As melhores empadas do Rio de Janeiro

Quem escreveu

Almost Locals

Data

26 de August, 2015

Share

De camarão ou de palmito, na praia ou no boteco, uma boa empada é capaz de roubar a cena e se tornar a estrela de um programa. O carioca é um apaixonado por empada (eu nunca tinha visto empadinha em bufê de restaurante self-service até vir morar no Rio) e a disputa é grande pelo título de quem oferece a melhor da cidade.

Leves, sequinhas, amanteigadas, quebradiças e com recheios generosos, as empadas abaixo são clássicas e estão sempre na frente na preferência geral.

E pra você? Qual é a melhor?

Salete

As empadinhas do Salete desmancham na boca. Foto Divulgação
As empadinhas do Salete desmancham na boca. Foto Divulgação

Tradição é a marca do restaurante Salete, na Tijuca, em funcionamento desde de 1957. Suas empadas, ano após ano, estão no páreo pelo título de melhores da cidade em todas as listas, das especializadas às mais informais. A massa é artesanal e as empadas são produzidas na própria cozinha do restaurante, diariamente, por isso são sempre fresquinhas. Com recheios de frango, camarão e palmito, elas esfarelam na medida certa e desmancham na boca. O restaurante também é famoso por seu risoto de camarão, de arroz molhadinho, e fica pertinho da estação de metrô Afonso Pena..

Endereço: Rua Afonso Pena, 189, Tijuca
Aberto de segunda a quinta-eira, das 9h às 22h. Sexta-feira, das 9h às 23h. Sábado, das 9h às 20h. Domingo, das 9h às 18h.
Telefone: (21) 2264-5163

O Caranguejo

Tradicional restaurante especializado em frutos do mar, O Caranguejo tem quase 40 anos e é parada obrigatória pra quem curte uma empadinha, várias vezes eleita a melhor da cidade. Seja sentado em uma das mesas, ou de pé, junto ao balcão virado para a calçada, não deixe de pedir a empada de camarão, sequinha e recheada no capricho, uma unanimidade. Para quem também curte uma friturinha, fica a dica do risole de camarão, outra delícia da casa, que também serve fartas refeições, petiscos diversos e… caranguejo. O ambiente despojado, de boteco clássico, também conta a favor. Super fácil de encontrar, fica logo em frente à estação de metrô do Cantagalo, na Rua Barata Ribeiro, esquina com a Rua Xavier da Silveira.

Endereço: Rua Barata Ribeiro, 771,Copacabana
Aberto diariamente, das 8h à 1h.
Telefone: (21) 2235-1249

As empadinhas do Caranguejo, em Copacabana, são irresistíveis. Foto: Divulgação
As empadinhas do Caranguejo, em Copacabana, são irresistíveis. Foto: Divulgação

Boteco Belmonte

Não dá pra falar de empada no Rio de Janeiro sem falar do Belmonte. Rede de botecos mais famosa do Rio, tem nas empadas abertas sua marca registrada – junto com o chope gelado, claro. Chegando em um dos bares da rede, não demora até você conseguir provar uma dessas iguarias. A todo tempo, garçons passam pelas mesas com bandejas cheias das novas fornadas, oferecendo aos clientes. As empada abertas são enormes, valem quase por uma refeição. Vá na de carne seca com catupiry ou na de siri, ambas deliciosas. As fechadas de camarão, frango e palmito também não ficam nada a dever.

Com essa receita de sucesso, o Belmonte multiplicou-se como Gremlins pela cidade, da Zona Sul à Zona Oeste, e os valore$ seguiram na mesma proporção, infelizmente. O da Praia do Flamengo, onde a rede nasceu, é um dos mais animados e o meu preferido pelo clima mais descontraído. O salão tem poucas mesas, mas a graça é ficar do lado de fora, na calçada mesmo.

Belmonte Flamengo
Praia do Flamengo, 300 – Loja D, Flamengo
Aberto todos os dias, das 9h às 3h
Telefone (21) 2552-3349 e 2552-3349
Na página do Facebook, você pode encontrar todos os endereços. 

As empadas abertas são marca registrada do Belbonte. Foto: Divulgação
As empadas abertas são marca registrada do Belbonte. Foto: Divulgação

Casa da Empada

Primeira loja especializada em empadas da cidade, a pioneira Casa da Empada nasceu há quase 30 anos, na Tijuca. Os quitutes da Dona Alzira, de massa leve e amanteigada, caíram no gosto dos cariocas e, hoje, a marca já tem 25 pontos de venda espalhados pelo Rio, entre lojas-conceito e quiosques da marca. São 16 sabores com massa tradicional e 4 de massa integral – pra quem quer algo mais light, de certa forma, como a de espinafre. As de camarão, bacalhau e queijo com cebola estão entre as mais pedidas. A Romeu e Julieta – de queijo com goiabada, na massa levemente salgada – é a melhor empada doce que já comi.

Casa da Empada – Tijuca
Rua Conde de Bonfim, 668, Tijuca
Aberto de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h30. Sábado, das 9h às 14h
Telefone: (21) 2268-8879
Para os outros endereços, é só acessar o site: www.casadaempada.com.br

Empada Praiana

Nascida na Região dos Lagos há mais de 25 anos, a Empada Praiana é um clássico das praias, de Cabo Frio a Ipanema. Com jeitinho de empada de vó, ela faz a alegria dos banhistas na hora que bate aquela fome na areia. Seus vendedores, vestidos com uniforme vermelho e amarelo, percorrem a orla com uma caixa térmica cheia de delícias. As de galinha com palmito e queijo com cebola são a minhas preferidas. Hoje em dia, além de circular nas praias, a Empada Praiana também tem pontos de venda fixos e já atravessou fronteiras: tem lojas até em Minas Gerais e Espírito Santo.

Pra saber onde encontrar, é só entrar no site: www.empadapraiana.com.br

Bônus: quer aprender a fazer sua própria empadinha? Esse vídeo da receita é lindo e deixou tudo fácil fácil.


 

Esse post foi criado pela Erika Azevedo e originalmente postado no Almost Locals, parceiro de conteúdo do Chicken or Pasta

Foto destaque Multticlique.com.br

Quem escreveu

Almost Locals

Data

26 de August, 2015

Share

Almost Locals

Almost Locals é um blog cheio de dicas para quem quer fugir do óbvio em Amsterdã, Barcelona, Berlim, Chicago, Lisboa, Londres, Madri, Rio e São Paulo.

Ver todos os posts

Comentários

  • Embora não tenha nada a ver, tem tudo a ver comer empada na praia. Meu lanche preferido quanto bate uma fominha na areia. Todo fim de semana tem corrida no Aterro e a empada aberta de camarão do Belmonte acompanhando o chopp é obrigatório no pós-prova - você já queimou aquelas calorias mesmo. E eu que quando morava na Tijuca, malhava do lado da Salete??? O Conde, ex-prefeito, era apaixonado pela empada de lá e de vez em quando tinha carro oficial, com a placa preta, estacionado na porta.
    - Luciana Guilliod

Adicionar comentário

Assine nossa newsletter

Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.