Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

Museu do Design Africano, a nova jóia cultural de Johannesburgo

Quem escreveu

Jo Machado

Data

14 de November, 2013

Share

O MOAD, sigla para Museum of African Design, é o primeiro museu no continente Africano dedicado ao design. Um centro cultural , ao invés de uma instituição apenas de curadoria, o MOAD se dedica a explorar o design e a arte do continente Africano, ambos em constante mudança, de uma forma mais profunda e abrangente.

A propriedade, onde antes era uma oficina de carros, foi comprada em 2011 pela Propertuity Pty, os desenvolvedores do Precinct Maboneng, um projeto que visa a procura e a implementação cultural na cidade. O espaço já recebeu inúmeras exposições e em junho de 2013, uma renovação total começou no local para acomodar mais um estacionamento e adequações estruturais.

moad-4-thumb-620x465-70740

Foi há pouco, no final do mês de outubro deste ano, que a obra foi oficialmente inaugurada.

Envolver-se com algumas das idéias mais interessantes de toda a África e da Diáspora , e compartilhá-los de forma inovadora , vai mudar a percepção das paredes brancas e das instituições baseadas em vidro. ” – Disse Aaron Kohn, diretor do museu.

A visão do MOAD para o futuro, como uma instituição única na África do Sul, é de criar um espaço onde os ‘engenheiros culturais’ de todo o continente poderão compartilhar suas idéias e trabalhar. Através de exposições, divulgação e parcerias com espaços criativos de toda a África e instituições ao redor do mundo, o recém nascido museu já está se tornando uma plataforma para a criatividade e inovação do design e arte do país.

Native-Nostalgia--1024x473

Em sua primeira exposição de longa duração, intitulada Native Noslalgia, que se inicia hoje, o museu conta histórias de eras passadas, posicionando-as firmemente dentro de suas narrativas, através da arquitetura, construção, cartografia, fotografia, arquivos comuns, e uma encenação histórica. Cada artista participante tem uma conversa com um passado pelo qual eles não viveram pela justaposição de elementos de design com os de hoje, uma exploração de nostalgia em cinco países africanos: Senegal, Nigéria, Argélia, Benin e África do Sul.

Posicionado como um canal para a cultura e as idéias, um laboratório cultural, o Museu do Design Africano aspira trazer a África contemporânea para o público internacional.

moad-1-thumb-620x465-70742

Além de todo o cunho cultural, o MOAD também carrega a responsabilidade de atrair turistas e visitantes para a cidade. O prefeito já sancionou uma lei que diminuiu impostos e taxas para centros culturais ou quaisquer instituições que acabem por fomentar o turismo em Johannesburgo.

Quem escreveu

Jo Machado

Data

14 de November, 2013

Share

Jo Machado

O Jo é do tipo que separa pelo menos 30% do tempo das viagens para fazer o turista japonês, com câmera no pescoço e monumentos lotados. Fascinado pelas diferenças culturais, fotografa tudo que vê pela frente, e leva quem estiver junto nas suas experiências. Suas maiores memórias dos lugares são através da culinária, em especial a comidinha despretensiosa de rua. Seu lema de viagem? Leve bons sapatos, para agüentar longas caminhadas e faça uma boa mixtape para ouvir enquanto desbrava novos lugares. Nada é melhor do que associar lindas memórias à boas canções.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.