Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

SXSW

Cobertura pré e pós do SXSW 2020 com as melhores dicas: quais são as palestras, ativações, shows e festas imperdíveis no festival.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

Maine para amantes de uma boa cerveja

Quem escreveu

Luciana Guilliod

Data

30 de May, 2016

Share

Portland. Se a menção deste nome faz você ter pesadelos com hipsters de bigode andando em bicicletas fixas, tá na hora de conhecer a homônima gente boa e low key, no Maine.

Portland, Maine. Foto: JP Grace
Portland, Maine. Foto: JP Grace

Portland é a cidade mais importante do estado, embora não seja a capital do Maine. Localizada a 170 km de Boston, tem apenas 66 mil habitantes e a mistura de porto, centro histórico e excelentes restaurantes me fizeram desejar morar lá quando resolver viver uma vida mais tranquila, daqui a uns 15 anos.

Cheguei em Portland procurando um lugar informal e relaxante para descansar depois da maratona de Boston. Há anos sonhava em ir ao Maine para comer lagosta – que, de fato, fiz – mas outro fator falou mais alto: a cena cervejeira da região. Férias, primavera, a sensação de dever cumprido pós-maratona e mais de 300 microcervejarias concentradas num dos menores estados americanos. Pois é.

Bug Light Lighthouse in Portland Maine at sunrise. Foto: Stu99
Bug Light Lighthouse in Portland Maine at sunrise. Foto: Stu99

Aluguei um apartamento em Munjoy Hill, a 15 minutos a pé da área histórica do Old Port, mas numa região costeira delícia, com um imenso parque onde os moradores se exercitavam e se reuniam para assistir ao pôr do sol. Você vai passar mais tempo no Old Port e no Arts District, mas vale a pena dar uma caminhada para ver as mansões à beira mar de Munjoy Hill.

Porthole. Foto: David Kent
Porthole. Foto: David Kent

Vamos às lagostas. Depois de comer ostras fresquíssimas por US$1 enquanto decidia onde almoçar, esbarrei no Porthole, restaurante simples e debruçado sobre a baía, do qual já tinha ouvido falar bem. Sentei do lado de fora, pedi um chopp artesanal, ganhei um babador e por US$ 25,00 comi com as mãos duas lagostas do tamanho de polvos. Para o brunch, uma ótima opção é o The Front Room, com cardápio clássico americano e sucesso entre os locais.

Foto: Corey Templeton
Foto: Corey Templeton

Mas sempre é mais legal pescar a lagosta para o almoço, e você pode fazer isso com a Lucky Catch. A empresa também oferece passeios de barco tradicionais, todos de maio a outubro, quando a brisa do mar não te congela. Estive em Portland em abril, então o máximo que consegui navegar foi com a Casco Bay Lines, empresa convencional de ferries que liga as ilhas da região. Peguei a barca que fazia o maior trajeto possível, de aproximadamente três horas, o que foi um erro: os primeiros faróis e ilhas são lindos, mas duas horas e meia disso sem contexto fica meio chato.

Portland se orgulha da sua produção local e artesanal de comida. Enlouqueci no Portland Food CoOp, um supermercado administrado em forma de cooperativa que só vende orgânicos. O sorvete de salted caramel da Gelato Fiasco vale cada centavo de câmbio sobrevalorizado. No Cabot Farmer’s Annex você pode provar dezenas de sabores de queijo regional e continuar perdido, porque é um melhor que o outro.

Novare Res Bier Cafe‎. Foto: Bernt Rostad
Novare Res Bier Cafe‎. Foto: Bernt Rostad

Mas chega de fingir que você não está lendo esse texto por causa das cervejas. O que procura? Um bar com 300 opções de rótulos? O Novare Res Bier Café fica num galpão e tem um pátio super gostoso para os dias quentes. Prefere chopp? O The Great Lost Bear, do ladinho do Old Port, tem 69 torneiras. Tour para as cervejarias e vinícolas artesanais? O ônibus escolar amarelinho do Maine Beer Tours te leva em várias. E se você é dos meus, encontre o grupo de corrida do Liquid Riot às 18h15 nas quintas feiras. Eles correm diversas distâncias pelas ruas de Portland e depois se reúnem no bar para beber uma gelada.

Allagash. Foto: Allagash Brewing
Allagash. Foto: Allagash Brewing

Eu queria conhecer o processo de fabricação e beber cerveja in loco então fui para área industrial de Portland, onde fica a Allagash, uma instituição da região. Enquanto esperava o primeiro tour do dia, às 11h, ganhei uma tábua com cinco amostras de cerveja. Foi um café da manhã memorável. A maior cervejaria da região ainda assim é pequena, produzindo 70 mil barris por ano. E como se não bastasse a cerveja ser boa, o tour e todas as degustações são gratuitas.

Degustação de cervejas na Maine Beer Company. Foto: Jenni Konrad
Degustação de cervejas na Maine Beer Company. Foto: Jenni Konrad

É tanta cervejaria artesanal que em um mesmo prédio você encontra três – e do outro lado da rua da Allagash. Por trás do balcão da Biessel Brothers você espia o pessoal fabricando cerveja enquanto ouve punk rock. A Foundation Brewery está ao lado, assim como a Maine Beer Company. A pioneira da região foi a .L. Geary’s Brewing Co, na mesma rua. Todas são minúsculas, funcionam em horários limitados e oferecem copos de 16oz por cerca de US$ 2, para que você possa degustar várias cervejas e ainda assim manter a dignidade.

*Foto destaque: Allagash Brewing Company / Divulgação Facebook

Quem escreveu

Luciana Guilliod

Data

30 de May, 2016

Share

Luciana Guilliod

Carioca da Zona Norte, hoje mora na Zona Sul. Já foi da noite, da balada e da vida urbana. Hoje é do dia, da tranquilidade e da natureza. Prefere o slow travel, andar a pé, mala de mão e aluguel de apartamento. Se a comida do destino for boa, já vale a passagem.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.