Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

SXSW

Cobertura pré e pós do SXSW 2020 com as melhores dicas: quais são as palestras, ativações, shows e festas imperdíveis no festival.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

Vinho, comida e relax em Mendoza

Quem escreveu

Sarah Galvao

Data

02 de January, 2015

Share

A maioria dos Brasileiros que já foi a Buenos Aires já percebeu que existe muito mais a explorar na Argentina do que a capital. Um dos destinos mais procurados é Mendoza, o principal produtor de vinho do país. Aos pés dos Andes, essa cidade é perfeita para quem quer relaxar, comer e beber bem, seja a dois ou com amigos. Se você tem 3 dias de férias sobrando, dá uma olhada nas dicas!

Chegando em Mendoza

A rota São Paulo-Mendoza já existiu mas no momento não existem vôos diretos. Mas de qualquer lugar do Brasil, você pode ir à  Buenos Aires ou Santiago do Chile e de lá pegar uma conexão.  Mas não se preocupe porque é bem rapidinho. Saindo de Santiago, o vôo dura menos de 1 hora e desde Buenos Aires, por volta de 2 horas. Como Mendoza é uma cidade pequena, é melhor agendar um transfer ou taxi para te buscar no aeroporto. Se você for ficar em hotel, peça para eles cuidarem dessa parte para você.

1a parada, relax

Para começar bem as férias e desconectar total, vá direto para o Cavas Wine Lodge, um dos melhores hotéis da área. Da rede Relais & Châteaux, o Cavas é um hotel, spa e também vinícola. Se você não puder ficar hospedado por lá, tente passar uma tarde no spa e comer no Cavas porque vale muito a pena. Receber uma massagem e depois almoçar de frente para os vinhedos, bebendo vinhos incríveis é o início perfeito de um final de semana mega relaxante.  Tudo isso com os Andes de fundo de tela.

Vista incrível do restaurante do Cavas Wine Lodge. Foto: Sarah Galvão
Vista incrível do restaurante do Cavas Wine Lodge. Foto: Sarah Galvão

Um hotel sossegado

Outro hotel bacana porém menor e com uma pegada mais boutique é o Aguamiel. As 8 acomodações são casas onde o design e a simplicidade andam juntos. Como a maioria dos hotéis especiais de Mendoza, fica afastado do centro e o contato com a natureza é total, para acordar com o canto dos pássaros. Se você quiser ficar pelo hotel à noite, o restaurante do Aguamiel é bem decente. Para fazer turismo pela região, pedi à equipe do hotel para contratar um motorista para me buscar no aeroporto e também me levar nas vinícolas que queria. Foi uma mão na roda enorme.

A piscina e a tranquilidade do Aguamiel. Foto: Sarah Galvão
A piscina e a tranquilidade do Aguamiel. Foto: Sarah Galvão

E o vinho?

Mendoza é famosa pelo mundo inteiro por causa da uva Malbec. Mas passeando por algumas vinícolas da região, você vai descobrir que existe muito mais. Prove de tudo!

Depois de pesquisar muito sobre qual vinícola eu iria visitar por conta própria (com um motorista local me guiando, claro), fui parar na Ruca Malen. De todas as que fui durante a viagem, essa foi a melhor. Pessoal atencioso, boa visita guiada, vinícola de pequeno/médio porte com vinhos de alta gama para exportação e um menu degustação maravilhoso. Saí de lá encantada com a comida e claro, bêbada depois de provar tantos vinhos incríveis. Para fazer a digestão, ande um pouco pelos vinhedos e tire fotos lindas, sempre com os Andes de pano de fundo.

Vinícola Ruca Malen. Foto: Sarah Galvão
Vinícola Ruca Malen. Foto: Sarah Galvão
ruca-malen-menu
Menu degustação maravilhoso no Ruca Malen. Foto: Sarah Galvão
ruca-malen-lunch
Linguiças de campo sobre pão de orujo, molho criollo e cereais Argentinos. Foto: Sarah Galvão

Visitei a Ruca Malen por conta própria, agendando claro com antecedência a visita guiada e a degustação. Mas queria testar outra maneira de conhecer algumas das 1200 vinícolas da região: os tours guiados.

Depois de uma pesquisa no Trip Advisor, escolhi o Ampora Wine Tours e não me decepcionei. A van veio me buscar no hotel na hora e dividi o carro com mais 3 casais. O tour foi em Inglês pois eles só oferecem passeios nesse idioma. O tour que escolhi passava pelas vinícolas Andeluna, Gimenez Riili e O. Fournier. A Gimenez Rilli foi pequena e impressionante, sentamos junto com a família que é dona da vinícola e batemos papo com eles sentados no jardim bebendo vinho e comendo empanadas mendocinas. O vinho era tão bom que encomendei uma caixa, que foi entregue na minha casa (na época eu morava em Buenos Aires). Ganharam uma cliente ali.

Bata um papo com os donos da Gimenez Riili bebendo vinho e comendo empanadas com essa vista. Foto: Trip Advisor
Bata um papo com os donos da Gimenez Riili bebendo vinho e comendo empanadas com essa vista. Foto: Trip Advisor

Almoçamos na O. Fournier, uma vinícola bem maior e com um restaurante com vistas impressionantes. Valeu muito a pena fazer parte de um tour pois conheci outras regiões da área e aprendi um pouco sobre vinhos e as pessoas que os fazem.

A modernosa O. Fournier. Foto: O. Fournier
A modernosa O. Fournier. Foto: O. Fournier

Uma outra opção para explorar Mendoza foi testada: bicicleta. Aluguei uma bike e fui explorar Urquiza e redondezas em Coquimbito e Maipu. Não existe ciclovia e dividir espaço com carros em uma estrada não foi uma experiência bacana. Uma pena!

Empanadas Mendocinas

Empanada é uma instituição Argentina e as de Mendoza são muito famosas.Não é a toa que existe um tipo de empanada, a Mendocina! Morei em Buenos Aires por 2 anos e depois de comer e engordar com muitas, posso dizer que as de Mendoza são bem melhores que a da capital.

No centro da cidade, comi uma bem gostosa no La Patrona. Lugar fofo e simples com preços pequenos. A empanada custa em torno de USD $1,5 e estava deliciosa.

La Patrona, empanadas no centro de Mendoza. Foto: Trip Advisor
La Patrona, empanadas no centro de Mendoza. Foto: Trip Advisor

Já em Maipu, parei na Casa de Campo durante o rolé de bike. Foi o que valeu todo o passeio. A Casa é  bem rústica, os donos atendem os clientes e a maioria dos pratos é feito no forno de barro. Além da empanada, peça a recomendação do dono sobre o prato do dia. Comi uma carne que derretia na boca.

Empanadas na Casa de Campo. Foto: Sarah Galvão
Empanadas na Casa de Campo. Foto: Sarah Galvão

As melhores épocas para ir à Mendoza são a Primavera e Inverno. Na Primavera tudo fica mais bonito e florido. No Inverno você poderá aproveitar a viagem e esquiar. Já em Março acontece a Fiesta Nacional de la Vendímia, para comemorar a colheita da uva. Mas se você não gostar de muvuca, pode ir em outra época. O importante é desligar total e focar somente em comer bem e brindar com vinhos incríveis!

 

Foto do destaque: Shutterstock – Simon Laprida

Quem escreveu

Sarah Galvao

Data

02 de January, 2015

Share

Sarah Galvao

A Sarah morou em 5 cidades diferentes nos últimos 9 anos, seja a trabalho ou no sabático que tirou em Barcelona. Na hora de planejar uma viagem, gasta 70% do tempo pensando onde vai comer, porém tenta queimar as calorias conhecendo as cidades de bike . Já teve que renovar passaporte por falta de espaço para novos carimbos mas ainda tem a África e Oceania como pendências.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.