De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Eventos gratuitos SP por Catho

Guia semanal de eventos gratuitos para curtir em São Paulo

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Nomadismo Digital por Treviso

Trabalhando e viajando ao mesmo tempo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

12 horas em Sofia na Bulgária

Quem escreveu

Nicole Assad

Data

09 de January, 2019

Share

Diferente das capitais mais comerciais da Europa, Sofia ainda permanece uma cidade mais tradicional. Você consegue enxergar uma onda de modernização chegando com alguns cafés de design minimalista e food trucks de hambúrguer gourmet, mas o mood provinciano ainda toma conta da cidade. Aos finais de semana pessoas de todas as idades se aglomerem no Vitosha Boulevard para comer, beber e tomar sorvete e deixar os filhos correndo livremente enquanto os pais sentam e tomam um café. O boulevard é uma rua sem acesso a carros, de paralelepípedos, cheia de restaurantes, cafés, bares, lojas e etc.

Guia 12 horas em Sofia, Bulgaria
Sofia, Bulgaria. Foto: Georgi Kalaydzhiev / Unsplash

Sofia serviu por muito tempo como o principal canal entre a Europa, o Oriente Médio e a Ásia Menor. Então é gritante a influência de diferentes culturas por todos os lados. Os três principais pontos turísticos da cidade são: a Catedral Aleksander Novski, a mesquita Banya Bash e a Sinagoga de Sofia. Muito por causa da sua localização, Sofia foi uma das principais sede do Império Romano, onde um de seus imperadores a chamava de ” minha pequena Roma”. A cidade tem vestígios arqueológicos datando antes da idade da pedra, depois foi tomada pelo Império Romano, Bizantino, Otomano e finalmente se tornou livre com a ajuda dos russos na Guerra Russo-Turca. Ou seja, se você se amarra em história, Sofia é o lugar para você.

Catedral Alexander, Sofia, Bulgaria.
Catedral Alexander, Sofia, Bulgaria. Foto: Nicole Assad

Moeda e Transporte: Se transportar pelo cidade é muito fácil. Tem metrô, trem, ônibus e bondinho. Mas só com o metrô, a pé ou de bike você já consegue fazer as principais atrações de Sofia. O metrô é conectado com uma linha direta para o aeroporto, o que facilita a entrada e saída da cidade.

A moeda na Bulgária é o lev e a conversão é 1 lev = 50 centavos de euro.

Manhã

Fabrika Daga, Sofia, Bulgaria. Foto: On the Grid
Fabrika Daga, Sofia, Bulgaria. Foto: Next Digital Creative / On the Grid

Como já comentado antes, Sofia tem uma pequena (comparada a Berlin ou Paris), mas significativa, quantidade de cafés que servem deliciosos cafés da manhã. Vale a pena começar o dia no Fabrika Daga (tradução livre é Fábrica de Arco-Íris) . O lugar é lindo e além de um delicioso cappuccino e uma variedade de bolos e tortas, é possível optar pelo café da manhã tradicional búlgaro, com direito a banitza e queijo branco.

Depois de se deliciar no Fabrika Daga siga a para a mesquita Banya Bashi. Do lado da mesquita se encontra o Sofia History Museum, ótimo para entender tudo que rolou nessa cidade riquíssima em história.

Ruínas de Sérdica, Sofia, Bulgária. Foto: Nicole Assad
Ruínas de Sérdica, Sofia, Bulgária. Foto: Nicole Assad

Ainda muito perto, é possível fazer um combo entre a Catedral Aleksander Novski, a Sinagoga de Sofia e as ruínas de Sérdica. Literalmente no meio da cidade, as ruínas ficam ao lado da estação de metro Sérdica (antigo nome da cidade). Era um antigo anfiteatro durante o Império Romano e foi descoberto em 2004 durante a construção do metrô.

Tarde

The View Restaurant, Sofia, Bulgária. Foto: divulgação
The View Restaurant, Sofia, Bulgária. Foto: divulgação

A influência turca na cidade tanto arquitetonicamente quanto na gastronomia é gritante. Por isso vale a pena comer o famoso kebab. Uma opção barata e rápida e tem por toda a cidade. Um muito gostoso é o Top Chef. Aqueles bem tradicionais meio sujinhos mais de lamber os beiços. Mas se a ideia for parar para comer vale ir no The View Restaurant . Fica no terraço de um prédio na Vitosha Boulevard e tem uma vista linda. O menu é atualizado diariamente mas tem de tudo de risoto a steak tartar.

Para fazer a digestão e para voltar um pouco a modernidade vale a pena ir até o Sofia City Art Gallery que apresenta artes mais contemporâneas e internacionais.

A cidade é cheia de “city gardens” como eles chamam, então, depois de tanto turismo e informação, e principalmente se o dia estiver bonito, porque não sentar em um dos parques para ler um livro?

Noite

Sofia à noite. Foto: Borislav Zlatkov
Sofia à noite. Foto: Borislav Zlatkov

Vá passear pelo Vitosha Boulevard e quem sabe até parar em um dos bares de shisha para tomar um drink e fumar um narguilé. Para jantar, ali pertinho tem o MoMa Bulgarian Food & Wine. Comida autêntica da Bulgária além de servirem vinhos locais também.

Para tomar bons drinks vá ao Pavage Bar. A rua onde está localizado este bar é cheia de outros bares moderninhos também e fica super movimentada a noite.

*Foto destaque: Alexander Stanishev / Unsplash

Quem escreveu

Nicole Assad

Data

09 de January, 2019

Share

Nicole Assad

Paulistana nata, daquelas que cresceu jogando bolinha de gude no carpete do apartamento. Mas isso não foi empecilho para colocar a mochila nas costas e ver o que o mundão tinha pra mostrar além do bairro do Morumbi. É apaixonado pelo outono dos países do hemisfério norte, por sotaques e por comida de rua. Mesmo que essas mesmas comidas já a fizeram passar muito mal nos squat toilets da Asia. Tem mais de 60 bandeirinhas costuradas no seu mochilão e não pretende parar até que os exércitos amarelos conquistem o mundo todo.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.