Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Natura no SXSW

A Natura participou do Festival SXSW, maior evento de economia criativa do mundo, fazendo parte do movimento #BrazilInspiresTheFuture.

Imbassaí, o paraíso quase deserto da Bahia

Quem escreveu

Alecsandra Matias

Data

21 de February, 2017

Share

A 13 km da Praia do Forte e a 63 km da capital baiana, Imbassaí é lugar perfeito para quem quer dar um tempo na folia e se jogar nas delícias de um paraíso quase deserto. Esse “quase” é de propósito, viu? O lugar tem sido um refugio, sim! Mas está na atual Zona Turística da Costa dos Coqueiros, seu acesso é pela linha verde (estrada litorânea que liga a Bahia ao Sergipe) e a localidade tem toda a infraestrutura para receber bem os turistas.

Imbassaí. Fotografia: Elaine Maziero.

imbassai-2011-4

Imbassaí é um distrito do município baiano de Mata de São João. Em 1551, Garcia D’Ávila, da comitiva de Tomé de Souza, construiu na enseada de Tatuapara (atual da Praia do Forte) a fortaleza Casa da Torre, para proteger o comércio marítimo e as terras portuguesas. Porém, Imbassaí é, originariamente, uma pequena aldeia indígena. Aliás, o nome do lugar em tupi guarani significa “caminho do rio”. Nada mais apropriado: são diversas as passagens de água doce que escorrem em cascatas e corredeiras, paralelas às dunas, na direção do mar.

Então, águas salgada e doce regam os 6 km de praias margeadas por dunas elevadas que escondem o Rio Imbassaí. O acesso às praias é mais garantido aos pedestres. Isto porque os rios que as margeiam formam um barreira natural aos veículos. Ou seja, o lugar é de tranquilidade mesmo! Jangadas, pinguelas de madeiras e pequenas embarcações fazem a travessia.

imbassai-2011-5

O cenário paradisíaco se completa com a presença dos coqueiros. Aqui, uma curiosidade: é na região de Imbassaí e Mata de São João que foram plantados no século XVI um dos cinco primeiros pés de coco-da-baía do Brasil. Olha isso, nas praias é possível tomar uma água de coco histórica (brincadeirinha!). A diversão também está na faixa de areia entre a praia e o rio. Algumas barracas rústicas estão por lá, espalhando mesas para aquele bate-papo gostoso.

imbassai-2011-12

Noite e festas existem em Imbassaí. No centrinho da vila, tem os bares e restaurantes aconchegantes, com boa comida e música ao vivo. Porém tudo acaba muito cedo: no máximo, até meia noite. A regra é sempre manter a paz dos moradores e dos turistas.

O turismo ecológico reina forte na região de Mata de São João. O projeto Tamar é uma grande atração na Praia do Forte. Dá para conhecer tudo sobre as tartarugas marinhas e sobre sua preservação. O projeto mantém o Museu a Céu Aberto da Tartaruga Marinha – ponto alto de entretenimento para as crianças e os viciados em biologia. As práticas de aventura e de esporte também  são alternativas que vão do rafting ao sandboard. Na praia do Papa Gente, existem piscinas naturais que são ótimas para praticar o snorkeling. Caso a opção seja encontrar um lugarzinho mais reservado e voltado ao naturismo, a região tem a praia de Massarandupió – que é deserta de fato. Não chega nem perto da efervescência de outras praias. Ali é para fugir do mundo mesmo!

massarandupio1

massarandupio11

Já disse que a Praia do Forte fica perto, não é? Então, caso dê aquela saudade da agitação e daquele misto de rústico e sofisticado, passe uma tarde na antiga vila de pescadores fundada ao redor da fortaleza do D’Ávila, lembra dele? Lá, os lugares mais bacanas são: o calçadão da praia, onde se pode comer, comprar e otras cositas más e, a Capela de São Francisco de Assis, no final do calçadão, em frente à praia, construída em 1900 pelos próprios pescadores que é uma graça. Depois, volte para a tranquilidade de Imbassaí.

*Todas as fotografias são de Elaine Maziero.

Quem escreveu

Alecsandra Matias

Data

21 de February, 2017

Share

Alecsandra Matias

Rata de galerias e museus, não perde a oportunidade de ir procurar aquela tela, escultura ou monumento famosos que todos só conhecem pelos livros.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.