De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

SP24hrs

Porque para amar São Paulo não é preciso firulas.

Road Trip na Califórnia: San Francisco e Napa Valley

Quem escreveu

Renato Salles

Data

03 de March, 2015

Share

O Epa é um baiano arretado que se mudou para São Paulo para trabalhar e acabou ficando. É geek assumido, tanto que trabalha com programação e games. No ano passado, aproveitando de uma oportunidade única de comprar uma passagem para os Estados Unidos em um erro do site da companhia, ele não teve dúvida. Passou a mão no passaporte, no maridão Gui Bracco e correu para sua cidade favorita: San Francisco. De lá, ele aproveitou para seguir viagem e fazer uma road trip até Los Angeles, Las Vegas e o Grand Canyon, que sempre sonhou. A gente pediu e ele fez um roteirão com tudo que tem de bom para fazer. Mas tem tanta coisa que vamos dividir em dois post, ok? Olha só:

‘Praia, desertos, vinícolas e montanhas. Seja qual for a sua tribo, a Califórnia tem — e faz — tudo para lhe agradar.

O roteiro mais comum desta viagem, tão desejada e repetida por gente do mundo inteiro, começa por San Francisco. Algumas pessoas fazem o roteiro apenas até Los Angeles, mas se você tiver tempo, vale muito a pena esticar até Phoenix, cruzando ao total 3 estados.

San Francisco

Para mim, uma das melhores cidades do mundo para se viver. Ela não chega nem aos pés do tamanho de São Paulo e isso já se percebe na hora de procurar hospedagem. Situada em uma península, é bem difícil achar algo por sites como o Airbnb, pois há poucas residências e muita gente mora em hotéis. Optamos por um que fica perto de North Beach, entre o Financial District, Chinatown e o bairro italiano. Alias, no bairro italiano vai a primeira grande dica: as cantinas são incríveis, sendo que meu coração bate mais forte pela Baonecci Ristorante. É um restaurante pequeno, sem badalação, e que serve uma pizza de pêra com gorgonzola que é incrível!

guide_pizza

Chegando na cidade, você verá que o aeroporto é bem longe, mas não é necessário pegar táxi. Pegue o trem que te deixa no metrô e de lá você segue. Aceita cartão de crédito! Evite ao máximo pegar o carro já ao chegar em San Francisco. A cidade tem um transporte público muito bom e paga-se (caro) para estacionar em praticamente qualquer lugar da cidade. Dica importante: os ônibus de SFO não dão troco! Tenha sempre dinheiro contado ou invista no SFO City Pass, que dá direito a viagens ilimitadas de ônibus e bonde.

Se deseja visitar a Ilha de Alcatraz, compre o ingresso com bastante antecedência — eles esgotam rápido, principalmente para a visita noturna. Fiz apenas a diurna e acho que seja a melhor opção para poder fazer registro em fotos. À noite, soa como uma atração de terror bem maquiada. A visita é bem interessante, vale a pena para fazer fotos incríveis da ilha e conhecer o cenário das histórias famosas de perto.

guide_alcatraz

A região do Pier 39 (Fisherman’s Wharf) — de onde sai o barco para Alcatraz — é basicamente tomada por lojinhas e restaurantes para turistas. O que realmente vale a pena é seguir as placas de leões marinhos para vê-los de perto. Existem algumas “balsas” que são colocadas especialmente para eles tomarem sol. Fedem que só!

O melhor de SFO e de boa parte da Califórnia é a estrutura para bicicletas. É possível ir para outras cidades pela ciclovia! O passeio mais famoso — e na minha opinião a melhor forma de conhecer a Golden Gate Bridge — é alugar uma bicicleta no porto e pedalar até a cidade de Sausalito. Indico a loja Blazing Saddles, pois é uma das que fecham mais tarde e você pode voltar com calma do passeio. O trajeto passa por todo o porto, cruza a ponte e vai até a cidade de Sausalito. É uma experiência incrível cruzar a ponte em cima da bike! Leve um casaco na cestinha, pois o vento lá em cima é forte e frio. Aliás, o vento é forte e frio em praticamente toda a região portuária, pois a Golden Gate Bridge passa justamente por cima do canal, o Golden Gate, que liga a baía de San Francisco ao Oceano Pacífico. ;)

Em Sausalito existem ótimos restaurantes. Se estiver em 3 ou 4 pessoas, vale a pena perder o horário do último ferry de volta para SFO e jantar por lá. Na volta, pegue um táxi. Todos eles são equipados com ganchos de bicicleta, assim como os ônibus da cidade.

guide_bike_bridge

Uma curiosidade: San Francisco é propensa a nevoeiros, mas Sausalito não, pois ela fica encrustada em morros que a protegem das correntes de ar do Pacífico, totalmente virada para a baía. De Sausalito é possível ver as massas de nuvens entrando pela baía e sobre San Francisco. É onde ficam também algumas residências de veraneio e vários veleiros atracados.

Separe um dia para conhecer a região do Golden Gate Park e Land’s End, que possui uma das melhores vistas que você poderá ter da Golden Gate Bridge.

Outra grande atração de San Francisco são as escadarias da cidade. Existem vários guias na internet selecionando as melhores. Uma boa idéia é juntar uma visita à Coit Tower, seguindo por esta escadaria. E usar este outro guia para conhecer outras.

Finalizando, trace uma rota que termine na Lombard Street, conhecida como a rua mais torta (crookedest) do mundo! Em um único quarteirão, ela tem 8 curvas fechadíssimas e um desnível gigante. :)

guide_lombard

San Francisco é também um dos berços das lutas GLBT e um dos bairros mais badalados para a vida noturna é o da Castro Street. Uma opção excelente para tomar bons drinks e também para conhecer mais a história GLBT da cidade visitando este museu.

Lista de mais alguns lugares que vale a pena visitar:

guide_chinatown

Considerando que você esteja de carro no final da sua estadia em SFO, agora é o momento de fazer os passeios que são mais complicados — ou impossíveis — de fazer a pé. São eles:

Golden Gate National Recreation Area — Aqui existem vários mirantes em que só é possível chegar de carro ou de bike. Vistas incríveis da cidade e da Golden Gate Bridge, bem de pertinho.

Twin Peaks — Os morros mais altos da cidade. Dá pra ter uma visão de 360 graus. É lindo! Evite ir no final da tarde, pois é muito comum o nevoeiro tomar conta, todos os dias.

guide_twinpeaks

De San Francisco, optamos primeiro por pegar a estrada e conhecer a região do Napa Valley. Passamos apenas um dia, mas sugerimos, caso você seja fã de vinho, que fique pelo menos 2 dias visitando as vinícolas. Apesar das mais conhecidas serem boas, procure por vinícolas menores. Elas são muito boas e bem mais baratas do que o normal. E já que você foi até Napa, dê uma esticadinha até Sonoma, região de vinícolas e restaurantes, logo à oeste do vale. Sonoma é uma das regiões vinícolas mais visitadas e excelente destino para quem gosta de espumantes. Os bares e restaurantes, como The Girl and the Fig, são bem badalados e a há muitas opções de hospedagem. Depois de passar o dia comendo e bebendo, você não vai querer pegar a estrada.

Atenção: A Bay Bridge não tem pedágio. A Golden Gate Bridge, sim, para quem volta para San Francisco. Não há guichê para pagar o pedágio, então pague antecipadamente no site ou por telefone. É possível pagar até 48 horas depois do dia em que você passou pela ponte.’

guide_napa

Todas as fotos são do próprio Epa. Logo mais a gente coloca aqui o resto da viagem, com muita dica boa e um vídeo incrível.

 

Quem escreveu

Renato Salles

Data

03 de March, 2015

Share

Renato Salles

Para o Renato, em qualquer boa viagem você tem que escolher bem as companhias e os mapas. Excelente arrumador de malas, ele vira um halterofilista na volta de todas as suas viagens, pois acha sempre cabe mais algum souvenir. Gosta de guardar como lembrança de cada lugar vídeos, coisas para pendurar nas paredes e histórias de perrengues. Em situações de estresse, sua recomendação é sempre tomar uma cerveja antes de tomar uma decisão importante. Afinal, nada melhor que um bom bar para conhecer a cultura de um lugar.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.