Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

As boas do fim de semana em São Paulo: 12.07

Quem escreveu

Tava Passando

Data

11 de July, 2019

Share

A Febre do Ouro – Juca Martins

A Febre do Ouro / Foto: Juca Martins
A Febre do Ouro / Foto: Juca Martins

O Brasil tem milhares de episódios bizarros e memoráveis em sua história, e um deles foi a corrida do ouro em Serra Pelada, quando cerca de 120 mil pessoas migraram para a região no maior garimpo a céu aberto do mundo. O fotógrafo Juca Martins estava lá em 1981 quando esse movimento começou, quando já 15 mil homens tentavam a sorte no meio da floresta amazônica – e cujo registro rendeu o Prêmio Internacional Nikon de fotojornalismo. E também voltou em 86, quando registrou a loucura em filme colorido, com fotos onde persiste a dimensão humana, mesmo nas imagens acachapantes que mostram a imensidão de uma cratera de mais de 24 mil metros quadrados aberta em plena floresta. Tudo isto está registrado nesta exposição que parece incrível!

A Febre do Ouro – Juca Martins. A partir de terça (09.07). Terça a sexta, das 11h às 19h, sábado e feriados, das 11h às 17h. Gratuito.
Utópica. Rua Rodésia, 26, Vila Madalena

William Forsythe: Objetos coreográficos

William Forsythe: Objetos coreográficos / Foto: Marcel Verrumo
William Forsythe: Objetos coreográficos / Foto: Marcel Verrumo

Já falamos desta exposição por aqui, mas faz tanto tempo, e ela é tão legal, e já está nas últimas semanas, que vale falar tudo de novo. William Forsythe é reconhecido mundialmente como um dos mais inventivos coreógrafos em atuação – e além de anos em diversas companhias de dança, incluindo seu próprio grupo, começou a desenvolver desde o início dos anos 90 uma série de trabalhos que extrapolam os palcos: os objetos coreográficos. Esta exposição, composta por instalações e vídeos que convocam o público a se mover, reúne onze obras que dialogam com a arquitetura do Sesc Pompeia e ocupam diferentes espaços da unidade. Fundindo conceitos das linguagens da dança e artes visuais, as obras propõem a colocação do corpo em movimento a partir de estímulos prévios, como instruções escritas ou faladas, uma instalação e vídeos, que convocam os visitantes a se moverem, ativando a percepção do corpo em uma espécie de dança não coreografada.

William Forsythe: Objetos coreográficos. Terças a sextas das 10h às 21:30, sábados e domingos das 10h às 19h. Até 28.07. Gratuito.
Sesc Pompeia. Rua Clélia, 93, Pompeia 

Nova Fotografia 2019 – Crônica de banalidades ordinárias

Nova Fotografia 2019 – Crônica de banalidades ordinárias / Foto: Sylvia Sanchez
Nova Fotografia 2019 – Crônica de banalidades ordinárias / Foto: Sylvia Sanchez

Outra expo de fotos bem legais, dessa vez parte da sempre interessante mostra recorrente Nova Fotografia do MIS, que apresenta cerca de 6 novos fotógrafos por ano. Na terceira edição de 2019, “Crônica de banalidades ordinárias” traz a obra de Sylvia Sanchez, onde através de uma performance para a câmera, um corpo ocupa de modo pouco usual os cômodos quase vazios de uma casa – sempre justaposto a objetos triviais sem utilidade aparente e deslocados de seus lugares habituais. O corpo e os objetos subvertem as noções de normalidade e de funcionalidade nas ações cotidianas, esgarçando as fronteiras do habitual e promovendo humor e desconforto. E no dia 22 de agosto rola também um bate-papo gratuito da artista com o público sobre seu trabalho.

Nova Fotografia 2019 – Crônica de banalidades ordinárias. A partir de quinta (11.07) até 25.08. Terça a sábado das 10h às 20h, domingos e feriados das 10h às 19h. Gratuito.
MIS SP. Avenida Europa, 158, Jardim Europa

Peraí que tem mais

O curso explora tópicos relacionados à indústria cultural, o devir-ciborgue, a tecnocultura, e a desterritorialização dos corpos, na programação paralela da exposição.
Curso – Björk: Paradigmas do Pós-humanismo.exe. Quinta (11.07) às 19h. Ingressos: R$ 120.
MIS SP. Avenida Europa, 158, Jardim Europa

Oficina relacionada a DŌ: A Caminho da Serenidade, onde conheceremos a exposição identificando os elementos, cores, texturas e formas dos arranjos.
Oficina // Ikebana com Flores de Papel. Sexta (12.07) das 11h às 11:45. Gratuito.
Japan House. Avenida Paulista, 52, Paraíso 

Feira de impressos, instalação, performance, papo e muito mais, com atividades comandadas por grandes nomes do universo skateboard e da cultura urbana.
Festival Mesa Vista. Sábado (13.07) das 14h às 22h. Gratuito.
Red Bull Station. Praça da Bandeira, 137, Centro

A individual apresenta 25 pinturas que abordam a visão do artista sobre a indústria e a comunicação na sociedade moderna.
Ndústria, Guilherme Callegari. A partir de quinta (11.07) às 19h. Gratuito.
Verve Galeria. Rua Lisboa, 285, Pinheiros 

Quem escreveu

Tava Passando

Data

11 de July, 2019

Share

Tava Passando

Tavapassando e cliquei. Danilo Cabral e Flavia Lacerda registram seu dia a dia e todos os lugares por onde estão passando, em um mini-guia de shows, restaurantes, ruas e pixos no Instagram.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.