Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Eventos gratuitos SP por Catho

Guia semanal de eventos gratuitos para curtir em São Paulo

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Nomadismo Digital por Treviso

Trabalhando e viajando ao mesmo tempo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

Os melhores locais para se tomar cerveja no Rio

Quem escreveu

Pedro Ivo Dantas

Data

22 de January, 2016

Share

Já vai longe o tempo em que os brasileiros tomavam qualquer cerveja, desde que estivesse estupidamente gelada. De uns tempos para cá, a bebida está cada vez mais valorizada, com novas marcas sendo lançadas quase todas as semanas e uma variedade de rótulos invadindo as prateleiras de supermercados e lojas especializadas. Essa revolução chegou também aos bares: hoje em dia, vários estabelecimentos se especializaram e possuem extensas cartas de cerveja, elaboradas por sommeliers experientes e com pessoal preparado para orientar o cliente.
Agora o apreciador de cervejas tem tantas opções na cidade que fica até difícil escolher aonde ir. Para ajudar, selecionamos algumas casas que se destacam no cenário atual carioca. Visitar qualquer um deles é garantia de uma bela experiência cervejeira. Saúde!

Botto Bar

1913883_944569578967551_3921897211263911429_n

Leonardo Botto é um dos nomes de maior destaque no cenário cervejeiro do país. Advogado de formação, Botto foi um dos pioneiros na fabricação de cerveja caseira no Rio. Suas criações logo lhe deram destaque, fazendo com que abrisse em 2013 sua própria casa na renovada região da Praça da Bandeira, na Tijuca, e logo mostrou que não estava para brincadeira: desde sua inauguração, o Botto Bar tem abocanhado vários prêmios de melhor chopp do Rio. Parte desse sucesso se explica pela diversidade: a casa tem 20 torneiras de chopp, agradando a todos os paladares. Os rótulos on tap variam, mas normalmente são uma mistura de títulos nacionais como Eisenbahn, Noi (cervejaria de Niterói) e Beerton (cervejaria do próprio Botto) com nomes consagrados como a inglesa Fueller’s, a irlandesa Guiness e a belga Chimay. Os chopps são armazenados numa câmara fria, responsável por conservar melhor a bebida. A casa não trabalha com garrafas.

Para petiscar, Botto também foi buscar inspiração em várias partes do mundo: tem fish and chips da Inglaterra, frikadellen, um bolinho de carne alemão, e a imperdível carbonade flamande, um prato belga de carne refogada na cerveja e coberta por queijo gratinado, que é de comer de olhos fechados. Além disso, a casa também capricha na seleção musical: às terças, seu pequeno palco é dedicado ao blues, e, às quintas, normalmente tem bandas de rock. Aliás, as bandas que tocam lá costumam ser ótimas, mas também podem ser um problema: a casa é bem pequena e, mesmo com som ambiente, às vezes é um pouco difícil de conversar. Quando há música ao vivo então, é necessário praticamente gritar para ser ouvido. Tenha isso em mente ao programar a noite. Também, devido ao seu tamanho reduzido, a casa lota facilmente, fazendo com que normalmente haja uma fila de espera na porta – mas sem problemas, porque eles também servem cerveja para quem está na fila!

Para 2016, Botto promete abrir uma filial em Botafogo, onde funcionava o antigo Boteco Salvação!

Rua Barão de Iguatemi, 205 – Praça da Bandeira
De segunda a quinta das 17h às 24h, sexta e sábado das 15h às 2h e domingo das 15h às 22h

Lapa Café

_03

Bares não faltam na Lapa, a maioria focada na dobradinha cerveja barata/samba. O Lapa Café é, portanto, transgressor em dois sentidos: primeiro, porque aqui a música é sempre rock ou assemelhados, como blues. Segundo, porque a casa foca em cerveja sim, mas nas artesanais. Os cerca de 400 rótulos ficam expostos numa série de geladeiras que tomam conta de um corredor. A vantagem é que, se você quiser saber exatamente o que está disponível, basta ir até as geladeiras e checar (ou perguntar aos garçons).

A decoração é descontraída. A parte da frente, mais tranquila, lembra um café e é um bom lugar para papear com os amigos. Atrás fica um salão com um palco onde bandas de rock costumam se apresentar e que também serve para receber algumas festas. Uma vez por mês, às terça-feiras, a casa promove uma degustação de cervejas. É uma boa oportunidade para experimentar alguns rótulos diferentes por um preço camarada.

O Lapa Café também abre para almoço.

Avenida Gomes Freire, 453 – Lapa
Segunda das 10h às 18h, terça a quinta das 10h às 23h e sexta das 10h às 24h

Colarinho

11053936_942345002495090_7305122794691683464_o

O quarteirão da rua Nelson Mandela, delimitado pela rua São Clemente de um lado e pela rua Voluntários da Pátria de outro, é hoje um dos pontos boêmios mais animados da cidade, mas nem sempre foi assim. O Colarinho foi o primeiro bar a abrir as portas naquele pedaço, em 2010, trazendo um conceito novo para a cidade: um bar focado em cervejas especiais, com várias torneiras de chopp. Cinco anos depois, a receita deu tão certo que os proprietários já abriram dois outros bares: o Pub Escondido, CA, em Copacabana, e a Birreria Escondido, CA, que acabou de abrir, também em Botafogo.

O Colarinho é um legítimo pé-limpo carioca. As torneiras de chopp da casa sempre trazem uma boa seleção de rótulos nacionais e estrangeiros (se disponível, experimente a Hopium, uma simpática cerveja do estilo IPA, elaborada pelos cariocas da Confraria do Marquês). Na cozinha, os destaques são os sanduíches e as empadas. Mantendo outra tradição carioca, o serviço pode ser um pouco errático, especialmente nos finais de semana, quando a casa costuma lotar. O interior do bar é bem barulhento. Se possível, pegue uma mesa do lado de fora, ou faça como os cariocas e fique bebendo em pé mesmo, na calçada. É um bom point para paquera!

Rua Nelson Mandela, 100, loja 108 – Botafogo
De terça a domingo das 17h à 1h

Pub Escondido, CA

12509033_1073330252689080_6906277631109956161_n

Dos mesmos donos do Colarinho, o Escondido pode se gabar de ter o maior número de torneiras de chopp da cidade: são 24, contra 20 do segundo colocado, o Botto Bar. Um dos focos da casa são as cervejas do estilo IPA – um estilo inglês carregado no lúpulo, que confere maior amargor e aroma à bebida, e que acabou se popularizando enormemente nos Estados Unidos. Os hambúrgueres também merecem destaque: da cozinha saem nada mais nada menos do que 16 opções diferentes. Grande variedade de cervejas e hambúrgueres – precisa de outro motivo para visitar o pub?

Em tempo: o nome da casa não se refere à nenhuma dificuldade em se encontrar o local, mas sim à cidade de Escondido na Califórnia, de onde vem a sigla CA.

Rua Aires Saldanha, 98 – Copacabana
Terça a quinta das 18h às 2h, sexta e sábado das 18h às 3h e domingo das 18h às 2h

Yeasteria

foto004

A Tijuca também tem bom bares cervejeiros, tem sim senhor! Representando a região, a Yeasteria faz dobradinha como loja de cervejas especiais e bar. São três chopeiras, sempre revezando os rótulos, e uma carta de cervejas com cerca de 350 rótulos, tendo já recebido prêmios de melhor da cidade. Mais do que isso, o pessoal realmente entende de cerveja e está sempre disposto a indicar alguma coisa interessante para provar. Na dúvida, não hesite em pedir uma dica ao garçom.

As comidinhas são interessantes, com destaque para as coxinhas da casa. As noites de quinta-feira são dedicadas ao hambúrguer!

Rua Pereira Nunes, 266 – Tijuca
Terça a quinta das 18h às 0h, sexta e sábado das 18h à 1h e domingo das 18h às 23h

Delirium Café

12417686_1026636944023266_6159402914582345392_n

O Delirium Café original fica em Bruxelas e está no Guiness Book como detentor da maior carta de cervejas do mundo: inacreditáveis 2000 rótulos! A casa carioca foi a primeira filial nas Américas e, se sua oferta de cervejas não é tão extensa quando a da matriz, tampouco faz feio: são cerca de 400 rótulos em garrafas, além de várias torneiras de chopp. O destaque, claro, vai para as belgas, em especial para a marca do elefantinho rosa, a própria Delirium. Os petiscos também buscam inspiração no velho continente, trazendo pratos da Bélgica, Alemanha e Inglaterra.

Prepare a carteira: condizente com o bairro (Ipanema) e a grife belga, o Delirium não é um local barato, longe disso. Mas é um belo bar para se fazer um happy hour no pós-praia (ou pré-balada), e um local onde se pode experimentar algumas cervejas difíceis de encontrar por aí. A rede recentemente inaugurou mais uma casa no Rio, dessa vez na Barra da Tijuca, oferecendo mais de 20 torneiras de chopp.

Rua Barão da Torre, 183 – Ipanema
Domingo a quinta das 17h às 24h e sexta e sábado das 17h às 2h

Foto do destaque: Shutterstock – Alexandre Rotenberg
Fotos: divulgação

Quem escreveu

Pedro Ivo Dantas

Data

22 de January, 2016

Share

Pedro Ivo Dantas

Paraense radicado em Lisboa. Engenheiro, cozinheiro e cervejeiro, sem ordem específica de preferência. Viajante de vocação.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.