As boas do mês de julho em Salvador

Quem escreveu

Fernanda Slama

Data

29 de June, 2018

Share

Pasta em Casa na Copa

Comida fresca e feita à mão. Reprodução da página do Pasta em Casa

E aí, já carimbou seu passaporte para a próxima festa do Brasil lá no Pasta em Casa? Pois bem, então vá por que neste período o restaurante recebe a chancela da Casa da Coca-Cola e tem sido uma ótima opção para os jogos. Tem desde Brunch começando cedo (lotou em junho nos jogos pela manhã), a partir das 8h até às 11h30 com bolos, tortas, sanduíches e torradinhas gourmet, pães artesanais, sucos feitos na hora, salada de frutas, café, drinks, entre outras perdições… Tudo all-inclusive! Você tem que comprar a camiseta que dá acesso à festa que pode ser adquirida aqui na Mercearia do Pasta. Além de assistir aos jogos num ambiente de som e imagem de alta tecnologia, você também carimba o passaporte para a Casa da Coca Cola, um espaço exclusivo montado na Forneria, com direito a bebidas à vontade, farta mesa de frios e, após o jogo, buffet completo de almoço com a melhor gastronomia italiana da cidade.

Pasta em Casa na Copa. Ingressos: R$100/ R$200/ R$500. à venda na Mercearia. Todos os dias de 9h às 19h (domingo até às 17h). Mais informações pelo tel. 71 3334-7232.

Quem escreveu

Fernanda Slama

Data

29 de June, 2018

Share

Fernanda Slama

Foi em uma Festa de Iemanjá, que Fer pediu o Mau em namoro. Depois de anos trabalhando nas fábricas da China, a designer carioca mudou de mala e cuia para Salvador e juntou os quadros na mesma parede que o empresário baiano. São daqueles que não perdem um show, estão sempre na balada, nos melhores restaurantes e exposições. Vivem por ai! Ele conhece a cidade tão na palma que o seu insta é um dos mais bombados. Ela se deleita, deixando o coração tremer com tanta cultura, céu azul e água morna! Instagram: @salvadormeuamoroficial e @salveamoroficial

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.