De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

SP24hrs

Porque para amar São Paulo não é preciso firulas.

Maine para amantes de uma boa cerveja

Quem escreveu

Luciana Guilliod

Data

30 de May, 2016

Share

Portland. Se a menção deste nome faz você ter pesadelos com hipsters de bigode andando em bicicletas fixas, tá na hora de conhecer a homônima gente boa e low key, no Maine.

Portland, Maine. Foto: JP Grace
Portland, Maine. Foto: JP Grace

Portland é a cidade mais importante do estado, embora não seja a capital do Maine. Localizada a 170 km de Boston, tem apenas 66 mil habitantes e a mistura de porto, centro histórico e excelentes restaurantes me fizeram desejar morar lá quando resolver viver uma vida mais tranquila, daqui a uns 15 anos.

Cheguei em Portland procurando um lugar informal e relaxante para descansar depois da maratona de Boston. Há anos sonhava em ir ao Maine para comer lagosta – que, de fato, fiz – mas outro fator falou mais alto: a cena cervejeira da região. Férias, primavera, a sensação de dever cumprido pós-maratona e mais de 300 microcervejarias concentradas num dos menores estados americanos. Pois é.

Bug Light Lighthouse in Portland Maine at sunrise. Foto: Stu99
Bug Light Lighthouse in Portland Maine at sunrise. Foto: Stu99

Aluguei um apartamento em Munjoy Hill, a 15 minutos a pé da área histórica do Old Port, mas numa região costeira delícia, com um imenso parque onde os moradores se exercitavam e se reuniam para assistir ao pôr do sol. Você vai passar mais tempo no Old Port e no Arts District, mas vale a pena dar uma caminhada para ver as mansões à beira mar de Munjoy Hill.

Porthole. Foto: David Kent
Porthole. Foto: David Kent

Vamos às lagostas. Depois de comer ostras fresquíssimas por US$1 enquanto decidia onde almoçar, esbarrei no Porthole, restaurante simples e debruçado sobre a baía, do qual já tinha ouvido falar bem. Sentei do lado de fora, pedi um chopp artesanal, ganhei um babador e por US$ 25,00 comi com as mãos duas lagostas do tamanho de polvos. Para o brunch, uma ótima opção é o The Front Room, com cardápio clássico americano e sucesso entre os locais.

Foto: Corey Templeton
Foto: Corey Templeton

Mas sempre é mais legal pescar a lagosta para o almoço, e você pode fazer isso com a Lucky Catch. A empresa também oferece passeios de barco tradicionais, todos de maio a outubro, quando a brisa do mar não te congela. Estive em Portland em abril, então o máximo que consegui navegar foi com a Casco Bay Lines, empresa convencional de ferries que liga as ilhas da região. Peguei a barca que fazia o maior trajeto possível, de aproximadamente três horas, o que foi um erro: os primeiros faróis e ilhas são lindos, mas duas horas e meia disso sem contexto fica meio chato.

Portland se orgulha da sua produção local e artesanal de comida. Enlouqueci no Portland Food CoOp, um supermercado administrado em forma de cooperativa que só vende orgânicos. O sorvete de salted caramel da Gelato Fiasco vale cada centavo de câmbio sobrevalorizado. No Cabot Farmer’s Annex você pode provar dezenas de sabores de queijo regional e continuar perdido, porque é um melhor que o outro.

Novare Res Bier Cafe‎. Foto: Bernt Rostad
Novare Res Bier Cafe‎. Foto: Bernt Rostad

Mas chega de fingir que você não está lendo esse texto por causa das cervejas. O que procura? Um bar com 300 opções de rótulos? O Novare Res Bier Café fica num galpão e tem um pátio super gostoso para os dias quentes. Prefere chopp? O The Great Lost Bear, do ladinho do Old Port, tem 69 torneiras. Tour para as cervejarias e vinícolas artesanais? O ônibus escolar amarelinho do Maine Beer Tours te leva em várias. E se você é dos meus, encontre o grupo de corrida do Liquid Riot às 18h15 nas quintas feiras. Eles correm diversas distâncias pelas ruas de Portland e depois se reúnem no bar para beber uma gelada.

Allagash. Foto: Allagash Brewing
Allagash. Foto: Allagash Brewing

Eu queria conhecer o processo de fabricação e beber cerveja in loco então fui para área industrial de Portland, onde fica a Allagash, uma instituição da região. Enquanto esperava o primeiro tour do dia, às 11h, ganhei uma tábua com cinco amostras de cerveja. Foi um café da manhã memorável. A maior cervejaria da região ainda assim é pequena, produzindo 70 mil barris por ano. E como se não bastasse a cerveja ser boa, o tour e todas as degustações são gratuitas.

Degustação de cervejas na Maine Beer Company. Foto: Jenni Konrad
Degustação de cervejas na Maine Beer Company. Foto: Jenni Konrad

É tanta cervejaria artesanal que em um mesmo prédio você encontra três – e do outro lado da rua da Allagash. Por trás do balcão da Biessel Brothers você espia o pessoal fabricando cerveja enquanto ouve punk rock. A Foundation Brewery está ao lado, assim como a Maine Beer Company. A pioneira da região foi a .L. Geary’s Brewing Co, na mesma rua. Todas são minúsculas, funcionam em horários limitados e oferecem copos de 16oz por cerca de US$ 2, para que você possa degustar várias cervejas e ainda assim manter a dignidade.

*Foto destaque: Allagash Brewing Company / Divulgação Facebook

Quem escreveu

Luciana Guilliod

Data

30 de May, 2016

Share

Luciana Guilliod

Carioca da Zona Norte, hoje mora na Zona Sul. Já foi da noite, da balada e da vida urbana. Hoje é do dia, da tranquilidade e da natureza. Prefere o slow travel, andar a pé, mala de mão e aluguel de apartamento. Se a comida do destino for boa, já vale a passagem.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.