De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

SP24hrs

Porque para amar São Paulo não é preciso firulas.

Do's & Dont's: viagem de cruzeiro

Quem escreveu

Renato Salles

Data

16 de March, 2015

Share

Os cruzeiros marítimos foram uma febre por aqui na década passada. Tinha uma dúzia saindo por semana, e pacotes que não acabavam mais. Não podia ser diferente: os navios são enormes, com opções de entretenimento para todos os perfis, tem programação para todas as idades, e vamos combinar que é muito bom você ter todas as mordomias à sua disposição, sem ter que se preocupar com aeroporto, carro, estrada, nada. Hoje a moda esfriou, e as opções começaram a ficar mais seletas. Mas ainda assim tem muita variedade, e quando eles tem um tema, o público acaba sendo mais selecionado para aquele perfil.

Nós fomos chamados para conhecer um deles, o Chilli Beans Fashion Cruise, que zarpa do porto de Santos no próximo sábado, 21, passa pelo Rio e por Búzios, e volta na quarta, dia 25. A bordo do navio Costa Favolosa, esse cruzeiro une uma programação intensa que une o melhor da moda com grandes baladas e DJs de São Paulo. Eu confesso que sou marinheiro de primeiríssima viagem, e estou ansioso para ver o que vai ser (depois eu conto em detalhes). Mas para não pagar mico, acionei meus oráculos em matéria de viagem de navio, e fiz uma listinha básica do que fazer e principalmente o que não fazer. Vamos ver se vai dar certo!

Shutterstock: CAN BALCIOGLU
Shutterstock: CAN BALCIOGLU

Do’s

– Chegue cedo (ou tarde): o embarque tem um horário estipulado, geralmente por 5h durante a tarde. Mas são sempre mais de 2mil pessoas na fila, então imagina a bagunça. Melhor chegar bem cedo, tipo duas horas antes de começar o embarque, e ser um dos primeiros a subir. Ou então, melhor deixar para ser um dos últimos. Para isso, é bom chegar uma hora antes do fim do embarque. O que nos leva para o próximo tópico.

– Seja pontual: O navio tem hora para zarpar, e não tem tolerância com atrasadinhos. Chegou um minuto depois? Bye bye.

– Programe-se: Tem muita coisa rolando ao mesmo tempo, então se não se programar, vai perder boas oportunidades. Todas as noites, as cabines recebem um jornalzinho com o que vai rolar no dia seguinte. É bom ler tudo e passar numa peneira o que interessa. Também é bom agendar certinho o jantar. Como as pessoas jantam em turnos, melhor escolher o que mais se encaixa no teu perfil, que ele vai se repetir todos os dias.

– Documentos: os cruzeiros são considerados territórios internacionais, e você precisa de documentos adequados para cada viagem. Dentro da costa brasileira, um RG ou a carteira de motorista já valem. Se for para outros países, passaporte. Mas o ideal é ter sempre os dois. Um dos documentos fica retido durante a viagem, então se você quiser desembarcar e fazer alguma outra coisa, pode precisar do estepe.

– Dinheiro: em qualquer navio, a moeda é o dólar. Se quiser fugir da IOF, não esqueça as verdinhas. Em alguns navios, você recebe um cartão pré-pago que você carrega conforme usa, então com dinheiro você vai ter que fazer o processo algumas vezes. Mas se não estiver muito preocupado, um bom cartão de crédito internacional resolve a vida. Você só paga a conta na hora de ir embora e pronto. Só não esquece de fazer o aviso-viagem para não te bloquearem no meio.

– Mala: geralmente os cruzeiros são em épocas quentes, e você vai passar bastante tempo no sol, na piscina e etc. Então claro que as roupas devem ser leves, e não precisa de nenhuma mala jumbo. Mas à noite, as atividades são internas (restaurante, boate), e o ar condicionado bomba, nada que uma calça jeans e uma jaqueta não dêem conta. Só não faça a mala como se estivesse indo para uma praia deserta, você vai precisar de roupas de cidade. Só programe alguma roupa especial de acordo com as festas que o cruzeiro oferece: festa de gala, de branco, a fantasia, baile de carnaval… Tem gente que nem gosta dessas festas, e dizem que é a melhor hora para aproveitar o convés vazio. Mas é sempre bom ter a opção, e o traje é meio obrigatório. E escolha os chapéus que prendem bem na cabeça, para não perdê-los para o vento.

– Necessaire: comprar itens de higiene no navio pode sair caro, então melhor levar tudo que for possível de casa. Principalmente o protetor solar. Também é bom deixar em dia a farmacinha, com os remédios que você costuma tomar quando precisa. Mas tem um em especial que você não pode esquecer que é para…

– Enjôo: nunca se sabe se você vai enjoar ou não. Tem gente que nunca teve problema, mas de um dia para o outro o estômago vira e não tem jeito. O melhor é se prevenir. Dramin é muito conhecido, mas dá muito sono, então não é uma boa. O mais recomendado é levar um Vonau Flash. É um remédio usado para minimizar os efeitos de quem está em quimioterapia, mas é muito seguro e eficiente. Pode ser dado até para crianças e grávidas (mas fala com o teu médico antes de qualquer forma, e tome só se precisar). Outra forma de evitar o enjôo é não ficar de barriga vazia. Os barcos tem comida o tempo todo, então é bom beliscar sempre. Ah, e os andares superiores são os que mais sacodem, então se você estiver mal, evite-os.

– Noites: quando o sol vai embora, muita gente vai para a pista se jogar, e muita gente vai descansar para acordar cedo no dia seguinte. Então é a melhor hora para explorar todos os cantos da embarcação. Dizem que a sensação de ver (ou pelo menos ouvir) o mar é incrível. E se vocês toparem com outro cruzeiro, a vista é de babar. Se conseguir, tente acordar cedinho um dia para ver o sol nascendo – ou vá dormir depois disso.

– Passeios: quando o navio atraca, todo mundo pode descer para explorar o lugar. Se quiser fazer um passeio, programe-se direito. O próprio cruzeiro sempre tem passeios prontos que você compra antes ou durante a viagem. Quem fechar com eles tem preferência no desembarque e acaba aproveitando melhor o dia. Mas claro que isso acaba tendo um custo mais alto. Se quiser se virar sozinho, tente se afastar do porto para fechar o passeio, para pegar tarifas mais baixas. Mas se o lugar não tiver porto, você vai precisar de paciência, porque a saída é por um serviço de tender (lanchas), e a ordem é definida por senha.

Shutterstock: atm2003
Shutterstock: atm2003

Dont’s

– Treinamento de emergência: logo no primeiro dia, todo mundo a bordo tem que passar por um treinamento, que é feito em 20 minutos. Não fuja dele, mesmo que você já tenha feito! Quem é pego sem acompanhá-lo ganhar um castigo pesado: o mesmo treinamento, mas em uma salinha fechada, e com duração de algumas horas. Em alguns casos tem até multa.

– Comida: no navio existem basicamente dois tipos de restaurante: o bandejão, que tem todo o tipo de comida, a qualquer hora do dia; e o restaurante a la carte que tem reserva para o jantar. Não tome café da manhã no bandejão. Aliás, se possível, não faça nenhuma refeição lá. Dê preferência aos mesmos restaurantes que servem os jantares, mas fique atento porque os horários deles são bem limitados. Em alguns navios ainda tem outros restaurantes com cozinha típica que são pagos à parte. Às vezes vale a pena conhecer em uma noite especial.

– Bebida: todo mundo diz que compra, leva, enfia na mala e tal. Mas levar bebida a bordo é expressamente proibido. Se você quer tomas todas mas não quer gastar muito, melhor pesquisar se o navio oferece uma tarifa all-inclusive, que daí você pode tomar drinks com guarda-chuvinha até rolar a escada sem se preocupar. E em último caso, pode comprar aquela tua garrafinha para desfrutar no quarto no próprio free-shop.

– Souvenir: pois é, todos os cruzeiros tem free-shop, mas nem sempre os preços são convidativos dependendo do que você procura. Melhor pesquisar antes de comprar. Algumas das lojas fazem promoções que podem valer a pena, mas são diárias, então tem que ficar de olho. No final da temporada de cruzeiros, geralmente eles fazem bota-fora que aí sim podem ser interessantes. Uma coisa que pode valer a pena para presentes é comprar nas paradas, em terra firme.

– Book de fotos: como todo passeio turístico, vai ter alguém atrás de você tirando fotos,e pedindo para você posar em situações constrangedoras (capa de Caras style), para no final te empurrar um book que você não pediu. A menos que seja tua onda, ou tenha perdido todas as tuas fotos por algum motivo, fuja deles que nem da cruz. Vai te poupar uma boa dose de encheção de saco.

– Trabalho: você está indo para descansar, então o trabalho já nem deveria estar na mala. Mas se você mesmo assim não conseguiu escapar, vai ter que rebolar para conseguir cumprir com os afazeres. A internet no navio é paga, e muito bem paga. O 3G em alto mar é quase inexistente, e talvez você consiga fazer alguma coisa com ele quando atracar nos portos. No resto do tempo, esqueça e vá para a piscina!

– Sufoco: se você é claustrofóbico, ou tem algum drama com lugares fechados, escolha bem a tua cabine, e dê preferência para as que tem varanda. Muitas das sem ficam embaixo d’água e nem janela tem. Além disso, a tua varanda pode se tornar teu refúgio privado quando cansar de toda a bagunça das áreas comuns.

Curtiu? É fã de cruzeiro? Então não perca esse grupo, só de gente que não troca um navio por nada.

Imagem do destaque: Shutterstock – vetroff

banner--700x130

Quem escreveu

Renato Salles

Data

16 de March, 2015

Share

Renato Salles

Para o Renato, em qualquer boa viagem você tem que escolher bem as companhias e os mapas. Excelente arrumador de malas, ele vira um halterofilista na volta de todas as suas viagens, pois acha sempre cabe mais algum souvenir. Gosta de guardar como lembrança de cada lugar vídeos, coisas para pendurar nas paredes e histórias de perrengues. Em situações de estresse, sua recomendação é sempre tomar uma cerveja antes de tomar uma decisão importante. Afinal, nada melhor que um bom bar para conhecer a cultura de um lugar.

Ver todos os posts

Comentários

  • Dicas perfeitas!! Quem quiser fazer uma viagem de navio deve ler este guia!
    - BiancA

Adicionar comentário

Assine nossa newsletter

Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.