste negra chegou a Siena e deixou a obra da Duomo incompleta – até hoje podemos ver escombros não terminados. A Catedral é o maior símbolo da história e arte da cidade, com estilo romântico-gótico italiano e é onde ficam grandes obras valiosas de Donatello e Michelangelo. O seu teto é pintado de dourado e azul, suas pilares são listradas entre branco e verde e há 56 cenas religiosas em seus mosaicos, feitas por cerca de 40 artistas durante dois séculos.

No complexo da Duomo, você também consegue visitar o Panorama, o ponto de observação da Catedral com 131 degraus; a Biblioteca Piccolomini, construída pelo Papa Pio III com acervo dos livros do Papa Pio II; a Cripta, uma sala com pinturas de artistas do século XIII e o Museu dell’Opera, um dos mais antigos da Itália que expõe objetos da Duomo.  

Se você quiser visitar todos os locais citados acima, vai precisar de um dia todo em Siena. Para informações de dias e horários de cada um, acesse o site da Catedral. Indico visitar apenas a Duomo, se a intenção for dividir o dia com San Gimignano.

Foto: Pixabay

Duomo di Siena
Piazza del Duomo, 8
Do dia 01 de março ao dia 01 de novembro, de segunda a sábado, das 10h30 às 19h.Domingos e feriados, das 13h30 às 18h. Do dia 02 de novembro até o dia 28 de fevereiro, de segunda a sábado, das 10h30 às 17h30. Domingos e feriados, das 13h30 às 17h30. Do dia 26 de dezembro ao dia 8 de janeiro, de segunda a sexta, das 10h30 às 18h. Domingos e feriados, das 13h30 às 17h30.

Tarde

Ao lado da Duomo di Siena, o restaurante Antica Osteria da Divo é daqueles de comer rezando! Ele fica na parte murada da cidade, em uma caverna. Ou seja, você come no subsolo, entre paredes rochosas. A massa pici senesi é um spaghetti irregular mais grosso, típica de Siena. Os molhos que acompanham normalmente são o Aglione (tomate com alho e peperoncino), Caccio e Pepe (queijo e pimenta) ou Ragu (carne moída de pato, boi ou javali). Seguindo a especialidade da cidade, sugerimos o pici senesi com ragu de boi ao molho de vinho tinto e amêndoas torradas e lâminas. De sobremesa, não perca o sorvete de creme com caldas de frutas vermelhas do bosque.

Foto: Joe via Foodspotting

Antica Osteria da Divo
Via Franciosa 25-29
De quarta a domingo, das 12h às 14h30 e das 19h às 22h30.

Se você estiver de carro, prepare-se para uma última parada antes de seguir para San Gimignano. Se você estiver de trem ou ônibus, siga diretamente para a outra cidade, pois essa atração se localiza fora do centro turístico e você levará tempo para ir e voltar. Se a aventura estiver boa e você resolver ficar em Siena, o Hotel Athena é bem no centro e tem uma vista maravilhosa.

Que tal levar um souvenir da cidade, antes de ir embora? Vá a Fortezza Medicea. Em 1560, a poderosa família Medici construiu uma fortaleza para proteger Siena – por isso, você vê muitos muros altos na comuna. Hoje, o prédio abriga um jardim público enorme, e em seu subsolo a Enoteca Italiana. Lá, você pode comprar os melhores e mais famosos rótulos do país. Não tem como errar com a compra de um Chianti, produzido em vinícolas da região.

Enoteca Italiana
Fortezza Medicea
De segunda e terça, das 12h às 19h30. De quarta a sábado, das 12h às 00h.

Partiu San Gimignano!

Se você estiver de carro, vai logo perceber que a cidade é toda fechada para a circulação de veículos, mas não se preocupe, pois há muitos estacionamentos ao seu redor.

A comuna é tão pequena que dá para cruzar as ruas a pé em 10 minutos. Mas claro que tamanho não é documento, já que com tantos monumentos históricos, a cidade ganhou o título de Patrimônio Mundial da UNESCO. Por ficar mais no alto, você já consegue imaginar a vista panorâmica das montanhas e vinhedos da Toscana, né? Uma das mais bonitas que já vi!

Foto: Pixabay

Há muitas ruelas com restaurantes, subidas e descidas, sorveterias… Tudo em um espaço pequeno, parecendo uma cidade cenográfica medieval. Se não fosse pelas pessoas passeando com roupas modernas e sacolas, poderíamos dizer que voltamos ao século XIV. San Gimignano é tão vazia que moram cerca de 8 mil pessoas na cidade. Ou seja, caminhar por lá é ter uma profunda sensação de paz.

A primeira parada é a Porta San Giovanni. O portal era a antiga entrada de San Gimignano na Idade Média, onde havia um controle de pessoas que entravam e saiam da cidade. Passando a porta, chegamos à Via San Giovanni, uma das principais ruas da comuna. Se você procura um comércio local, nessa rua você encontrará de tudo: desde malhas italianas até comidas típicas da região. Andando, notamos a arquitetura medieval, edifícios feitos de pedra e monumentos rústicos.

Foto: Pixabay

Continuando na Via San Giovanni, passamos por um arco que liga dois prédios. Essa é a entrada para a Piazza della Cisterna. A praça triangular possui um poço em seu centro, construído em 1273 e ampliado em 1346, pois os moradores na época o utilizavam para buscar água. Em torno da praça, há o Palazzo Ridolfi, o Palazzo Tortoli, a Torre da Corte, o Palazzo Pellari, o Palazzo Ardinghelli, o Palazzo Lupi e sua Torre del Diavolo e o Hotel Cisterna (uma ótima opção de acomodação, se você resolver ficar pela cidade). Você vai notar que San Gimignano é conhecida como “Cidade das Torres”. Isso porque, antigamente, as famílias disputavam quem tinha a torre mais alta da região. Entre tantas, sobraram 14, sendo apenas uma visitável.

Nossa dica é experimentar a Gelateria Dondoli, eleita algumas vezes a melhor sorveteria do mundo. Durante o verão, ela está sempre lotada, mas vale a pena ter paciência e esperar pelo gelatto, pois ele é realmente muito bom. Sente-se no antigo poço no meio da Piazza della Cisterna e aprecie o vai-e-vem dos turistas.

Foto: Allen C. via Yelp

Gelateria di Piazza
Piazza Della Cisterna, 4
Todos os dias, das 9h às 23h.

Ao lado da Cisterna, chegamos à pequena Piazza del Duomo. Nela, encontramos o Palazzo del Salvucci e as suas torres idênticas, os Palácios Chigi-Useppi e o Palazzo Vecchio del Podestà, o Palazzo Comunale e, claro, a Duomo da cidade. O Palazzo Comunale foi construído em 1288 e era o prédio público de San Gimignano. Hoje, ele abriga um museu com obras de arte da região. Sua torre, a Torre Grossa, é visitável. Se tiver fôlego, você pode subir os seus 54 andares a pé e ter uma vista panorâmica inesquecível! Já a Duomo foi construída em 1148 e era a principal Catedral da Toscana. Feita de pedras de tons avermelhadas, possui belas imagens de santos e anjos em seu interior, muitos deles retratando cenas do Antigo e Novo Testamento.

Foto: Pixabay

Palazzo Comunale
Piazza del Duomo
Do dia 01 de abril ao dia 30 de setembro, todos os dias, das 10h às 19h30. Do dia 01 de outubro ao dia 31 de março, das 11h às 17h30.

Duomo di San Gimignano
Piazza Duomo, 2
Do dia 01 de abril ao dia 31 de outubro, de segunda a sexta, das 10h às 19h30. Sábados, das 10h às 17h30. Domingos, das 12h30 às 19h30. Do dia 01 de novembro ao dia 31 de março, de segunda a sábado, das 10h às 17h. Domingos, das 12h30 às 17h.

Torre Grossa
Piazza Duomo, 2
De terça a sábado, das 00h às 19h. Segundas, das 11h às 19h.

Na rua lateral da Duomo, chegamos à Rocca di Montestaffoli. O local foi um antigo castelo de Lombard Astolfo e marca os resquícios de um forte que ali existia, construído no século 14. Ela foi construída com a intenção de proteger San Gimignano, já que Siena e Florença lutavam pela posse de seu território. Você pode visitar e, quem não teve fôlego para subir na Torre Grossa, pode aproveitar o monumento, pois a vista que se tem também é belíssima. Vale lembrar que a entrada é gratuita, então não deixe de ir!

Rocca di Montestaffoli
Via della Rocca, 8
Todos os dias, 24h por dia.

Para terminar o dia e voltar para Florença, que tal um jantar em um lugar especial? O restaurante Cum Quibus Di Pompei Genziana já foi considerado o sexto melhor de toda a Europa pelo Trip Advisor. A cozinha mistura sabores da Toscana com ingredientes internacionais, em um ambiente tipicamente italiano. Peça ajuda para harmonizar um bom vinho com o seu prato e termine o dia feliz!

Foto: Ollie O. via Trip Advisor

Cum Quibus Di Pompei Genziana
Via S. Martino, 17
De quarta a segunda, das 12h30 às 14h30 e das 19h às 22h.

 

*Foto destaque: Pixabay

Quem escreveu

Giovanna Ferraz

Data

23 de August, 2017

Share

Assine nossa newsletter