As boas do fim de semana por Jack Apple

Os melhores eventos para curtir em casa ao lado de Jack Apple.

Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

SXSW

Cobertura pré e pós do SXSW 2020 com as melhores dicas: quais são as palestras, ativações, shows e festas imperdíveis no festival.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

St. Patrick’s Day – Sabe por que?

Quem escreveu

Renato Salles

Data

17 de March, 2014

Share

Todo dia 17 de março, todos os países de língua inglesa, e agora o resto do mundo, se veste de verde e corre para os bares para tomar muita cerveja e comemorar o dia de São Patrício. Mas por acaso alguém sabe o que tanto se comemora? Quem foi esse cara, que aparentemente era um beberrão vestido de duende?

Claro que essa festividade foi totalmente deturpada ao longo dos anos e virou uma boa desculpa para todo mundo ficar bêbado em qualquer dia da semana (como hoje, segunda). Mas ela tem uma origem de fundo histórico e religioso bem interessante, e sim, ainda tem gente que celebra o cara, e não a cerveja.

Ele nasceu em 387 DC na Inglaterra (não na Irlanda), que ainda era território romano na época, e se chamava Maewyn Succat. Aos 16 anos, ele foi seqüestrado e escravizado por bárbaros irlandeses por 6 anos. Aos 22, ele teve uma visão divina, que mandava que ele fugisse de volta para a Bretanha, e assim foi. Muitos anos depois, ele  teve outra visão (talvez daí venha essa ligação tão forte com a bebida) e voltou então para a Irlanda como missionário, com objetivo de catequisar o país. A onde do trevo surgiu porque conta-se que ele usava a planta para explicar sobre a Santa Trindade. Portanto, o trevo é na verdade de 3 folhas, aqueles que a gente acha em qualquer matinho, e não esse que não existe e traz tanta sorte. Conta-se que ele é responsável por mais de 100mil batismos, por construir mais de 300 igrejas na Irlanda, e de converter os reis do país. Por conta disso, ele recebeu o nome Patrício pelo papa Celestino I quando foi nomeado bispo. A data da comemoração, o dia 17, é tido como a data da morte dele, no ano de 461 DC.

Hoje as comemorações do padroeiro da Irlanda já se misturou com uma celebração da própria cultura do país. Por isso, muito verde, muita gaita de fole, e claro, cerveja. Mas elas começaram, curiosamente, nos Estados Unidos, em Nova York. Lá, onde fica a maior colônia irlandesa do mundo, hoje acontece também a maior parada, com mais de 200mil pessoas. E nesse ano, a parada de Dublin aconteceu não só em verde, mas também em rosa. A prefeitura da cidade resolveu agregar a luta pelos direitos GLBT na maior comemoração do país. Se quiser saber sobre todas as festas de St. Patrick pelos países de língua inglesa, o site oficial é este.

Foto de destaque: Shutterstock – Candus Camera

Quem escreveu

Renato Salles

Data

17 de March, 2014

Share

Renato Salles

Para o Renato, em qualquer boa viagem você tem que escolher bem as companhias e os mapas. Excelente arrumador de malas, ele vira um halterofilista na volta de todas as suas viagens, pois acha sempre cabe mais algum souvenir. Gosta de guardar como lembrança de cada lugar vídeos, coisas para pendurar nas paredes e histórias de perrengues. Em situações de estresse, sua recomendação é sempre tomar uma cerveja antes de tomar uma decisão importante. Afinal, nada melhor que um bom bar para conhecer a cultura de um lugar.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.