Por que você tem que visitar Milão em 2015

Quem escreveu

Renato Salles

Data

06 de April, 2015

Share

Esse ano, todo mundo deveria separar pelo menos alguns dias para visitar Milão. A cidade muitas vezes é subestimada frente aos cenários estupendos de Veneza e a carga histórica de Roma. Tudo bem, é uma cidade mais ‘urbana’, menos turística, e por isso menos óbiva. Mas 2015 é definitivamente o ano da segunda maior cidade italiana, capital do design e da moda, e agora também da arquitetura do país.

Na semana que vem acontece o mundialmente famoso Salone, a feira do móvel, que todos os anos carrega multidões de pessoas do mundo todo para a Lombardia. São mais de 2500 expositores todos os anos, se espalhando literalmente por toda a cidade. Por isso, conhecer o Salone e aproveitar ao máximo tudo que acontece nos 5 dias requer programação e algumas sacadas. A feira ocupa atualmente o centro de exposições em Rho, um complexo gigantesco e lindo projetado pelo arquiteto Massimiliano Fuksas, mas a coisa tomou uma proporção tão gigantesca que muitos dos eventos mais interessantes não acontecem por lá. Para quem vai visitar a feira pela primeira vez, aqui vão algumas dicas para facilitar a experiência:

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

– A compra dos ingressos pode ser feita pela internet, e vale a pena fazê-la. Na hora dá para comprar numa boa, mas as filas são grandes, e convenhamos, não dá para perder tempo numa semana tão curta. Você pode comprar pacotes de 2, 3, até 5 dias. Minha recomendação é não comprar mais do que 2. Nos últimos anos, o que acontece na cidade é bem mais bacana, então reserve mais tempo para não ir para a feira.

– Chegar em Rho é muito fácil, porque o metrô te deixa na porta do centro de exposições. Basta pegar a linha vermelha e ir até a estação final. Só tome cuidado que ela tem uma bifurcação, então preste atenção na direção que vai. E cuidado com o horário do rush. A viagem é longa (uns 40 minutos) e ir no vagão espremido é bem cansativo. Evite ir logo cedo e sair perto da hora de fechamento, quando hordas de gente estão fazendo o mesmo. Também preste atenção no horário do almoço, porque você também vai enfrentar filas nos restaurantes.

– Na feira, tenha uma programação montada do que quer ver. São mais de 20 galpões gigantes e tem muita coisa repetida. Foque nas marcas que te interessam e não esqueça de visitar o Salão Satélite. Lá, designers novos do mundo todo expões suas peças em stands simples, mas eu acho que lá estão algumas das melhores ideias da feira.

– Tudo que acontece fora do centro de exposição é chamado, claro, de Fuorisalone. A programação é gigantesca, mas pela cidade toda você consegue pegar um caderninho gratuito que tem tudo. Nos últimos anos, o Fuori ficou tão bacana que algumas marcas grandes começaram a montar espaços na cidade, e nem se preocupar com a feira em si. E os eventos são os mais diferentes possíveis: exposições, showrooms, festas, lojas, ateliês, instalação, tem de tudo. Tente se informar sobre o que é imperdível, e corra!

fuorisalone
Spazio Rossana Orlandi, no Fuorisalone 2014 – Foto: http://blog.casevacanza.it/

– As atividades do Fuori estão setorizadas, e vale a pena se programar para ir para cada bairro em um dia. A região da Via Montenapoleone, a mais conhecida, é onde você vai achar as marcas mais famosas, geralmente em suas próprias lojas. A Zona Tortona recebe alguns dos showrooms mais legais, e muitos eventos institucionais, com trabalhos de escolas, ONGs e outros. Em Brera, os eventos se misturam com ruas charmosas e cafés com mesas na rua. Em Lambrate, você consegue ver o trabalho de designers independentes, com experimentações incríveis.

– Alguns espaços acabaram virando marcos da feira, por uma curadoria única e os trabalhos mais instigantes. É o caso do Spazio Rossana Orlandi, que já virou ponto de encontro. Não deixe de visitar.

Além do Salone, Milão também é palco da Expo 2015. A Expo é uma feira internacional que começou na Europa em meados do século XIX, e já foi palco de algumas das maiores invenções da história, como o lançamento do telefone, e a construção da Torre Eiffel. Nos últimos 30 anos, a feira internacional virou uma plataforma de projeção da imagem cultural dos países que participam, através dos mais diferentes pavilhões, desenhados pelos arquitetos mais renomados do mundo. O tema deste ano é ‘nutrir o planeta, energia para a vida’. A Expo só abre realmente em 1 de maio, mas algumas das construções já estão prontas, e vai dar para ter uma prévia já agora durante o Salone. A cidade vai passar o ano fervilhando, já que a Expo acaba só em 31 de outubro.

Projeto do pavilhão brasileiro na EXPO 2015, do Studio Arthur Casas
Projeto do pavilhão brasileiro na EXPO 2015, do Studio Arthur Casas

E só para lembrar, a gente já falou sobre as muitas coisas bacanas que dá para fazer nos arredores de Milão aqui.

Foto do destaque: http://www.myitaly.com/

Quem escreveu

Renato Salles

Data

06 de April, 2015

Share

Renato Salles

Para o Renato, em qualquer boa viagem você tem que escolher bem as companhias e os mapas. Excelente arrumador de malas, ele vira um halterofilista na volta de todas as suas viagens, pois acha sempre cabe mais algum souvenir. Gosta de guardar como lembrança de cada lugar vídeos, coisas para pendurar nas paredes e histórias de perrengues. Em situações de estresse, sua recomendação é sempre tomar uma cerveja antes de tomar uma decisão importante. Afinal, nada melhor que um bom bar para conhecer a cultura de um lugar.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.