Viagem

Road Trip Minas: Tiradentes

Quem escreveu

Dani Valentin

Data

08 de May, 2014

Share

Na road trip nesse feriado passado, nossa primeira parada foi em uma das cidades que mais gostei da viagem toda: Tiradentes. Eu já estive por lá quando era criança, mas não tinha nenhuma memória do lugar. Mas é engraçado como é só passar alguns segundos na cidade, ainda dentro do carro, para se apaixonar. Ela tem tudo o que eu gosto: é pacata, mas tem uns botecos para sentar e se divertir. Tem comida excelente e não só mineira. E respira história, do tipo que só de estar na cidade te faz sentir culpado por não ter prestado mais atenção àquelas aulas na escola.

10336834_878835138809215_5313857300759291043_n

Se você, assim como eu, anda planejando passar um final de semana por aquelas bandas, então dá uma olhada nessas dicas que separamos.

Como chegar

Se sair de São Paulo, existem duas formas de chegar na cidade, pela Fernão Dias e pela Estrada Real, às duas levam praticamente o mesmo tempo, perto de 7 horas. Nós fomos pela segunda opção, a Estrada Real, que dizem ser lindíssima durante o dia. É uma estrada pesada, não vou mentir para vocês, com um pedaço em terra. Outra coisa para se prestar atenção caso vá à noite, é que não existe posto de gasolina aberto nos últimos 100km de estrada, por isso, não deixe de andar com o tanque cheio.

Onde ficar

A coisa que mais existe em Tiradentes são pousadas. Porém, são pequenas e se estiver acontecendo algum evento na cidade (cof casamento cof – vale a pena dar uma olhada no calendário aqui) ou for um feriado, fica difícil conseguir uma reserva por um preço bacana e impossível conseguir algo em cima da hora. Foi o que aconteceu com a gente, e no final optamos por alugar uma casa lindinha no airbnb.

casa

Se você estiver à procura de um pouco de luxo, a Pousada Boutique do Oratório é uma boa opção. Com piscina, café da manhã e vista para a Serra de São José. A diária mais barata custa 555 reais para a suíte luxo em dia de semana.

Uma boa opção no centro é a Solar da Ponte. Foi a primeira pousada a cidade e por causa da boa localização permite que quase tudo possa ser feito a pé. Se quiser ficar no centro mas prefere uma opção mais baratinha, a Pousada do Ó é praticamente um terço do preço da Solar, com as mesmas vantagens de localização.

Para comer

10253816_878839452142117_6130550035856092484_n
Loja de doces puro amor no centro

Nós fomos no conhecido Tempero da Ângela no distrito de Bichinho. O restaurante, que é considerado parada obrigatória pelo Viaje Aqui, oferece diversos pratos da cozinha mineira em fogão a lenha. Além disso, o preço é bem convidativo: 23 reais para comer à vontade, com direito a sobremesa, mas prepare-se para a longa espera por uma mesa.

No centro histórico, fica o também conhecidíssimo e estrelado pelo guia Quatro Rodas, Tragaluz. Ocupando uma bela casa com construção antiga, o cardápio é inspirado na literatura de cordel. Recomenda-se reservar a mesa antes de ir para o lugar. Entre os pratos mais pedidos estão a galinha d’angola e o tagliateli com surubim.

O Angatu é o restaurante do chef Rodolfo Mayer que traz ingredientes locais preparados de forma contemporânea desde 2012. É outro restaurante estrelado pelo guia Quatro Rodas da cidade. Não esqueça do cafezinho, coado na mesa, no final.

Na Estalagem do Sabor, a estrela é o Mané sem Jaleco, um mexido de arroz, feijão, couve, bacon, ovo, cebola, lombo e banana. Dizem que é daqueles pratos imperdíveis, para comer no jardim delícia do restaurante.

Para docinhos, tentamos ir no Chico Doceiro, mas não deu tempo. O velhinho, de 80 anos, produz doces desde 1965 e todos custam menos de 1 real. É só olhar as fotos no Facebook do lugar para já começar a babar. E, se quiser tomar um bom café da manhã, o Rocambole e cia oferece um bom café, com pão de queijo, bolos e cocadas.

O que fazer?

Existem muitas opções para fazer na cidade, não precisa gastar todo o seu dia no boteco na praça da cidade – mas a gente não vai te julgar se essa for sua escolha :).

Aqui você encontra uma lista com todas as igrejas da cidade, sendo a mais famosa a Matriz de Santo Antônio. A igreja, que é parada obrigatória, foi construída em 1710 e é a segunda igreja em ouro no país. Sua fachada foi reformada em 1810, com trabalho do Aleijadinho. No interior da igreja, existe o órgão de 1788 que é um dos mais importantes do mundo.

10334320_878833172142745_3075687605684914129_n

Se você quiser dar um pulo em São João Del Rei, uma boa idéia é pegar a Maria Fumaça até lá. O passeio custa 40 reais só ida, ou 50 reais para a ida e volta. A ferrovia surgiu em 1874 e desde que foi criada, nunca parou de funcionar. Algumas agências de viagem na cidade oferecem ainda um pacote onde eles te pegam em São João e levam para ver os pontos turísticos da cidade de van.

Existem várias opções para caminhadas na região. A mais conhecida é a Travessia de São José, que dura cerca de 5 horas. Por ela, além da visão maravilhosa da serra, você ainda pode passar pela cachoeira do Mangue e pela calçada dos escravos. Esta última, foi pavimentada por escravos no século XVIII a mando de seus senhores que usavam essa rota como alternativa, principalmente para fugir dos impostos cobrados pela coroa portuguesa.

1794686_878837765475619_6337267997451995292_n

O centro todo é repleto de lojas de artesanato, mas se quiser ver algo mais específico, vá para o Bichinho – o mesmo distrito onde fica o Tempero da Ângela. Leva mais ou menos meia hora saindo do centro de Tiradentes, mas prepare-se porque o preço é um pouco salgado.

*Agradecimentos especiais à Biti Averbach, que colaborou com algumas dicas locais

Quem escreveu

Dani Valentin

Data

08 de May, 2014

Share

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter