Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Eventos gratuitos SP por Catho

Guia semanal de eventos gratuitos para curtir em São Paulo

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Nomadismo Digital por Treviso

Trabalhando e viajando ao mesmo tempo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

Lugares para fugir do calor: Viena

Quem escreveu

Gaía Passarelli

Data

27 de January, 2015

Share

A capital mundial da ópera é um espetáculo para amantes de cultura e gastronomia. Pense em música clássica e wiener schnitzel, museus e sarcher-torte, palácios e hot dogs. E em galerias de arte moderna, cinemas e um condomínio construído dentro de um antigo tanque de gás.

Viena é uma cidade cheia de história e cenários impressionantes, onde é impossível sentir tédio mesmo depois de uma semana debaixo de neve. Sede do império Habsburgo e maior cidade de Áustria (tem 1.7 milhões de habitantes) Viena é formada por sete distritos, cada um com atrações próprias. O centro histórico, tombado como patrimônio pela UNESCO, é a epítome da sofisticação européia, com palácios, fontes e esculturas de encher os olhos. Mas, mesmo que tenha sido fundada por romanos no século I, Viena não é uma cidade velha. Tem bairros modernos, cheios de galera frequentando clubs, lojas de discos, cafés e cinemas de arte.

A fonte renascentista de Viena. Foto: Ulrike Haberkorn via Shutterstock.
A fonte renascentista de Viena. Foto: Ulrike Haberkorn via Shutterstock.

Porque ir:

A resposta é: porque não?

Perca tempo em cafés históricos como o Café Central, caminhe pelas ruas de pedra da Old City, visite os muitos museus da cidade como o Liechtenstein, com obras de Rubens do século XVII; o Kunsthistorisches, com obras de Mantegna e Caravaggio; e a Haus der Muzik, que conta a história da música clássica austríaca – não perca a vista do café no topo. O Museum District tem obras de recorte mais moderno, como a Ludwig Foundation, o Leopold e o MUMOK (foto abaixo).

Vá até a St. Stephen’s Cathedral e suba no topo da torre para ter vistas incríveis. Tire a foto obrigatória na Heldenplatz, a Praça dos Heróis, e caminhe até Michaelerplatz para ver o Palácio Hofburg. O tempo frio é ideal para se refugiar por dentro das paredes que serviram de sede do império Habsburgo por quase sete séculos anos, fazendo tours por suas salas e tesouros.

MUMOK. Foto kay via flickr.
MUMOK. Foto: kay via flickr.

O que fazer:

Uma noite na ópera é obrigatória e dá para todos os bolsos: ingressos podem custar de 3 a 100 euros, dependendo do local. Vá nem que seja para ver o suntuoso ambiente da Vienna State Opera.

Os loucos por compras vão achar na Kärtner Strasse as principais cadeias do mundo. Mas o bairro moderno, onde se concentram galerias e lojas cool, é o Freihaus sector. Com origens no século 17h, destruída e reconstruída algumas vezes, essa área pode ser traduzida como “setor livre” e está em destaque desde meados dos anos 90, quando um grupo de comerciantes locais decidiram trazer vida de volta à área, que nem é tão grande: uma caminhada pelas ruas Operngasse e Schleifmühlgasse já dão a idéia.

Outro rolê é Gasometer City, que chama a atencão de quem sai do aeroporto: enormes tanques antigos, inutilizados na década de 1970 quando a cidade passou a usar gás natural. Durante vinte anos foram usados como locação de filmes ou cenário para raves austríacas, até que na década de 1990 os tanques foram transformados num enorme conjunto comercial e residencial, que abriga de apartamentos a lavanderias, passando por cinemas e o Wiener Stadt und Landesarchiv, o arquivo histórico municipal.

O palácio Schönbrunn foi residência de verão da família imperial e é tão imponente e mágico quanto o francês Versailles – vale uma escapada rápida da cidade para visitar.

Não vá embora sem comer a sacher-torte do Café Sacher, de chocolate com geléia de pêssego, criada em 1832.

*Foto Destaque: Thomas Fabian

Quem escreveu

Gaía Passarelli

Data

27 de January, 2015

Share

Gaía Passarelli

Gaía Passarelli é paulistana de nascença, autora do livro "Mas Voce Vai Sozinha?"(Globo, 2016) e do blog How to Travel Light. Encontre-a em gaiapassarelli.com

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.