Bombay Saphire no Festival Path

Está pronto para inspirar-se, provocar-se e despertar a mais pura criatividade que existe em você? Acompanhe as novidades do Festival Path, com Bombay Sapphire!

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

As boas do fim de semana no Recife: 11.05

Quem escreveu

Júlio Cavani

Data

10 de May, 2018

Share

Exposição de Neilton no Mamam

O guitarrista da Devotos também manda muito bem nas artes plásticas. Foto: Eric Gomes

O cara é rochedo com a cordas da guitarra e também com canetas, lápis e pincéis. Guitarrista da banda Devotos, Neilton está com uma fuderosa exposição de quadros em cartaz no Mamam (Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães). O artista mostra várias fases de sua pintura e também artes originais usadas nos materiais gráficos da banda que é um dos símbolos mais fortes do Alto José do Pinho. É a chance de conhecer a profundidade da obra de alguém que tem um olhar bem especial sobre o cotidiano e transmite isso de uma maneira raramente vista no circuito artístico institucional.

Exposição Arte É um Manifesto, de Neilton. De terça a sexta, das 12h às 18h; Sábado e domingo, das 13h às 17h. Em cartaz atpe 15 de julho.
Mamam. Rua da Aurora, 265, Boa Vista, Centro.

Crítica da Razão Negra

Sempre no combate contra o racismo, o Museu da Abolição resiste e mantém movimento com um estimulante encontro na tarde do sábado. Necropolítica, Crítica da Razão Negra e O Fardo da Raça são os títulos dos livros do pensador camaronês Achille Mbembe que serão lançados em debate às 15h. Os artistas MC Negrita, Iagor Peres, Manuel Castomo e Abiniel João Nacimento também participam do evento com intervenções especiais. No mesmo ato, Susan Buck-Morss e José FP Azevedo ainda lançam respectivamente Hegel e o Haiti e Eu, um Criolo. E vale lembrar: este domingo (13 de Maio) é o Dia da Abolição, 130 anos depois da Lei Áurea de 1888.

Ato de Publicação: Crítica da Razão Negra. Sábado (12.05) às 15h. Entrada grátis.
Museu da Abolição. Rua Benfica, 1150, Madalena.

Peraí que tem mais:

Nove artistas mostram trabalhos urgentes com várias linguagens em exposição coletiva.
Vetores. Terça a sexta, das 09 às 12h e das 14 às 17h; Sábados 15 às 18h. Grátis.
Museu Murillo La Greca. Rua Leonardo Bezerra Cavalcanti, 366, Parnamirim.

Em tempos difíceis, um espaço reservado para as pessoas chorarem (criado pela artista Renata Caldas) é um dos trabalhos da exposição coletiva que revela novos talentos, com uma interessante representatividade de raça e gênero.
Tramações 2. Aberta de segunda a sexta das 10h às 19h. Grátis.
Galeria Capibaribe. Centro de Artes e Comunicação (CAC) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Várzea.

Quem escreveu

Júlio Cavani

Data

10 de May, 2018

Share

Júlio Cavani

Durante três meses em Nova York em 2010, Júlio não trabalhou e nem estudou. dedicou todos os dias e noites da viagem a shows, exposições e cinemas. Na verdade, a vida dele é assim o ano inteiro, todos os anos, em qualquer cidade onde esteja. Quando trabalha, procura sempre algo relacionado a arte, filmes e música. Quando tem tempo livre, busca as mesmas coisas (ou ambientes com muita natureza). Também desenvolve os próprios projetos artísticos, influenciado por tudo o que vê e ouve. Ele ainda é conhecido por conseguir provar que sempre é possível encontrar coisas legais para fazer no Recife e por estar em vários lugares ao mesmo tempo.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.