De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

As boas do fim de semana no Recife: 10.11

Quem escreveu

Júlio Cavani

Data

09 de November, 2017

Share

Patrocínio

Boogarins

Banda de Goiânia é uma das mais cultuadas do rock brasileiro atual. Foto: Marcos Ribas

É um hype merecido, com qualidade musical. No circuito brasileiro de rock, a Boogarins é a banda do momento. Vocais suaves, sonoridade psicodélica, letras em português, postura humilde (sem estrelismos) e muita originalidade, com estilo próprio, fizeram o grupo conquistar espaço em alguns dos principais festivais do Brasil e do mundo. Eles são apaixonados pelo Recife e tocam nesta sexta junto com Phalanx Formation (PE), Terno Rei (SP) e DJs do projeto Pop Briseiro.

Boogarins no Recife. Sexta (11.11) às 22h.
Cais. Avenida Barão do Rio Branco, 66, Bairro do Recife, Centro.

Peraí que tem mais

Depois de passar pelo Rock in Rio, a cantora paulista volta ao Recife com um show bem sofisticado.
Paula Cavalciuk. Quinta (09.11) às 19h. Ingressos antecipados: R$ 10.
Rouge Creperia. Praça de Casa Forte, 570, Casa Forte.

Um dos roqueiros mais ativos do Recife desta vez toca junto com o capixaba André Prando.
Juvenil e André Prando. Quinta (09.11) a partir das 20h.
Texas Café Bar. Rua Rosário da Boa Vista, 163, Boa Vista.

MQN, a famosa banda hard-garage-stone de Goiás, volta ao Recife para um minifestival de rock acelerado.
Brain Music Festival. Quinta (09.11) às 21h. Ingressos: R$ 15.
Dez Dez. Rua do Lima, 100, Santo Amaro, Centro.

“Ano passado eu morri”, mas o grupo que faz tributo a Belchior continua firme e agora chega a Olinda com participações de Tiné e Catarina Dee Jah.
Noite Belchiana Olindance. Sexta (10.11) às 23h. Ingressos: R$ 15.
Xinxim da Baiana. Rua Sigismundo Gonçalves, 742, Carmo, Olinda.

Revelação do rock pesado nordestino, Far From Alaska (RN) volta ao Recife junto com Medulla (RJ) e outras bandas.
Far From Alaska e Medulla. Sexta (10.11) às 21h. Ingressos: R$ 30.
Estelita. Rua Saturnino de Brito, 385, Cabanga.

Aquela adorável cantora paulista que ama demonstrar orgulho pela cultura brasileira faz show em um lindo teatro todinho só pra ela. O pernambucano Almério também participa.
Bruna Caram e Almério. Sábado (11.11) às 20h. Ingressos de R$ 20 a R$ 40.
Teatro de Santa Isabel. Praça do Rapública, Bairro de Santo Antônio, Centro.

De novo? Ainda bem! Show da banda Forró na Caixa no Poço. E tome rabeca!
Forró Astral. Sábado (11.11) das 17h às 22h. Ingressos de R$ 15 a R$ 20.
Casa Astral. Rua Joaquim Xavier de Andrade, 104, Poço da Panela.

Show solo do vocalista da Academia da Berlinda e da Orquestra Contemporânea de Olinda.
Tiné Equilibrista. Sábado (11.11) às 21h. Ingressos: R$ 10.
Casbah. Rua 27 de Janeiro, 7, Carmo, Olinda.

Festival de cervejas artesanais, com shows.
Recife: Cerveja, Som e Arte. Sábado e domingo, das 16h às 22h.
Parque de Santana. Casa Forte.

Quem escreveu

Júlio Cavani

Data

09 de November, 2017

Share

Patrocínio

Júlio Cavani

Durante três meses em Nova York em 2010, Júlio não trabalhou e nem estudou. dedicou todos os dias e noites da viagem a shows, exposições e cinemas. Na verdade, a vida dele é assim o ano inteiro, todos os anos, em qualquer cidade onde esteja. Quando trabalha, procura sempre algo relacionado a arte, filmes e música. Quando tem tempo livre, busca as mesmas coisas (ou ambientes com muita natureza). Também desenvolve os próprios projetos artísticos, influenciado por tudo o que vê e ouve. Ele ainda é conhecido por conseguir provar que sempre é possível encontrar coisas legais para fazer no Recife e por estar em vários lugares ao mesmo tempo.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.